Biomphalaria tenagophila (Orbigny, 1835) (Mollusca): adaptação à dessecação e suscetibilidade à infecção pelo Schistosoma mansoni Sambon, 1907

Foram realizados experimentos para testar a suscetibilidade de B. tenagophila à infecção pela cepa SJ do S. mansoni, das gerações F1, F2 e parental não selecionada. O potencial de adaptação de B. tenagophila à dessecação, em moluscos sadios e expostos às larvas do S. mansoni também foi estudado. A presença de muco e terra na abertura da concha protege os moluscos da dessecação, favorecendo a sobrevivência. Os moluscos sadios tiveram mais tentativas de proteção contra a dessecação do que os moluscos expostos às larvas do parasita. A mortalidade, durante a dessecação, foi maior entre os moluscos que permaneceram enterrados e apresentaram a abertura da concha desobstruída. O estágio de desenvolvimento das larvas do parasita influenciou na perda de peso e na sobrevivência dos moluscos. Quanto maior o período de dessecação, maior a perda de peso, sendo a sobrevida abreviada. A geração parental não selecionada mostrou-se mais sensível à dessecação que as gerações F1 e F2, tanto nos moluscos sadios como naqueles expostos às larvas do parasita. Os moluscos sadios foram mais resistentes à dessecação que os moluscos expostos às larvas do parasita. A dessecação não interrompeu o desenvolvimento de larvas do S. mansoni nos moluscos, causando apenas um atraso na eliminação de cercárias.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br