Imunização ativa contra o virus da Hepatite B com baixas doses da vacina plasma derivada por via intradérmica

O esquema habitualmente utilizado para imunização ativa contra o vírus da hepatite B (VHB) consiste em 3 doses de 20 meg por via intramuscular (IM) no deltóide. Um dos problemas quanto à sua utilização em larga escala refere-se ao seu custo elevado. Poucas publicações têm se referido a doses menores, de 10 meg IM ou 2 meg intradérmica (ID). Pesquisou-se em 300 funcionários da área da saúde o anti-HBc-total. Todos os marcadores foram determinados pela técnica de ELISA. Em 43 (14,3%) o marcador foi positivo, correspondendo a 9 (3,0%) com AgHBs e a 34 (11,3%) com anti-HBs. Aos 257 funcionários sem anti-HBc propôs-se um esquema de vacinação, que foi aceito por 90 (35,0%). Idade média de 37,4 ± 8,4 anos, limites de 22 - 56 anos e 68 do sexo feminino. Esquema: 3 doses de 2 meg por via ID com intervalos de 1 e 6 meses. O anti-HBs, pesquisado após a 2ª dose mostrou-se positivo em 74 (82,2%) e após a 3ª dose em 80 (88,9%) - diferença não significativa. Contudo, a quantificação do anti-HBs mostrou níveis 10 vezes acima do "cut-off em 29 (32,2%) e em 77 (85,5%) após a 2ª e 3ª doses, respectivamente (p < 0,001). Portanto, o esquema proposto mostrou-se válido para este tipo de população e, apesar da freqüência semelhante de sero-conversão após a 2ª e 3ª doses, há necessidade desta última para aumentar o título de anticorpos.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br