Leishmaniose visceral no Brasil: revisitando os paradigmas da epidemiologia e controle

Nos últimos 20 anos, apesar da conhecida subestimação de casos, o Brasil registrou um marcado aumento na incidência da leishmaniose visceral. O principal objetivo desta revisão é refletir sobre alguns aspectos desta zoonose no Brasil e também encorajar a discussão a fim de encontrar novas estratégias, mais viáveis e efetivas, para serem implementadas no Programa Brasileiro de Controle das Leishmanioses. A situação atual da leishmaniose visceral no Brasil pode ser vista como um paradoxo: os aspectos mais importantes da doença são conhecidos, mas o controle desta doença ainda não foi conseguido. As estratégias de controle atuais não têm sido capazes de prevenir a expansão geográfica, além do aumento da incidência e da letalidade da leishmaniose visceral. Existe a necessidade de uma melhor definição das áreas prioritárias, mas também da implementação de um sistema de monitoramento das atividades dirigidas para o controle e vigilância epidemiológica, o que poderia permitir melhor avaliação do programa de controle nas diversas regiões do Brasil.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br