VERTICAL TRANSMISSION OF HTLV-I/II: A review

Achiléa Lisboa BITTENCOURT Sobre o autor

A transmissão vertical do virus linfotrópico para células T humanas tipo I (HTLV-I) ocorre principalmente através a amamentação. Como um pequeno percentual de filhos de portadoras alimentados artificialmente é soropositivo, devem existir outras vias de transmissão vertical. A taxa de prevalência de transmissão vertical no Japão varia de 15% a 25%. No Brasil, ainda não existe nenhuma avaliação desta forma de transmissão, no entanto, sabe-se que em Salvador-Bahia 0, 7% a 0, 9% das gestantes de classe socio-econômica baixa são portadoras deste virus. Além disto, em Salvador, já foram detectados vários casos de linfoma/leucemia de células T do adulto e quatro casos de dermatite infectiva, condições que são diretamente ligadas à transmissão vertical do HTLV-I, demonstrando assim a importância desta via de transmissão entre nós. Através de seleção sorológica de gestantes no prenatal e evitando a amamentação nas soropositivas, conseguiu-se no Japão redução de ~ 80% da transmissão vertical deste virus. É necessário que no Brasil os órgãos de Saúde Pública comecem a fazer estudos no sentido de se certificar da magnitude deste problema. Sugerimos que em nosso país seja feita avaliação sorológica pré-natal em grupos selecionados, tais como: gestantes provenientes de áreas endêmicas, imigrantes japonesas ou descendentes de japoneses, usuárias de drogas injetáveis (UDI) ou gestantes cujos parceiros sejam UDI, portadoras do virus da imunodeficiência adquirida, gestantes com comportamento sexual promíscuo e aquelas que tenham recebido transfusão sanguínea. Já se documentou a transmissão vertical do HTLV-II.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br