Infecção congênita pelo citomegalovírus: ocorrência em duas populações de nível sócio-econômico diferentes em São Paulo, Brasil

Entre novembro de 1980 e julho de 1982, 1614 recém-nascidos (RNs) de nivel sócio-econômico médio e 1156 RNs de baixo nível sócioeconômico foram examinados para verificar a ocorrência de infecção congênita pelo citomegalovírus (CMV), através de isolamento do vírus em amostras de urina ou detecção de anticorpos IgM específicos em amostras de sangue de cordão umbilical. Na população de baixo nível sócio econômico a prevalência de anticorpos fixadores do complemento (Ac Fc) anti-CMV nas mães foi de 84,4% (151/179) e a incidência de infecção congênita determinada por isolamento do vírus foi de 0,90% (5/508). No grupo de RNs em que o diagnóstico baseou-se apenas na detecção de Ac IgM CMV-específicos no sangue de cordão a incidência de infecção congênita foi de apenas 0,46% (3/648). Na população de nivel sócio-econômico médio a prevalência de Ac Fc anti-CMV nas mães foi de 66,5% (284/427) e a incidência de infecção congênita foi de 0,39% (2/518) no grupo de RNs testados por isolamento de vírus na urina e 0,18% (2/1090) no grupo testado por detecção de Ac IgM específicos. No presente estudo nenhum dos 12 RNs infectados congenitamente apresentou sinais ou sintomas de doença ao nascimento.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br