Astaxantina: aspectos estruturais e funcionais

A astaxantina, carotenóide pertencente à classe das xantofilas, tem despertado grande interesse devido à sua capacidade antioxidante e possível papel na redução de risco de algumas doenças. A astaxantina pode ser encontrada naturalmente em microalgas como Haematococcus pluvialis e na levedura Phaffia rhodozyma como também tem sido considerada principal carotenóide em salmão e crustáceos. Os resíduos do processamento de camarão, geralmente descartados, são também importante fonte de astaxantina. A atividade antioxidante da astaxantina tem demonstrado importante função na modulação de funções biológicas relacionadas à peroxidação lipídica, desempenhando efeitos benéficos em doenças crônicas como doenças cardiovasculares, degeneração macular e câncer. Pesquisas têm demonstrado efeitos satisfatórios da astaxantina obtida de fontes naturais assim como da obtida sinteticamente, porém os estudos em humanos se limitam à utilização de fontes naturais. Não há recomendação nutricional estabelecida para a ingestão diária de 4mg de astaxantina, mas muitos estudos relatam resultados benéficos com a ingestão diária média de 4mg. Assim, a presente revisão discute alguns aspectos do carotenóide astaxantina, com destaque para sua estrutura química e atividade antioxidante, mostrando também alguns estudos que relatam seu uso em humanos.

Antioxidantes; Astaxantina; Carotenóides; Doenças crônicas


Pontifícia Universidade Católica de Campinas Núcleo de Editoração SBI - Campus II , Av. John Boyd Dunlop, s/n. - Prédio de Odontologia, 13059-900 Campinas - SP Brasil, Tel./Fax: +55 19 3343-6875 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: sbi.submissionm@puc-campinas.edu.br