ACRODERMATITE ENTEROPÁTICA: MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS E DIAGNÓSTICO PEDIÁTRICO

Ieda Regina Lopes Del Ciampo Regina Sawamura Luiz Antonio Del Ciampo Maria Inez Machado Fernandes Sobre os autores

RESUMO

Objetivo:

Relatar um caso de acrodermatite enteropática, doença rara com herança autossômica recessiva.

Relato de caso:

Menino de 11 meses de idade apresentava lesões eritematosas simétricas na face, pés, mãos e joelhos, diarreia intermitente, febre e infecções recorrentes desde os seis meses de idade. Ele estava emagrecido e tinha cabelos escassos no couro cabeludo. Foi solicitada a avaliação da concentração sérica de zinco e identificado um nível reduzido de 27,0 mcg/dL (valores de referência: 50,0-120,0). Foi iniciada a suplementação oral com 2,0 mg/kg/dia de sulfato de zinco. Houve melhora rápida e progressiva dos sintomas. Os sintomas reapareceram quando houve uma tentativa de descontinuar a suplementação.

Comentários:

Reconhecer e tratar adequadamente a acrodermatite enteropática é importante para evitar as complicações da doença.

Palavras-chave:
Deficiência de zinco; Zinco; Criança

Sociedade de Pediatria de São Paulo R. Maria Figueiredo, 595 - 10o andar, 04002-003 São Paulo - SP - Brasil, Tel./Fax: (11 55) 3284-0308; 3289-9809; 3284-0051 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rpp@spsp.org.br