Prevalência de anticorpos para o vírus da hepatite A em duas populações de diferente nível sócio-econômico de São Paulo, Brasil

Para avaliar a prevalência de anticorpos para o vírus da hepatite A em um país em desenvolvimento, os Autores analisaram 540 amostras de soro de crianças e adultos colhidas em São Paulo, pertencente a duas populações distintas sota o ponto de vista socio-econômico. Os anticorpos IgG anti-VHA foram testados através de radioimunoensaio disponível comercialmente (Havata, Laboratorios Abbott). A prevalência de anticorpos IgG anti-HVA no grupo de baixo nível socioeconómico foi de 75,0% em crianças de 2-11 anos e 100,0% nos adultos, enquanto que no grupo de nível socioeconómico médio observaram-se prevalências acentuadamente mais baixas (40,3% nas crianças de 2 a 11 anos e 91,9% nos adultos). Doadores de sangue voluntários, de nível sócio-econômico médio, apresentaram prevalência de anticorpos de 90,4°/o. Estes achados sugerem que a infecção pelo vírus da hepatite A continua sendo uma infecção altamente endêmica em São Paulo, Brasil.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br