Tentativa de erradicação da himenolepíase em uma comunidade semifechada, empregando-se praziquantel

Attempt at erradicating hymenolepiasis within a close community using praziquantel

Maria de Lourdes Magalhães de Castro José Roberto Machado e Silva Jorge Luiz Mello Sampaio Sobre os autores

Resumos

Duas semanas após o insucesso da terapêutica com mebendazol — 400 mg diários durante quatro dias consecutivos —, 101 indivíduos de uma comunidade semifechada, 50,5% infectados por Hymenolepis nana, em sua maioria crianças entre dois e seis anos de idade, foram tratados com praziquantel (*) em duas doses orais de 20 a 25 mg/kg, administradas com dez dias de intervalo. O diagnóstico da himenolepíase, bem como os controles de cura parasitológica realizados nos 7.º, 14.°, 21°, 30.°, 60.° e 90.° dias depois da administração da segunda dose de praziquantel, basearam-se em exames de fezes pelo método quantitativo de KATO/KATZ. A tolerância ao medicamento foi excelente e a negativação dos exames ocorreu independentemente da intensidade do parasitismo. Nos 7.° e 14° dias pós-tratamento encontraram-se ovos de H. nana, respectivamente em nove e em dois pacientes, mas esses ovos apresentavam-se distorcidos. No controle do 21.° dia todos os resultados mostraram-se negativos, traduzindo um índice de cura de 100%. A partir do 30.° dia verificou-se em três crianças a eliminação de ovos normais do parasita. Tendo em vista serem essas as únicas que viviam em regime de semi-internação nessa comunidade e a positividade tardia dos exames, esses casos foram considerados como reinfecção. Conclui-se, pelos resultados alcançados, que o esquema posológico empregado, fundamentado nas investigações experimentais conduzidas por CAMPOS & col. (1983), é eficaz e seguro para o tratamento da himenolepíase, em especial, quando se pretende tentar erradicá-la numa comunidade fechada.


Two weeks after the unsuccessful treatment with mebendazole — 400 mg daily during four consecutive days —, 101 persons living at a semi-close community, 50.5% infected with Hymenolepis nana, mostly children from 2 to 6 years old, were treated with praziquantel, two single oral doses of 20 to 25 mg/kg administered ten days apart. The diagnosis of hymenolepiasis as well as the parasitological controls of cure performed on the 7th, 14th, 21st, 30th, 60th and 90th days after the second dose administration, were ba- sed on stool examinations according to the quantitative Kato/Katz method. The drug tolerance was excellent and the negativation of the stool examinations occurred independently from the initial worm burden. H. nana eggs were found on the 7th and 14th days post-treatment in nine and in two patients, respectively. However, these eggs were distorted. In the control made on the 21st day all results were negative indicating a 100% cure rate. From the 30th day on normal eggs were detected in three children. Considering the late positivity of their examinations and that they were the only persons living part-time outside the community, such cases were classified as reinfection. By virtue of these results it was concluded that this dose schedule, based on the experimental investigations undertook by CAMPOS et al. (1983), is safe and 100% efficacious for treating hymenolepiasis, particularly envisageing its erradication in close communities.


ENSAIOS TERAPÊUTICOS

Tentativa de erradicação da himenolepíase em uma comunidade semifechada, empregando-se praziquantel

Attempt at erradicating hymenolepiasis within a close community using praziquantel

Maria de Lourdes Magalhães de CastroI; José Roberto Machado e SilvaII; Jorge Luiz Mello SampaioIII

IMestre em Gastrenterologia pela PUC — Rio de Janeiro, RJ

IIAuxiliar de Ensino da Disciplina de Parasitologia da Fac. de Ciências Médicas da UERJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

IIIMonitor da Disciplina de Parasitologia da Fac. de Ciências Médicas da UERJ

Endereço do Autor

RESUMO

Duas semanas após o insucesso da terapêutica com mebendazol — 400 mg diários durante quatro dias consecutivos —, 101 indivíduos de uma comunidade semifechada, 50,5% infectados por Hymenolepis nana, em sua maioria crianças entre dois e seis anos de idade, foram tratados com praziquantel (* (* ) CESTOX — Merck S. A. Indústrias Químicas ) em duas doses orais de 20 a 25 mg/kg, administradas com dez dias de intervalo. O diagnóstico da himenolepíase, bem como os controles de cura parasitológica realizados nos 7.º, 14.°, 21°, 30.°, 60.° e 90.° dias depois da administração da segunda dose de praziquantel, basearam-se em exames de fezes pelo método quantitativo de KATO/KATZ. A tolerância ao medicamento foi excelente e a negativação dos exames ocorreu independentemente da intensidade do parasitismo. Nos 7.° e 14° dias pós-tratamento encontraram-se ovos de H. nana, respectivamente em nove e em dois pacientes, mas esses ovos apresentavam-se distorcidos. No controle do 21.° dia todos os resultados mostraram-se negativos, traduzindo um índice de cura de 100%. A partir do 30.° dia verificou-se em três crianças a eliminação de ovos normais do parasita. Tendo em vista serem essas as únicas que viviam em regime de semi-internação nessa comunidade e a positividade tardia dos exames, esses casos foram considerados como reinfecção. Conclui-se, pelos resultados alcançados, que o esquema posológico empregado, fundamentado nas investigações experimentais conduzidas por CAMPOS & col. (1983), é eficaz e seguro para o tratamento da himenolepíase, em especial, quando se pretende tentar erradicá-la numa comunidade fechada.

SUMMARY

Two weeks after the unsuccessful treatment with mebendazole — 400 mg daily during four consecutive days —, 101 persons living at a semi-close community, 50.5% infected with Hymenolepis nana, mostly children from 2 to 6 years old, were treated with praziquantel, two single oral doses of 20 to 25 mg/kg administered ten days apart.

The diagnosis of hymenolepiasis as well as the parasitological controls of cure performed on the 7th, 14th, 21st, 30th, 60th and 90th days after the second dose administration, were ba- sed on stool examinations according to the quantitative Kato/Katz method.

The drug tolerance was excellent and the negativation of the stool examinations occurred independently from the initial worm burden. H. nana eggs were found on the 7th and 14th days post-treatment in nine and in two patients, respectively. However, these eggs were distorted. In the control made on the 21st day all results were negative indicating a 100% cure rate.

From the 30th day on normal eggs were detected in three children. Considering the late positivity of their examinations and that they were the only persons living part-time outside the community, such cases were classified as reinfection.

By virtue of these results it was concluded that this dose schedule, based on the experimental investigations undertook by CAMPOS et al. (1983), is safe and 100% efficacious for treating hymenolepiasis, particularly envisageing its erradication in close communities.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

AGRADECIMENTOS

Ao Dr. Getúlio L. de Rezende, Depto. de Pesquisa Clínico-Farmacológica da MERCK S.A. Indústrias Químicas, pelas sugestões relativas à Metodologia da Pesquisa.

  • Endereço do Autor:
    Rua Teodoro da Silva, 712 a. 802
    20.560 — Rio de Janeiro, RJ, Brasil
  • Recebido para publicação em 7/2/1984.

    Trabalho apresentado no "XVIII Congreso Paranamericano de Gastroenterologia", Guatemala, novembro de 1983.

  • (*
    ) CESTOX — Merck S. A. Indústrias Químicas
    • 1. BARANSKI, M. C. Helmintíases intestinais. In: NEVES, J. Doenças Infectuosas e Parasitárias em Pediatria. Rio, Guanabara Koogan, 1981, 613-615.
    • 2. BARANSKI, M. C. & GODOY, O. F. Tratamento da himenolepíase nana com um derivado da salicilamida(n-(2'-cloro-4'-nitroienil)-5-clorosalicilamida). Hospital (Rio) 67: 593-599, 1965.
    • 3. BARANSKI, M. C; GOMES, N. R.; GODOY, O. F.; SILVA, A. F.; KOTAKA, P. I.; GIOVANNONI, M. & CARNEIRO FILHO, M. Terapêutica da teníase e da himenolepíase nana com dose oral única de praziquantel. Estudo da eficácia, tolerância e segurança. Rev. Inst. Med. trop. São Paulo 22: 82-88, 1980.
    • 4. CAMILLO-COURA, L.; SOLI, A. V.; CARVALHO, H. T. & SILVA, J. R. Tratamento da teníase por Hymenolepis nana com um derivado da salicilamida (n-(2' cloro-4'-nitrofenil)-5-clorosalicilamida). Hospital (Rio) 69: 93-98, 1966.
    • 5. CAMPOS, R.; VIEIRA BRESSAN, M. C. & EVANGELISTA, M. G. B. F. Estudos sobre a ação do praziquantel em camundongos experimentalmente infestados com Hymenolepis nana VI Congreso de la Federación Latinoamericana de Parasitólogos São Paulo, setembro, 1983.
    • 6. CAMPOS, R.; MOREIRA, A. A. B.; PINTO, P. L.; AMATO NETO, V.; LEITE, R. M. & SANT'ANA, E. J. Tentativa de controle de himenolepíase era coletividade semifechada. VI Congreso de la Federación Latinoamericana de Parasitólogos São Paulo, setembro, 1983.
    • 7. CARVALHO, S. A.; CAMPOS, R.; AMATO NETO, V. & CASTILHO, V. L. P. Tratamento, por meio do praziquantel, da infecção humana devida à Hymenolepis nana Rev. Inst. Med. trop. São Paulo 23: 79-81, 1981.
    • 8. CASTRO, M. L. M. Enteroparasitoses em um orfanato da cidade do Rio de Janeiro: Aspectos da prevalência, transmissão, quadro clínico e terapêutica. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. [Dissertação de Mestrado, 1982]
    • 9. GOMES, M. C. O. Tratamento da teníase pelo mebendazole. F. Méd. (Br.) 66: 1053-1051, 1973.
    • 10. KATZ, N.; CHAVES, A. & PELLEGRINO, J. A simple device for quantitative stool thick-smear technique in Schistosomiasis mansoni. Rev. Inst. Med. trop. São Paulo 14: 397-400, 1972.
    • 11. LOUZADA, G. L.; LOUZADA, F. Z.; LOUZADA, T. Z. & BERLITZ, M. F. Tratamento da teníase e himenolepíase com dose única por via oral de praziquantel. F. Méd. (Br.) 79: 323-326, 1979.
    • 12. PAZ JÁCOME, G.; MENA, H. O. & DOMMERQUE, F. S. Efecto terapéutico del prazicuantel en la himenolepiasis. Trib. Méd. 54: 18-20, 1981.
    • 13. PEDRO, R. J.; DEBERALDINI, E. R.; DIAS, L. C. S. & GOTO, M. M. F. - Tratamento de escolares com Hymenolepis nana pelo praziquantel. Rev. Ass. Med. Brasil. 28: 216-217, 1982.
    • 14. SCHENONE, H.; GALDAMES, M.; RAVADENEIRA, A.; MORALES, E.; HOFFMANN, M. T.; ASALGADO, N.; MENESES, G.; MORA, M. V. & CABRERA, G. Tratamiento de las infecciones por Hymenolepis nana en niños con una dosis oral única de prazicuantel (Embay 8440). Bol. Chile. Parasit. 32: 11-13, 1977.

    Endereço do Autor: Rua Teodoro da Silva, 712 a. 802 20.560 — Rio de Janeiro, RJ, Brasil (* ) CESTOX — Merck S. A. Indústrias Químicas

    Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      26 Out 2012
    • Data do Fascículo
      Fev 1985

    Histórico

    • Recebido
      07 Fev 1984
    Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
    E-mail: revimtsp@usp.br
    Accessibility / Report Error