Chemical profile of Stachytarpheta schottiana by LC-HRMS/MS dereplication and molecular networking

Marcos Vinicius Toledo e Silva Rafael Garrett Daniel Luiz Reis Simas Tatiana Ungaretti Paleo Konno Michelle Frazão Muzitano Shaft Corrêa Pinto Thiago Barth Sobre os autores

Resumo

As restingas são ambientes com características extremas, que fazem parte do bioma da Mata Atlântica. Estes ambientes apresentam características peculiares, como solo arenoso e altas salinidade e exposição solar, o que torna as espécies presentes interessantes para a ciência. A espécie Stachytarpheta schottiana é endêmica do Brasil, presente em restingas e, assim como outras espécies do gênero, apresenta uso na medicina popular. Neste trabalho são descritos pela primeira vez 28 metabólitos secundários da espécie S. schottiana, como iridoides, lignanas, flavonoides e feniletanoides, através do uso de metodologias de desreplicação e molecular networking por LC-HRMS/MS. Destas substâncias, muitas sequer foram descritas para o gênero, como astragalina, taxifolina, lamiídeo e toda a classe de lignanas. Ainda neste trabalho, a Cromatografia Contracorrente de Alta Velocidade (High Speed Countercurrent Chromatography - HSCCC) e a Ressonância Magnética Nuclear (RMN) foram utilizadas para corrigir a identificação equivocada de duas substâncias, bem como para a criação de seeds que seriam posteriormente utilizadas nos molecular networkings. Algumas das substâncias conhecidas sugeridas neste trabalho apresentam atividades biológicas já descritas na literatura que coincidem com o uso popular descrito para a espécie e também para o gênero, como o efeito hepatoprotetor do verbascosídeo.

Palavras-chave
desreplicação; restinga de Jurubatiba; LC-HRMS; molecular networking; Stachytarpheta schottiana

Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro Rua Pacheco Leão, 915 - Jardim Botânico, 22460-030 Rio de Janeiro, RJ, Brasil, Tel.: (55 21)3204-2148, Fax: (55 21) 3204-2071 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: rodriguesia@jbrj.gov.br