Infecções por herpes simplex tipo 2 durante a gestação: excreção assintomática do vírus durante o parto e estudo soroepidemiológico de duas populações socioeconomicamente distintas

Adriana Weinberg Cynthia L.M. Canto Claudio S. Pannuti Wu N. Kwang Sidney A.L. Garcia Marcelo Zugaib Sobre os autores

O objetivo deste estudo constou em determinar a prevalência dos anticorpos anti virus herpes simplex (HSV) tipo 2 em mulheres em idade fértil, pertencendo a 2 populações socioeconomicamente distintas, e verificar o risco de exposição neonatal a HSV, por meio de isolamento de vírus no início do parto. O estudo foi realizado em 2 hospitais: A, servindo uma população de baixa renda; B, servindo a classe média. 173 participantes do grupo A e 127 do grupo B responderam um questionário que mostrou que os pacientes pertenciam à mesma faixa etária (27,7 e 26,8 anos, respectivamente) mas divergiam quanto ao estado socioeconômico, idade ao início da vida sexual (18,6 e 20,6, respectivamente), número de parceiros sexuais (1,5 comparado à 1,2) e doenças sexualmente transmitidas (15% e 1,5%, respectivamente). Uma história de herpes genital no passado foi obtida em números semelhantes nos dois grupos, 11% do grupo A e 7% do B. 200 soros do grupo A e 455 do B foram analisados por ELISA quanto à presença de anticorpos anti HSV, e 92% e 86%, respectivamente, foram positivos. 60 amostras soropositivas do grupo A e 90 do B foram analisados por Western blot, que mostrou anticorpos anti HSV 2 em 42% do grupo A e 31% do B. Material cervical foi obtido para isolamento de vírus de 299 parturientes assintomáticas do grupo A e 313 do B. Uma paciente em cada grupo teve isolamento positivo para HSV, indicando uma incidência de 0,3% de excreção vírica assintomática em ambos os grupos. Em conclusão, a prevalência de anticorpos anti HSV 2 em mulheres em idade fértil em São Paulo se mostrou muito elevada, mas não variou com o estado socioeconômico da população. O risco da transmissão perinatal do HSV foi semelhante nas duas populações e comparável aos números relatados em países desenvolvidos. Nossos achados não indicam a necessidade de programas especiais de detecção da excreção assintomática de HSV em gestantes do Brasil.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br
Accessibility / Report Error