Leishmaniose tegumentar americana: células de Langerhans na reação intradérmica de Montenegro

Este trabalho analisou e quantificou as células de Langerhans e as características histopatológicas da reação de Montenegro nos pacientes com leishmaniose tegumentar americana (LTA) para caracterizar seu comportamento imunológico nas duas formas clínicas mais comuns da LTA, a leishmaniose cutânea localizada (LCL) e a leishmaniose cutâneo-mucosa (LCM). O exame histopatológico apresentou infiltrado inflamatório perivascular superficial e profundo, com predomínio de histiócitos e linfócitos, sem diferença significante entre as duas formas da doença. O resultado da quantificação das CL apresentou aumento das CL na LCL e diminuição na LCM em 48 e 72 horas após a inoculação do antígeno (p < 0,001). O aumento das células de Langerhans epidérmicas na reação de Montenegro da LCL demonstra a presença de imunidade celular específica, enquanto a diminuição das mesmas células na LCM não necessariamente demonstra uma diminuição da imunidade celular específica.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br