Novo método de dosagem de soros antipeçonhentos em camundongos lactentes: I - dosagem do soro anticrotálico

New method for dosage of antivenoms sera in baby mice: I-Anticrotalic serum's dosage

Resumos

A atividade biológica dos soros antipeçonhentos pode ser determinada "in vivo" em pombos, coelhos, cobaios e camundongos adultos, não existindo, entretanto, nenhum método que possa ser recomendado internacionalmente. Estudou-se comparativamente aos métodos tradicionais de dosagem de soros em pombos e camundongos adultos, a validade do uso de camundongos lactentes de 6 a 7 dias, pesando 4 a 5g, inoculados pela via subcutânea. Inicialmente foi determinada a toxidez do veneno de Crotalus durissus terríficus através do estudo da sintomatologia do envenenamento e da atividade letal. O estudo comparativo dos três métodos forneceu maior concordância de resultados em DE100 entre as dosagens realizadas com camundongos lactentes e adultos. A DE100 e DL50 determinadas em camundongos lactentes forneceu resultados mais constantes que os dos métodos de camundongos adultos e pombos. O uso deste novo método permite eliminar a dificuldade de obtenção do atual animal de prova; a utilização de um maior número de animais por ponto de avaliação biológica, possibilitando uma maior precisão e conseguindo-se uma uniformidade nas características exigidas neste tipo de dosagem como peso, idade e linhagem, visando a reprodução sistemática dos resultados.


The biological activity of antiserum against venoms can be assessed by "in vivo" tests using pigeons, rabbits, guinea-pigs and adult mice although there is no International standardized reaction for it. The traditional methods using pigeons and adult mice were comparatively studied with those using mice of 4-5 g (6-7 days of age), inoculated by subcutaneous injection. The toxicity of the Crotalus durissus terrificus venom was initially determined by studying the symptomatology after administration of venom and lethal activity. The comparative study of these three methods showed that the best concordance in the results of the ED100 was obtained using adult and baby mice. The most homogeneous ED100 and LD50 results were found in baby mice when compared with those found in a in adult mice and pigeons. With this new method we can avoid the difficulty in obtaining those animals, besides utilization of a great number of animals per biological evaluation point reaching better precision and a great unformity, required in this type of dosage like weight, age and strains, in order to get better reproductibility of results.


Novo método de dosagem de soros antipeçonhentos em camundongos lactentes 1— dosagem do soro anticrotálico

New method for dosage of antivenoms sera in baby mice. I-Anticrotalic serum's dosage

Bruno SoerensenI; Newton Pereira SantosII; Mary Dalva Caparroz VancettoIII; Maria Laura Sales Rodrigues LimaIII; João Pessoa De Paula CarvalhoIV

IDiretor da Divisão de Miorobiologia e Imunologia do Instituto Butantan, São Paulo, Brasil

IIChefe da Seção de Concentração e Fracionamento de Soros do Instituto Butantan

IIIBiologista da Seção de Concentração e Fracionamento de Soros do Instituto Butantan

IVProíessor Adjunto da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo

RESUMO

A atividade biológica dos soros antipeçonhentos pode ser determinada "in vivo" em pombos, coelhos, cobaios e camundongos adultos, não existindo, entretanto, nenhum método que possa ser recomendado internacionalmente. Estudou-se comparativamente aos métodos tradicionais de dosagem de soros em pombos e camundongos adultos, a validade do uso de camundongos lactentes de 6 a 7 dias, pesando 4 a 5g, inoculados pela via subcutânea. Inicialmente foi determinada a toxidez do veneno de Crotalus durissus terríficus através do estudo da sintomatologia do envenenamento e da atividade letal. O estudo comparativo dos três métodos forneceu maior concordância de resultados em DE100 entre as dosagens realizadas com camundongos lactentes e adultos. A DE100 e DL50 determinadas em camundongos lactentes forneceu resultados mais constantes que os dos métodos de camundongos adultos e pombos. O uso deste novo método permite eliminar a dificuldade de obtenção do atual animal de prova; a utilização de um maior número de animais por ponto de avaliação biológica, possibilitando uma maior precisão e conseguindo-se uma uniformidade nas características exigidas neste tipo de dosagem como peso, idade e linhagem, visando a reprodução sistemática dos resultados.

SUMMARY

The biological activity of antiserum against venoms can be assessed by "in vivo" tests using pigeons, rabbits, guinea-pigs and adult mice although there is no International standardized reaction for it.

The traditional methods using pigeons and adult mice were comparatively studied with those using mice of 4-5 g (6-7 days of age), inoculated by subcutaneous injection. The toxicity of the Crotalus durissus terrificus venom was initially determined by studying the symptomatology after administration of venom and lethal activity. The comparative study of these three methods showed that the best concordance in the results of the ED100 was obtained using adult and baby mice. The most homogeneous ED100 and LD50 results were found in baby mice when compared with those found in a in adult mice and pigeons.

With this new method we can avoid the difficulty in obtaining those animals, besides utilization of a great number of animals per biological evaluation point reaching better precision and a great unformity, required in this type of dosage like weight, age and strains, in order to get better reproductibility of results.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 6/12/1983.

  • 1. BLISS, C. I. The methods of probits. Science 79: 38-39, 1934a.
  • 2. BLISS, C. I. The methods of probits a correction. Science 79: 409-410, 1934b.
  • 3. BLISS, C I. The calculation of the dosage mortality curve. Ann. appl. Biol. 22: 134-167, 1935a.
  • 4. BRAZIL, V. Dosagem do valor antitóxico dos serums antipeçonhentos. Trib. med. (Brasil) 14(3): 39-44, 1908.
  • 5. GRASSET, E. Survey of Assay methods of antive-nins. Bull. Wld. Hlth. Org. 16: 79-122, 1957.
  • 6
    ORGANIZACIÕN PAN AMERICANA DE LA SALUD — Manual de Procedimientos. Produción y pruebas de control en la preparacion de antisueros diftérico, tetãnico, botulínico, anti-venenos y de la gangrena gasosa. Edición revisada, 1977.
  • 7. SCHÕTTLER, W. H. A. Problems of antivenin standardization. Bull. Wld. Hlth. Org. 5: 293-320, 1952.
  • 8. SOERENSEN, B. & MUTTI PEREIRA, M. Ensaios para o uso de camundongos lactentes em provas de segurança de vacinas e soros. In: Congresso Brasileiro de Vacinas e Soros, 1, São Paulo (Brasil), 1981. Anais p. 13.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    08 Abr 2013
  • Data do Fascículo
    Ago 1984

Histórico

  • Recebido
    06 Dez 1983
Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br