Fatores de risco e mortalidade de infecções da corrente sanguínea por Klebsiella pneumoniae and Escherichia coli produtores de beta-lactamase de espectro estendido

Estudo de caso-controle, onde os casos foram pacientes com hemocultura positiva para Klebsiella pneumoniae (KP) ou Escherichia coli (EC) produtores de beta lactamase de espectro estendido (ESBL) e os controles foram pacientes com hemoculturas positivas para EC ou KP não produtores de ESBL foi realizado para avaliar os fatores de risco para produção destas enzimas em infecções da corrente sanguínea (ICS). Mortalidade dos pacientes com ICS também foi avaliada. Foram incluídos 145 pacientes (81, 59,5% tinham Klebsiella pneumoniae e 64, 44,1% tinham Escherichia coli); 51 (35,2%) isolados eram produtores de ESBL e 94 (64,8%) eram não produtores. Quarenta e cinco (55,6%) isolados de K. pneumoniae e somente seis (9,4%) isolados de E. coli eram produtores de ESBL. Análise multivariada mostrou que exposição recente a piperacilina-tazobactam (OR ajustado [aOddsRatio] 6,2; 95% Intervalo de Confiança [IC] 1,1-34,7) foi fator de risco para infecção da corrente sanguínea por ESBL. Foi significativamente maior a chance de K. pneumoniae ser um isolado produtor de ESBL do que E. coli o ser (aOR 6,7; 95% CI 2,3-20,2). Nenhuma classe de cefalosporina foi independentemente associada com ESBL-ICS. No entanto, em um modelo secundário considerando todas as oximino-cefalosporinas como variável única, foi demonstrada associação significativa (aOR 3,7; 95% IC 1,3-10,8). Mortalidade total em 60 dias foi significativamente maior entre isolados produtores de ESBL. O achado de piperacilina-tazobactam como fator de risco para produção de ESBL em ICS por KP ou EC requer atenção, uma vez que esta droga tem sido eventualmente recomendada para poupar o uso de cefalosporinas de terceira geração.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br