Vigabatrina aumenta atividade da superóxido dismutase no corpo estriado de ratos após crises convulsivas induzidas pela pilocarpina

Vigabratine increases superoxide dismutase activity in striatum of rat after pilocarpine-induced seizures

Rivelilson Mendes de Freitas

CONTEXTO: Tem sido sugerido que durante as crises convulsivas induzidas pela pilocarpina pode ser observado aumento no estresse oxidativo cerebral. Estudos sugerem que compostos com atividade antioxidante podem fornecer certo grau de proteção contra a neurotoxicidade induzida pelas crises convulsivas. OBJETIVOS: O presente estudo investigou as ações farmacológicas da vigabatrina nas alterações comportamentais e na atividade enzimática da superóxido dismutase (SOD) no corpo estriado de ratos adultos. MÉTODOS: Ratos Wistar adultos (2 meses de idade) foram usados nos experimentos e divididos em quatro grupos. O primeiro foi tratado com solução salina 0,9% (grupo controle). O segundo grupo foi tratado com pilocarpina (400 mg/kg, i.p., grupo P400). O terceiro grupo foi tratado com vigabatrina (500 mg/kg, i.p., grupo VGB) e o quarto grupo foi tratado com vigabatrina (500 mg/kg, i.p.) e 30 minutos depois com pilocarpina (400 mg/kg, i.p., grupo VGB + P400). Os animais que apresentaram crises convulsivas, estado de mal epiléptico e não morreram durante o período de 24 horas de observação foram sacrificados para dissecação do corpo estriado para realização da determinação da atividade da SOD. RESULTADOS: Os estudos comportamentais revelaram que, após administração de pilocarpina, todos os animais apresentaram sinais colinérgicos periféricos, movimentos estereotipados e tremores. No mesmo grupo, foram observados, em 75% dos animais, crises convulsivas e o estado de mal epiléptico. Por sua vez, o pré-tratamento com vigabatrina produziu redução significativa de 50% nas crises convulsivas. Com relação aos estudos neuroquímicos, não foram observadas alterações na atividade da SOD no corpo estriado do grupo P400, em comparação aos valores do grupo controle. No entanto, no grupo VGB + P400 foi visto aumento significativo na atividade da SOD de 34% e 35%, quando comparado aos grupos controle e P400, respectivamente. CONCLUSÕES: Os resultados do presente estudo indicam que durante as crises convulsivas ocorrem alterações comportamentais, entretanto, não foram verificadas mudanças na atividade da SOD durante a fase aguda dessas crises. Esses dados sugerem que os efeitos anticonvulsivantes da vigabatrina podem ser decorrentes da neuromodulação da SOD. No entanto, serão realizados novos estudos neurofarmacológicos para o esclarecimento do mecanismo de ação da vigabatrina no modelo de epilepsia induzido pela pilocarpina.

Corpo estriado; crises convulsivas; pilocarpina; superóxido dismutase; vigabatrina


Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Rua Ovídio Pires de Campos, 785 , 05403-010 São Paulo SP Brasil, Tel./Fax: +55 11 2661-8011 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: archives@usp.br