Walter Benjamin, Marcel Proust e a questão do sadismo

Ernani Chaves

O presente texto procura analisar a interpretação que Walter Benjamin faz da questão do sadismo na Recherche, de Marcel Proust, a partir das referências explícitas de Benjamin ao Além do princípio do prazer. Afastando-se tanto de uma interpretação “psicobiográfica” como da própria idéia proustiana de sadismo, Benjamin, recorrendo a Freud, pode oferecer uma interpretação tão instigante quanto complexa de uma das obras de literatura mais importantes e mais comentadas do nosso século. Nesta perspectiva, o que a interpretação de Benjamin destaca não são as famosas cenas de sadismo da Recherche, mas a “curiosidade” insaciável e, no limite, sadomasoquista, do “narrador”. Transpondo tal interpretação para o campo da análise da cultura, Benjamin acaba por revelar os traços radicais da crítica social em Proust: a “pulsão de morte” como organizadora das relações sociais na sociedade capitalista.

Narração; curiosidade; sadismo; pulsão; desejo de saber


Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental Av. Onze de Junho, 1070, conj. 804, 04041-004 São Paulo, SP - Brasil - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: secretaria.auppf@gmail.com