Schistosoma mansoni: a importância das fases cutânea e pulmonar na imunidade concomitante, no camundongo albino

Esquistossômulos com 14 dias de idade, obtidos de camundongos previamente infectados, foram cirurgicamente transferidos para a veia porta de camundongos receptores. Outro grupo de camundongos foi infectado com cercárias por via transcutânea. Noventa dias após, aqueles grupos foram desafiados com 100 cercárias, transcutaneamente, assim como o grupo controle. Duas semanas mais tarde, os animais foram perfundidos e os vermes — maduros e imaturos — contados separadamente. Diferenças estatisticamente significativas foram observadas na recuperação dos vermes imaturos, quando o grupo controle foi comparado com aqueles grupos infectados duas vezes. Nenhuma diferença estatística foi detectada entre o grupo infectado transcutaneamente e o grupo infectado por inoculação do verme na veia porta. Os resultados demonstraram que a supressão da migração do parasito através da pele e dos pulmões não interfere no desenvolvimento da chamada imunidade concomitante.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br