Revista Paulista de Pediatria, Volume: 33, Número: 3, Publicado: 2015
  • Obstrução de cateteres centrais de inserção periférica em neonatos: a prevenção é a melhor intervenção Editoriais

    Pedreira, Mavilde Luz Gonçalves
  • Em tempo: como e quando deve ser feito o clampeamento do cordão umbilical: será que realmente importa? Editoriais

    Vain, Néstor E.
  • Heparina para desobstrução de cateter venoso central de inserção periférica no recém-nascido: estudo in vitro Artigos Originais

    Balaminut, Talita; Venturini, Danielle; Silva, Valéria Costa Evangelista da; Rossetto, Edilaine Giovanini; Zani, Adriana Valongo

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Comparar a eficácia de duas concentrações de heparina para a desobstrução por coágulo do cateter venoso central de inserção periférica (CCIP) neonatal in vitro. Métodos: Estudo experimental in vitro quantitativo que usou 76 CCIPs neonatais de tamanho 2 French coagulados in vitro. Os cateteres foram divididos em dois grupos com 38 CCIPs cada. Ambos os grupos receberam infusão de heparina de baixo peso molecular, com dose de 25UI/mL no Grupo I e de 50UI/mL no Grupo II. Os cateteres de ambos os grupos foram submetidos à técnica de pressão negativa com cinco, 15 e 30 minutos e com quatro horas e testou-se sua permeabilidade. Usou-se a análise de sobrevivência para verificar o desfecho dos grupos conforme os intervalos de tempo. Resultados: A comparação dos dois grupos no intervalo de tempo de cinco minutos mostrou um número maior de desobstrução de cateteres no Grupo II (57,9%) em relação ao grupo 1 (21,1%). A análise de Kaplan Meier indicou menor tempo para desobstrução dos cateteres quando a heparina em maior concentração (50UI/mL) foi usada (p<0,001). Conclusões: O uso de heparina de baixo peso molecular na concentração de 50UI/mL foi mais eficaz na restauração da permeabilidade de CCIPs neonatais ocluídos in vitro por coágulo e situou-se tal concentração dentro da margem de segurança indicada na literatura científica.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To compare the efficacy of two concentrations of heparin to clear the lumen of in vitro clotted neonatal peripherally inserted central catheters (PICCs). Methods: This is an in vitro, experimental quantitative study of 76 neonatal 2.0-Fr PICCs coagulated in vitro. The catheters were divided into two groups of 38 PICCs each. In both groups an infusion of low molecular weight heparin was administered with a dose of 25IU/mL for Group 1 and 50IU/mL for Group 2. The negative pressure technique was applied to the catheters of both groups at 5, 15 and 30min and at 4h to test their permeability. Kaplan-Meier survival analysis was used to verify the outcome of the groups according to time intervals. Results: The comparison between both groups in the first 5min showed that more catheters from Group 2 were cleared compared to Group 1 (57.9 vs. 21.1%, respectively). Kaplan-Meier survival analysis showed that less time was needed to clear catheters treated with 50IU/mL of heparin (p<0.001). Conclusions: The use of low molecular weight heparin at a concentration of 50IU/mL was more effective in restoring the permeability of neonatal PICCs occluded in vitro by a clot, and the use of this concentration is within the safety margin indicated by scientific literature.
  • Valor do emprego do questionário WHOQOL-BREF na avaliação da qualidade de vida de pais de crianças com asma Artigos Originais

    Roncada, Cristian; Dias, Caroline Pieta; Goecks, Suelen; Cidade, Simone Elenise Falcão; Pitrez, Paulo Márcio Condessa

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Avaliar a qualidade de vida (QV) de pais de crianças asmáticas e analisar a consistência interna do instrumento genérico de qualidade de vida World Health Organization Quality of Life, versão abreviada (WHOQOL-BREF). Métodos: Foi avaliada a QV de pais de crianças asmáticas e hígidas entre oito-16 anos, por meio do questionário genérico WHOQOL-BREF. Foi avaliada também a consistência interna, por meio do alfa de Cronbach (αC), para determinar se o instrumento tem boa validade para o público alvo. Resultados: Participaram do estudo 162 indivíduos, com idade média de 43,8±13,6 anos, dos quais 104 eram do sexo feminino (64,2%) e 128 casados (79,0%). Na avaliação do nível de qualidade de vida, o grupo de pais de crianças saudáveis apresentou escores acima do grupo de pais de asmáticos nos quatro domínios do instrumento (físico, psicológico, social e meio ambiente) que indicam melhor qualidade de vida. Na análise de consistência interna, o WHOQOL-BREF obteve valores de αC=0,86 pontos para o grupo de pais de asmáticos e 0,88 para o grupo de pais de hígidos. Conclusões: Pais de crianças asmáticas apresentam comprometimento da qualidade de vida em função da doença de seus filhos. Além disso, o WHOQOL-BREF, mesmo sendo um instrumento genérico, se mostrou prático e eficiente para avaliar a qualidade de vida de pais de crianças asmáticas.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective:: To evaluate the quality of life (QOL) of parents of children with asthma and to analyze the internal consistency of the generic QOL tool World Health Organization Quality of Life, abbreviated version (WHOQOL-BREF). Methods:: We evaluated the QOL of parents of asthmatic and healthy children aged between 8 and 16, using the generic WHOQOL-BREF questionnaire. We also evaluated the internal consistency using Cronbach's alpha (αC), in order to determine whether the tool had good validity for the target audience. Results:: The study included 162 individuals with a mean age of 43.8±13.6 years, of which 104 were female (64.2%) and 128 were married (79.0%). When assessing the QOL, the group of parents of healthy children had higher scores than the group of parents of asthmatic children in the four areas evaluated by the questionnaire (Physical, Psychological Health, Social Relationships and Environment), indicating a better quality of life. Regarding the internal consistency of the WHOQOL-BREF, values of ˛C were 0.86 points for the group of parents of asthmatic children, and 0.88 for the group of parents of healthy children. Conclusions:: Parents of children with asthma have impaired quality of life due to their children's disease. Furthermore, the WHOQOL-BREF, even as a generic tool, showed to be practical and efficient to evaluate the quality of life of parents of asthmatic children. © 2015 Sociedade de Pediatria de São Paulo. Published by Elsevier Editora Ltda. All rights reserved.
  • Teste de força muscular ventilatória: é viável em crianças jovens? Artigos Originais

    Heinzmann-Filho, João Paulo; Donadio, Márcio Vinícius Fagundes

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Determinar a taxa de sucesso do teste de manovacuometria em crianças de quatro a 12 anos. Métodos: Estudo transversal que incluiu crianças e adolescentes de quatro a 12 anos, matriculadas em três escolas da rede básica de ensino. Todos os participantes fizeram a mensuração das medidas antropométricas, seguidas do teste de manovacuometria (pressão inspiratória máxima e pressão expiratória máxima). Escolares cujos responsáveis não autorizaram a participação e aqueles que não quiseram fazer o teste foram excluídos. O teste foi considerado como sucesso quando o sujeito avaliado atingia os critérios de aceitabilidade (ausência de escape aéreo) e reprodutibilidade (variação <10% entre as duas maiores manobras) estabelecidos pelas diretrizes. O insucesso foi definido como não preenchimento dos critérios descritos acima. Os dados foram expressos em média e desvio padrão e em frequência absoluta e relativa. A comparação entre as proporções foi feita por meio do teste de qui-quadrado. Resultados: Foram incluídas 196 crianças e adolescentes, com idade média de 8,4±2,5 anos, 53,1% do sexo feminino. A taxa de sucesso do teste de manovacuometria em crianças e adolescentes avaliados foi de 92,3%. Quando comparadas as diferenças entre as taxas de sucesso de crianças na faixa etária pré-escolar com crianças e adolescentes na faixa etária escolar, observou-se uma taxa de sucesso significativamente menor no grupo pré-escolar (85,1%), em comparação com o grupo escolar (94,6%) (p=0,032). No entanto, não houve diferença significativa (p=0,575) quando analisadas diferenças entre sexos. Conclusões: O teste de manovacuometria apresentou uma elevada taxa de sucesso na população pré-escolar e escolar avaliada. Além disso, a taxa de sucesso parece estar relacionada com o aumento da idade.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To determine the success rate of the manovacuometry test in children between 4 and 12 years of age. Methods: Cross-sectional study involving children and adolescents from 4 to 12 years of age, enrolled in three basic education schools. All subjects had the anthropometric and respiratory muscle strength (maximum inspiratory pressure and maximum expiratory pressure) data measured. Students whose parents did not authorize participation or who did not want to undergo the test were excluded. The test was considered successful when the subject reached acceptability (no air leaks) and reproducibility (variation <10% between the two major maneuvers) criteria established by guidelines. Failure was defined when subjects did not meet the above criteria. Data were expressed as mean and standard deviation and the categorical variables in absolute and relative frequency. The comparison between proportions was performed using the chi-square test. Results: We included 196 children and adolescents, mean age of 8.4±2.5 years, 53.1% female. The success rate of the manovacuometry test in children and adolescents evaluated was 92.3%. When comparing the differences between the success rates of preschool children with those children and adolescents of school age, there was a significantly lower success rate in the pre-school (85.1%) group compared to the school group (94.6%) (p=0.032). However, no significant differences (p=0.575) were found when gender comparisons were performed. Conclusions: The manovacuometry test showed a high success rate in both preschool and school population assessed. Furthermore, the rate of success appears to be related to aging.
  • Influência da posição corporal no deslocamento da pronga nasal em recém-nascido pré-termo em pressão positiva contínua em vias aéreas Artigos Originais

    Brunherotti, Marisa Afonso Andrade; Martinez, Francisco Eulógio

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Analisar a influência da posição corporal no deslocamento da pronga nasal em recém-nascidos pré-termos. Métodos: Estudo prospectivo, randomizado e tipo crossover. Foram estudados recém-nascidos com média de idade gestacional de 29,7±2 semanas, peso de nascimento de 1.353±280 g, 2,9±2,2 dias de vida e em uso da pressão positiva contínua de vias aéreas. Avaliou-se o número de vezes em que o dispositivo nasal sofreu deslocamento, além de variáveis cardiorrespiratórias, como frequência respiratória, cardíaca e saturação de oxigênio, conforme a criança foi alocada nas posições corporais prona, lateral direita, lateral esquerda e supina, segundo ordem aleatória previamente estabelecida. As informações em cada posição foram coletadas a cada 10 minutos, por 60 minutos. Foi considerada ocorrência quando o dispositivo nasal se deslocou do orifício das narinas, após o período de três minutos na posição desejada, e houve necessidade de intervenção do examinador. Resultados: Nas 16 crianças estudadas, o deslocamento do dispositivo nasal ocorreu nas posições prona (nove crianças - 56,2%) e lateral esquerda (duas crianças - 12,5%). A pronga se deslocou 11 vezes na posição prona, sete delas nos primeiros dez minutos, e duas vezes na posição lateral esquerda, uma nos primeiros dez minutos. Não se detectaram alterações clinicamente significativas nas variáveis cardiorrespiratórias. Conclusões: A posição prona mostrou maior dificuldade para se manter o dispositivo nasal de suporte pressórico não invasivo na forma adequada.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To evaluate the influence of body position on the displacement of nasal prongs in preterm infants. Methods: This prospective, randomized, crossover study enrolled infants born at a mean gestational age of 29.7±2 weeks, birth weight of 1353±280g and 2.9±2.2 days of life, submitted to continuous positive airway pressure by nasal prongs. The main outcome was the number of times that the nasal prongs were displaced following infant positioning in the following body positions: prone, right lateral, left lateral, and supine, according to a pre-established random order. Moreover, cardiorespiratory variables (respiratory rate, heart rate, and oxygen saturation) were evaluated for each body position. Data for each position were collected every 10 min, over a period of 60 min. An occurrence was defined when the nasal prongs were displaced from the nostrils after 3 min in the desired position, requiring intervention of the examiner. Results: Among the 16 studied infants, the occurrence of nasal prong displacement was only observed in the prone position (9 infants - 56.2%) and in the left lateral position (2 infants - 12.5%). The number of times that the prongs were displaced was 11 in the prone position (7 within the first 10min) and 2 in the left lateral position (1 within the first 10min). No clinically significant changes were observed in the cardiorespiratory variables. Conclusions: Maintenance of the nasal prongs to provide adequate noninvasive respiratory support was harder in the prone position.
  • Prevalência de deficiência de vitamina D e fatores associados em mulheres e seus recém-nascidos no período pós-parto Artigos Originais

    Prado, Mara Rúbia Maciel Cardoso do; Oliveira, Fabiana de Cássia Carvalho; Assis, Karine Franklin; Ribeiro, Sarah Aparecida Vieira; Prado Junior, Pedro Paulo do; Sant'Ana, Luciana Ferreira da Rocha; Priore, Silvia Eloiza; Franceschini, Sylvia do Carmo Castro

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Avaliar a prevalência de deficiência de vitamina D e os fatores associados em mulheres e recém-nascidos no período pós-parto. Métodos: Estudo de delineamento transversal; avaliou-se a deficiência/insuficiência de vitamina D em 226 mulheres e seus recém-nascidos no município de Viçosa (MG), entre dezembro de 2011 e novembro de 2012. Coletaram-se 5mL de sangue do cordão umbilical e sangue venoso materno a fim de avaliar os parâmetros bioquímicos: vitamina D, fosfatase alcalina, cálcio, fósforo e paratormônio. Usou-se regressão de Poisson e adotou-se a Razão de Prevalência (95% IC), a fim de se avaliar a deficiência de vitamina D e fatores associados. Fez-se a análise de regressão linear múltipla para identificar os fatores associados à deficiência de 25(OH)D dos recém-nascidos e das mulheres do estudo. O critério para inclusão das variáveis na regressão linear múltipla foi a relação com a variável dependente na análise de regressão linear simples, considerando p<0,20. O nível de significância adotado foi α<5%. Resultados: Das 226 mulheres, 200 (88,5%) tinham entre 20 e 44 anos; a mediana foi de 28. Encontrou-se prevalência de níveis deficientes/insuficientes de vitamina D em 192 (85%) mulheres e 182 (80,5%) recém-nascidos. A 25(OH)D materna e a fosfatase alcalina materna se comportaram como preditores independentes da deficiência de vitamina D dos recém-nascidos. Conclusões: Foi possível identificar a alta prevalência de deficiência e insuficiência de vitamina D nas mulheres e recém-nascidos em nosso meio e a relação entre o estado nutricional materno de vitamina D e o do recém-nascido.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To assess the prevalence of vitamin D deficiency and its associated factors in women and their newborns in the postpartum period. Methods: This cross-sectional study evaluated vitamin D deficiency/insufficiency in 226 women and their newborns in Viçosa (Minas Gerais, BR) between December 2011 and November 2012. Cord blood and venous maternal blood were collected to evaluate the following biochemical parameters: vitamin D, alkaline phosphatase, calcium, phosphorus and parathyroid hormone. Poisson regression analysis, with a confidence interval of 95%, was applied to assess vitamin D deficiency and its associated factors. Multiple linear regression analysis was performed to identify factors associated with 25(OH)D deficiency in the newborns and women from the study. The criteria for variable inclusion in the multiple linear regression model was the association with the dependent variable in the simple linear regression analysis, considering p<0.20. Significance level was α<5%. Results: From 226 women included, 200 (88.5%) were 20-44 years old; the median age was 28 years. Deficient/insufficient levels of vitamin D were found in 192 (85%) women and in 182 (80.5%) neonates. The maternal 25(OH)D and alkaline phosphatase levels were independently associated with vitamin D deficiency in infants. Conclusions: This study identified a high prevalence of vitamin D deficiency and insufficiency in women and newborns and the association between maternal nutritional status of vitamin D and their infants' vitamin D status.
  • Efeito do aleitamento materno sobre a obesidade em escolares: influência da escolaridade da mãe Artigos Originais

    Pudla, Katia Jakovljevic; Gonzaléz-Chica, David Alejandro; Vasconcelos, Francisco de Assis Guedes de

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Avaliar a associação entre a duração do aleitamento materno (AM) e a obesidade em escolares de Florianópolis (SC), assim como o papel de possíveis modificadores de efeito. Métodos: Estudo transversal com amostra probabilística de 2.826 escolares de 7-14 anos. Foram aferidos o peso e a altura dos escolares, de acordo com procedimentos padronizados. Dados referentes ao AM e variáveis sociodemográficas foram obtidos por questionário enviado aos pais/responsáveis. O estado nutricional foi avaliado pelo escore-Z IMC/idade (curvas da OMS), de acordo com o sexo. Análises ajustadas foram feitas com regressão logística e foi considerada a possível interação de variáveis. Resultados: A obesidade afetou 8,6% dos escolares (95% IC: 7,6%-9,7%) e o AM por ≥ seis meses foi encontrado em 55,7% (95% IC: 53,8%-57,6%). O AM não esteve associado à obesidade, mesmo nas análises ajustadas. As análises estratificadas por escolaridade materna mostraram que, nas crianças de 7-10 anos e filhos de mulheres com até oito anos de estudo, a obesidade foi menor nos que receberam AM por qualquer período > um mês, em especial entre aqueles que receberam AM por um a cinco meses (RO=0,22; 95% IC: 0,08-0,62). Nos filhos de mulheres com maior escolaridade (>8 anos), a chance de obesidade foi 44% menor nos que haviam recebido leite materno por >12 meses (p de interação <0,01). Em adolescentes de 11-14 anos não foi verificada essa interação. Conclusões: O AM por períodos maiores do que um mês em filhos de mulheres com baixa escolaridade protege contra a obesidade, mas quando a escolaridade materna é maior, períodos de AM menores de 12 meses aumentam as chances de obesidade.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To evaluate the association between duration of breastfeeding (BF) and obesity in schoolchildren of Florianópolis (SC), and the role of possible effect modifiers. Methods: Cross-sectional study with a random sample of 2826 schoolchildren (7-14 years). Weight and height were measured according to standardized procedures. Data concerning BF and sociodemographic variables were obtained from a questionnaire sent to parents/guardians. Children's nutritional status was evaluated by BMI-for-age z-score for gender (WHO reference curves). Adjusted analyses were performed through logistic regression, considering a possible interaction among variables. Results: Prevalence of obesity was 8.6% (95% CI: 7.6-9.7%) and 55.7% (95% CI: 53.8-57.6%) received breastmilk for ≥6 months. BF was not associated with obesity, even in the adjusted analysis. Stratified analysis according to maternal schooling showed that, in children aged 7-10 years and children whose mothers had 0-8 years of schooling, the chance of obesity was lower among those breastfeed for >1 month, especially among those who received breastmilk for 1-5 months (OR=0.22; 95% CI 0.08-0.62). Among children of women with higher schooling (>8 years), the chance of obesity was 44% lower in those who were breastfed for >12 months (p-value for interaction <0.01). This interaction was not found in older children (11-14 years). Conclusions: Among children of women with lower schooling, BF for any period longer than 1 month is protective against obesity; however, for a higher maternal schooling, BF for less than 12 months increases the odds of obesity.
  • Padrões alimentares de crianças e determinantes socioeconômicos, comportamentais e maternos Artigos Originais

    Villa, Julia Khéde Dourado; Silva, Angélica Ribeiro e; Santos, Thanise Sabrina Souza; Ribeiro, Andréia Queiroz; Pessoa, Milene Cristine; Sant'Ana, Luciana Ferreira da Rocha

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Identificar os padrões alimentares de crianças e verificar sua associação com determinantes socioeconômicos, comportamentais e maternos. Métodos: Estudo transversal com amostra aleatória de 328 crianças de oito e nove anos. O consumo alimentar foi avaliado por registros alimentares de três dias não consecutivos e quantificado em gramas de grupos alimentares e de nutrientes. Análise fatorial e subsequente rotação ortogonal (varimax) foram usadas para determinar os padrões alimentares. Regressão logística ordinal foi usada para verificar associações entre padrões alimentares e os determinantes estudados. Resultados: Cinco padrões alimentares foram extraídos: “Tradicional”, “Bebidas adoçadas e lanches”, “Monótono”, “Saudável” e “Ovo-lacto”. A maior escolaridade materna se associou de forma direta aos padrões “Bebidas doces e lanches” e “Ovo-lacto”. Crianças de baixo nível econômico e que recebiam maior restrição alimentar pelos pais/responsáveis aderiram mais ao padrão “Tradicional”, representado pelo consumo de arroz, feijão, hortaliças, raízes e tubérculos cozidos e carne vermelha. O padrão “Monótono”, representado pelo elevado consumo de leite e achocolatado, foi mais consumido por crianças de classe econômica intermediária. Crianças que residiam em zona rural consumiam mais alimentos do padrão “Ovo-lacto” comparadas com as de zona urbana. Conclusões: Os padrões alimentares das crianças estiveram associados às condições econômicas da família, escolaridade materna, prática de restrição alimentar pelos pais/responsáveis e localização da residência em zona urbana ou rural. Melhores condições socioeconômicas contribuíram para um padrão alimentar nutricionalmente mais inadequado.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To identify dietary patterns of children and to verify their association with socio-economical, behavioral and maternal determinants. Methods: A cross-sectional study with a random sample of 328 children aged 8 and 9 years. Dietary intake was assessed by food records in three nonconsecutive days and measured in grams of food groups and nutrients. Factor analysis and subsequent orthogonal rotation (varimax) were used to determine dietary patterns. Ordinal logistic regression was used to assess associations between dietary patterns and the studied determinants. Results: Five dietary patterns were observed: “Traditional,” “Sweetened beverages and snacks,” “Monotonous,” “Healthy” and “Egg-dairy.” A higher maternal level of education was directly associated with “Sweetened beverages and snacks” and “Egg-dairy' standards. Low income children who were submitted to greater food restriction by parents/guardians followed the more “Traditional” standard, represented by the consumption of rice, beans, vegetables, cooked roots and tubers and red meat. The “Monotonous” pattern, represented by a high consumption of milk and chocolate powder, was most followed by children from the middle class. Children living in rural areas consumed more foods from the “Egg-dairy” pattern, when compared to those from the urban area. Conclusions: Dietary patterns of children were associated with family socioeconomic status, maternal level of education, practice of food restriction by parents/guardians and location of residence in urban or rural area. Better socioeconomic conditions contributed to a more nutritionally inadequate dietary pattern.
  • Qualidade da dieta de pré-escolares de 2 a 5 anos residentes na área urbana da cidade de Pelotas, RS Artigos Originais

    Leal, Katharine Konrad; Schneider, Bruna Celestino; França, Giovanny Vinicius Araújo; Gigante, Denise Petrucci; Santos, Iná dos; Assunção, Maria Cecília Formoso

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Avaliar a qualidade da dieta de pré-escolares residentes na área urbana da cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Métodos: A qualidade da dieta foi avaliada de acordo com o Índice de Alimentação Saudável (IAS), adaptado para o Brasil. O consumo alimentar foi medido por meio de Questionário de Frequência Alimentar. O escore do índice foi obtido por uma pontuação distribuída em 13 grupos alimentares, que caracterizam diferentes aspectos de uma dieta saudável, variação de 0 a 100 pontos. Quanto mais próximo de 100, melhor será a qualidade da dieta. Resultados: A qualidade da dieta foi avaliada em 556 pré-escolares. O valor médio do escore do IAS foi de 74,4 pontos. Isso indica que as dietas necessitam ser melhoradas. As médias dos escores foram significativamente maiores entre as meninas e entre crianças provenientes de famílias com renda familiar entre um e menos de três salários mínimos mensais. Conclusões: As crianças apresentaram consumo de verduras e legumes abaixo da recomendação, enquanto os alimentos do grupo dos óleos e gorduras, bem como do grupo dos açúcares, balas, chocolates e salgadinhos, foram consumidos em excesso. É importante reforçar orientações para promover um hábito alimentar mais saudável, que poderá perdurar em etapas posteriores da vida

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To assess the dietary quality of preschool children in the urban area of Pelotas, Rio Grande do Sul, southern Brazil. Methods: Dietary quality was measured according to the Healthy Eating Index (HEI), adapted to Brazil. Food consumption was obtained using the Food Frequency Questionnaire (FFQ). The index score was obtained by a score, ranging from 0 to 100, distributed in 13 food groups that characterize different components of a healthy diet. The better the quality of the diet, the closer the score is to 100. Results: Dietary quality was evaluated in 556 preschoolers. The mean HEI score value was 74.4 points, indicating that diets need improvement. The mean scores were significantly higher among girls and in children from families with income between one and less than three minimum wages. Conclusions: The children showed vegetable consumption below the recommended level, while foods of the food group of oils and fats, as well as the group of sugars, candies, chocolates and snacks, were consumed in excess. It is important to reinforce guidelines to promote healthier eating habits, which may persist later in life.
  • Peso corporal e escores de consumo alimentar em adolescentes no nordeste brasileiro Artigos Originais

    Barreto Neto, Augusto Cesar; Andrade, Maria Izabel Siqueira; Lima, Vera Lúcia de Menezes; Diniz, Alcides da Silva

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Determinar a prevalência de excesso de peso e analisar o consumo alimentar de risco e proteção para doenças cardiovasculares em adolescentes escolares da cidade de Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Brasil. Métodos: Estudo transversal com adolescentes de ambos os sexos entre 10 e 19 anos, matriculados em 39 escolas públicas e privadas de Vitória de Santo Antão (PE). Foram obtidas variáveis sociodemográficas, antropométricas e do estilo de vida. O consumo alimentar foi avaliado por meio de questionário de frequência alimentar e posteriormente convertido em escores de padrão de consumo mensal. Obtiveram-se a distribuição de consumo para um grupo de alimentos associados ao risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares (Grupo Risco) e um grupo de alimentos protetores (Grupo Proteção). O nível de significância usado na decisão dos testes estatísticos foi de 5%. Resultados: A amostra foi constituída por 2.866 escolares; 54,2% do sexo feminino, com idade mediana de 14 anos (Intervalo Interquartílico = 12-16). A análise dos escores de consumo alimentar mostrou maior dispersão no grupo de alimentos protetores (51,1%) e maiores medianas de consumo de alimentos de risco nos adolescentes com mães de escolaridade >9 anos (p<0,001). Conclusões: O excesso de peso foi frequente nos adolescentes estudados. Os escores de consumo alimentar do grupo risco revelaram associação apenas com a escolaridade materna e evidenciaram a necessidade de maior conhecimento de educação nutricional as famílias, independentemente das condições socioeconômicas.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: The aim of the present study was to determine the prevalence of excess weight and analyze eating habits in relation to cardiovascular disease in adolescents from the city of Vitória de Santo Antão, state of Pernambuco, northeast Brazil. Methods: A cross-sectional study was carried out with male and female students (10-19 years old) enrolled at public and private schools in Vitória de Santo Antão. Sociodemographic, anthropometric and lifestyle variables were collected. Food consumption was evaluated using a Food Frequency Questionnaire and subsequently converted to monthly intake pattern scores, obtaining the intake distribution for a group of foods associated with the risk of developing cardiovascular disease and for a group of protective foods. The significance level for the statistical tests was set at 5.0%. Results: The sample consisted of 2866 students. The female gender accounted for 54.2% of the sample, and median age was 14 years (interquartile range: 12-16 years). The food intake scores showed greater dispersion in the group of protective foods (51.1%). Higher median scores for consumption of risk foods were found among adolescents whose mothers had more than 9 years of schooling (p<0.001). Conclusions: Excess weight was prevalent among the students analyzed. The consumption of risk foods was only associated with maternal schooling, which shows the need for nutritional interventions directed at families, regardless of socioeconomic status.
  • Alta prevalência de sedentarismo em adolescentes que vivem com HIV/Aids Artigos Originais

    Tanaka, Luana Fiengo; Latorre, Maria do Rosário Dias de Oliveira; Silva, Aline Medeiros; Konstantyner, Thais Claudia Roma de Oliveira; Peres, Stela Verzinhasse; Marques, Heloisa Helena de Sousa

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Verificar a prevalência de sedentarismo entre adolescentes com HIV/Aids e seus fatores associados. Métodos: Foram entrevistados 91 adolescentes de 10 a 19 anos, com HIV/Aids, em acompanhamento em uma unidade de infectologia universitária. Foram coletados dados antropométricos (peso, altura e circunferência da cintura) em duplicata, informações clínicas foram obtidas nos prontuários médicos e a prática de atividade física habitual foi medida por meio do questionário proposto por Florindo et al. O ponto de corte para sedentarismo foi de 300 minutos/semana. Resultados: As prevalências de altura inadequada para idade, desnutrição e sobrepeso/obesidade foram de 15,4%, 9,9% e 12,1%, respectivamente. As atividades físicas mais citadas foram: futebol (44,4%), voleibol (14,4%) e andar de bicicleta (7,8%). Os tempos medianos dispendidos com a prática de atividade física e caminhando/andando de bicicleta até a escola foram de 141 minutos e 39 minutos, respectivamente. A maioria dos adolescentes (71,4%) era sedentária, proporção maior entre as meninas (p=0,046). Conclusões: Foi observada alta prevalência de sedentarismo entre adolescentes com HIV/Aids, prevalência essa semelhante àquela observada na população geral. Promover a prática de atividade física entre adolescentes - especialmente entre meninas - com HIV/Aids, assim como monitorá-la, deve fazer parte da rotina de acompanhamento desses pacientes.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To assess the prevalence of physical inactivity among adolescents with HIV/AIDS, as well as associated factors. Methods: Ninety-one adolescents (from 10 to 19 years old) with HIV/AIDS who are patients at a university follow-up service were interviewed. Anthropometric data (weight, height, and waist circumference) were measured twice; clinical information was obtained from medical records, and habitual physical activity was assessed by a questionnaire proposed by Florindo et al. The cutoff point for sedentariness was 300 minutes/week. Results: The prevalence of inadequate height for age, malnutrition, and overweight/obesity was 15.4%, 9.9% and 12.1%, respectively. The most common physical activities were soccer (44.4%), volleyball (14.4%) and cycling (7.8%). The median times spent with physical activity and walking/bicycling to school were 141 min and 39 min, respectively. Most adolescents (71.4%) were sedentary and this proportion was higher among girls (p=0.046). Conclusions: A high prevalence of physical inactivity among adolescents with HIV/AIDS was observed, similar to the general population. Promoting physical activity among adolescents, especially among girls with HIV/AIDS, as well as monitoring it should be part of the follow-up routine of these patients.
  • Estado nutricional, autopercepção do estado nutricional e experimentação de drogas lícitas em adolescentes Artigos Originais

    Garcia, Denise Máximo; Mekitarian Filho, Eduardo; Gilio, Alfredo Elias; Lotufo, João Paulo Becker; Lo, Denise Swei

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Associar o estado nutricional e a autopercepção do estado nutricional com a experimentação de drogas lícitas em adolescentes. Métodos: Estudo transversal no qual 210 adolescentes responderam a um questionário sobre experimentação de álcool e tabaco e sobre suas autopercepções nutricionais. Foi analisada a concordância entre autopercepção nutricional do adolescente e seu estado nutricional, bem como associações entre o estado nutricional, a autopercepção nutricional, sexo, idade e presença de tabagistas em casa com a experimentação de álcool e tabaco. As variáveis foram analisadas separadamente em análise bivariada e, a seguir, análise múltipla determinou fatores associados à experimentação. Resultados: Participaram do estudo 210 adolescentes com mediana de idade de 148 meses, 56,6% do sexo feminino. Do total da amostra, 6,6% já experimentaram cigarro e 20% já experimentaram álcool; 32,3% tinham Z-escore IMC≥1 e 12,85% tinham Z-escore IMC≥2 e 50,7% acertaram suas classificações nutricionais. Após análise multivariada, apenas a autoimagem sobre o peso influenciou estatisticamente na experimentação de fumo. Pacientes que se identificavam com peso muito alto apresentaram maior chance de experimentação de fumo (odds ratio (OR) 13,57; intervalo de confiança (95% IC) 2,05-89,8; p=0,007); em relação ao uso de álcool, adolescentes que se identificavam com peso alto apresentaram chance de uso de álcool 2,40 vezes maior do que crianças que se viam com peso normal (IC 95% 1,08-5,32; p=0,031). Conclusões: Adolescentes com autopercepção de excesso de peso podem constituir um grupo de risco para a experimentação de álcool e tabaco.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To associate the nutritional status and the self-perception of nutritional status with the use of licit drugs among adolescents. Methods: A cross-sectional study was conducted in which 210 adolescents answered a questionnaire on alcohol and tobacco experimentation and self-perceptions about their nutritional status. The correspondence between the adolescents' perception of their own nutritional status and actual nutritional status was analyzed, as well as associations between nutritional status, self-perception of nutritional status, gender, age, and presence of smokers at home with alcohol and tobacco use. The variables were analyzed separately in a bivariate analysis and, subsequently, a multivariate analysis determined the factors associated with drug use. Results: The study included 210 adolescents with a median age of 148 months; 56.6% were females. Of the total sample, 6.6% have tried cigarettes, and 20% have tried alcohol; 32.3% had BMI Z-Score ≥1, 12.85% had BMI Z-Score ≥2, and 50.7% had a correct perception of his/her weight. After a multivariate analysis, only the self-perception about weight statistically influenced experimentation of tobacco, and patients who identified themselves as having very high weight were more likely to experiment tobacco (odds ratio (OR) 13.57; confidence interval (95% CI) 2.05-89.8; p=0.007); regarding alcohol use, adolescents who identified themselves as having high weight were 2.4 times more likely to experiment with alcohol than adolescents that identified themselves as having normal weight (95% CI 1.08-5.32, p=0.031). Conclusions: Adolescents with self-perception of excess weight may constitute a risk group for alcohol and tobacco use.
  • Baixo peso ao nascer e obesidade: associação causal ou casual? Artigos De Revisão

    Ribeiro, Adolfo Monteiro; Lima, Marília de Carvalho; Lira, Pedro Israel Cabral de; Silva, Giselia Alves Pontes da

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Apresentar as bases conceituais que explicam como eventos na vida intrauterina podem influenciar o desenvolvimento corporal e enfatizar a interrelação entre baixo peso ao nascer e risco de obesidade ao longo da vida. Fontes de dados: Google Scholar, Scientific Electronic Libraty Online (SciELO), EBSCO, Scopus e PubMed foram as bases de dados. “Catch-up growth”, “lifecourse health”, “disease”, “child”, “development”, “early life”, “perinatal programming”, “epigenetics”, “breastfeeding”, “small baby syndrome”, “phenotype”, “micronutrients”, “maternal nutrition”, “obesity” e “adolescence” foram descritores isolados ou associados para localizar revisões, estudos epidemiológicos, de intervenção ou experimentais publicados entre 1934 e 2014, com textos integrais, em português e inglês. Excluíram-se duplicidades, editoriais, resenhas e abordagens de doença diferente da obesidade. Síntese dos dados: Nos 47 artigos selecionados dentre 538 elegíveis, identificaram-se as hipóteses do fenótipo poupador, dos mecanismos epigenéticos e da plasticidade do desenvolvimento como fundamentais para explicar mecanismos envolvidos na saúde e nas doenças durante a vida. Elas admitem a possibilidade de eventos cardiometabólicos e obesidade terem origem em deficiência intraútero de nutrientes que, associados a suprimento alimentar excessivo às necessidades metabólicas nas fases precoces da vida, provoca alterações endócrinas. Todavia pode haver reprogramação fenotípica que supere ambiente restritivo intrauterino para nascidos com baixo peso a partir de oferta nutricional adequada. Assim, o catch-up growth indicaria recuperação da restrição intrauterina e se associaria a benefícios em curto prazo ou prejuízos no adulto. Conclusões: Na dependência de adequação nutricional nos primeiros anos de vida, a plasticidade do desenvolvimento pode levar à reprogramação fenotípica e reduzir o risco de obesidade.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To present the conceptual foundations that explain how events occurring during intrauterine life may influence body development, emphasizing the interrelation between low birth weight and risk of obesity throughout life. Data sources: Google Scholar, Library Scientific Electronic Online (SciELO), EBSCO, Scopus, and PubMed were the databases. “Catch-up growth”, “life course health”, “disease”, “child”, “development”, “early life”, “perinatal programming”, “epigenetics”, “breastfeeding”, “small baby syndrome”, “phenotype”, “micronutrients”, “maternal nutrition”, “obesity”, and “adolescence” were isolated or associated keywords for locating reviews and epidemiological, intervention and experimental studies published between 1934 and 2014, with complete texts in Portuguese and English. Duplicate articles, editorials and reviews were excluded, as well as approaches of diseases different from obesity. Data synthesis: Within 47 selected articles among 538 eligible ones, the thrifty phenotype hypothesis, the epigenetic mechanisms and the development plasticity were identified as fundamental factors to explain the mechanisms involved in health and disease throughout life. They admit the possibility that both cardiometabolic events and obesity originate from intrauterine nutritional deficiency, which, associated with a food supply that is excessive to the metabolic needs of the organism in early life stages, causes endocrine changes. However, there may be phenotypic reprogramming for low birth weight newborns from adequate nutritional supply, thus overcoming a restrictive intrauterine environment. Therefore, catch-up growth may indicate recovery from intrauterine constraint, which is associated with short-term benefits or harms in adulthood. Conclusions: Depending on the nutritional adequacy in the first years of life, developmental plasticity may lead to phenotype reprogramming and reduce the risk of obesity.
  • Vitamina D em crianças e adolescentes com doença falciforme: uma revisão integrativa Artigos De Revisão

    Oliveira, Jacqueline Faria de; Vicente, Natália Gomes; Santos, Juliana Pereira Pontes; Weffort, Virgínia Resende Silva

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Revisar a literatura sobre a frequência da deficiência de vitamina D e suas consequências em crianças e adolescentes com anemia falciforme. Fontes de dados: O levantamento bibliográfico foi feito nas bases bibliográficas Medline, U.S. National Library of Medicine e National Institutes of Health (PubMed), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs) e Cochrane. Os descritores foram selecionados com o uso do Medical Heading Terms (MeSH): “Vitamin D” OU “Vitamin D deficiency” E “anemia, sickle cell” E “child” E “adolescent”. A busca limitou-se aos artigos em inglês, espanhol e português, com data de publicação até abril de 2014. Síntese dos dados: Foram selecionados 11 estudos, entre os 18 encontrados. A pesquisa revelou que os níveis séricos de vitamina D em crianças e/ou adolescentes com anemia falciforme encontram-se baixos em seis de 11 artigos analisados. Essa frequência de deficiência de vitamina D em pacientes com anemia falciforme excede a do grupo de comparação saudável. A baixa ingesta de vitamina D, a sazonalidade, a exposição solar, o metabolismo aumentado próprio da hemoglobinopatia e o aumento da idade são fatores associados à deficiência. Houve associação entre deficiência significativa de vitamina D e fraqueza óssea e crises dolorosas. Há correlação positiva entre aumento dos níveis de vitamina D por meio da suplementação e a capacidade funcional física. Conclusões: A deficiência de vitamina D em crianças e adolescentes com doença falciforme é prevalente e necessita de mais estudos para evidenciar a sua relação com comorbidades e possíveis benefícios da suplementação da vitamina D.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To review the literature about the prevalence of vitamin D deficiency and its consequences in children and adolescents with sickle-cell disease. Data sources: The literature survey was performed through the bibliographic databases MEDLINE; U.S. National Library of Medicine and National Institutes of Health (PubMed); Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs), and the Cochrane Library. The keywords were selected using Medical Heading Terms (MeSH): “vitamin D” OR “vitamin D deficiency” AND “anemia, sickle cell” AND “child” AND “adolescent”. The search was limited to articles in English, Spanish and Portuguese, published until April 2014. Data synthesis: Eleven articles were selected among the 18 found. In 6 of the 11 studies, serum levels of vitamin D in children and/or adolescents with sickle-cell anemia were low. The prevalence of vitamin D deficiency in patients with sickle-cell anemia exceeded that of the comparison group. The low intake of vitamin D, seasonality, exposure to sun, increased metabolism associated with the hemoglobinopathy, and age increase were factors associated with the deficiency. There was an association between a significant vitamin D deficiency and bone weakness and painful crises. There was a positive correlation between increased levels of vitamin D by supplementation and functional, physical capacity. Conclusions: The vitamin D deficiency in children and adolescents with sickle-cell disease is prevalent and requires further studies to demonstrate its association with comorbidities and possible benefits of vitamin D supplementation.
  • Apoio ao aleitamento materno pelos profissionais de saúde: revisão integrativa da literatura Artigos De Revisão

    Almeida, Jordana Moreira de; Luz, Sylvana de Araújo Barros; Ued, Fábio da Veiga

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Fazer uma revisão da literatura para avaliar a prática de profissionais de saúde na promoção e no apoio à amamentação. Fontes de dados: Foram identificados artigos nas bases de dados Scopus, PubMed, Medline, Lilacs, SciELO, Web of Science e Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (Cinahl). Para a pesquisa usaram-se os descritores “aleitamento materno” (breast feeding), “papel profissional” (professional role) e “equipe de assistência ao paciente” (patient care team). A busca limitou-se aos artigos em português, espanhol e inglês e compreendeu os anos de publicação entre 1997 e 2013. Síntese dos dados: A pesquisa encontrou 1.396 estudos, dentre os quais foram selecionados 18 que contemplavam a pergunta norteadora. A pesquisa revelou que a amamentação é um desafio para o profissional de saúde, independentemente da área de atuação, uma vez que ele se depara com uma demanda para a qual não foi preparado e que exige sensibilidade e habilidade em seu trato. Os profissionais de saúde têm considerado a amamentação como um ato puramente instintivo e biológico. Além disso, nota-se que muitos têm domínio teórico do assunto, mas ausência do domínio prático. Conclusões: Os profissionais de saúde precisam ser mais bem capacitados para trabalhar com a promoção do aleitamento materno, seja por meio das instituições de ensino e formação, seja por gestores da saúde, a fim de consolidar equipes multiprofissionais comprometidas com a saúde materno-infantil.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To review the literature in order to evaluate how health professionals promote and support breastfeeding. Data sources: Studies from the following databases were retrieved: Scopus, PubMed, MEDLINE, Lilacs, SciELO, Web of Science and Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (Cinahl). The descriptors “breastfeeding”, “professional role” and “patient care team” were used in the research. The review was limited to articles in Portuguese, Spanish, and English published between 1997 and 2013. Data synthesis: The search retrieved 1396 studies, 18 of which were selected for being directly relevant to the main question. The review showed that breastfeeding is a challenge for health professionals, regardless of their specialization, as they have to face a demand that requires skill and sensibility, for which they are not prepared. Health professionals have considered breastfeeding a purely instinctive and biological act. Moreover, it is noticeable that many of them possess theoretical expertise on the subject, but lack the practical skills. Conclusions: Health professionals need to be better trained to work on promoting breastfeeding, whether by health and medical schools or by healthcare administrators, in order to consolidate multiprofessional teams committed to maternal-infant health.
  • Síndrome de Turner e polimorfismo genético: uma revisão sistemática Artigos De Revisão

    Marqui, Alessandra Bernadete Trovó de

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Apresentar os principais resultados dos estudos que investigaram polimorfismos genéticos em síndrome de Turner, bem como sua associação com alguns sinais clínicos e etiologia desse distúrbio cromossômico. Fontes de dados: Revisão bibliográfica feita no PubMed, sem limite de período, com os seguintes termos: Turner syndrome and genetic polymorphism. Foram identificados 116 artigos e, de acordo com os critérios de inclusão e exclusão, 17 foram selecionados para leitura. Síntese dos dados: Os polimorfismos investigados em pacientes com síndrome de Turner estavam relacionados com déficit de crescimento, que causou baixa estatura, densidade mineral óssea baixa, autoimunidade e anomalias cardíacas, que podem estar presentes com frequências significativas nas pacientes. Também foi verificado o papel dos polimorfismos de único nucleotídeo (SNPs) na etiologia da síndrome de Turner, ou seja, na não disjunção cromossômica. Conclusões: Os polimorfismos genéticos parecem estar associados à síndrome de Turner. Entretanto, por conta dos poucos estudos publicados e dos achados contraditórios, pesquisas em diferentes populações são necessárias para esclarecer o papel dessas variantes genéticas para os sinais clínicos e a etiologia do distúrbio cromossômico.

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To present the main results of the literature on genetic polymorphisms in Turner syndrome and their association with the clinical signs and the etiology of this chromosomal disorder. Data sources: The review was conducted in the PubMed database without any time limit, using the terms Turner syndrome and genetic polymorphism. A total of 116 articles were found, and based on the established inclusion and exclusion criteria 17 were selected for the review. Data synthesis: The polymorphisms investigated in patients with Turner syndrome were associated with growth deficit, causing short stature, low bone mineral density, autoimmunity and cardiac abnormalities, which are frequently found in patients with Turner syndrome. The role of single nucleotide polymorphisms in the etiology of Turner syndrome, i.e., in chromosomal nondisjunction, was also confirmed. Conclusions: Genetic polymorphisms appear to be associated with Turner syndrome. However, in view of the small number of published studies and their contradictory findings, further studies in different populations are needed in order to clarify the role of genetic variants in the clinical signs and etiology of the Turner syndrome.
  • Aerofagia patológica: uma causa rara de distensão abdominal crônica Relato De Caso

    Jesus, Lisieux Eyer de; Cestari, Ana Beatriz C.S.S.; Silva Filho, Orli Carvalho da; Fernandes, Marcia Antunes; Firme, Livia Honorato

    Resumo em Português:

    Resumo Objetivo: Descrever o caso de uma adolescente com aerofagia patológica, uma doença rara causada pela deglutição excessiva e inapropriada de ar, e revisar o tratamento e os diagnósticos diferenciais. Descrição do caso: Menina de 11 anos portadora de retardo mental e cegueira, apresentava problemas comportamentais associados a retardo do desenvolvimento, foi consultada por distensão abdominal persistente por oito meses. Sua história pregressa incluía uma fundoplicatura à Nissen. Tomografia e radiografias abdominais mostravam distensão difusa do trato digestivo por ar, incluindo cólon e delgado. Doença de Hirschsprung foi excluída. A distensão persistiu mesmo após o controle da constipação e era mínima de manhã e máxima à noite. Ruídos audíveis e repetitivos de deglutição de ar foram observados e auscultados. A criança foi tratada farmacologicamente com o diagnóstico de aerofagia patológica associado a distúrbio obsessivo compulsivo, sem sucesso. A paciente foi submetida a gastrostomia descompressiva endoscopia e manteve nutrição oral. Comentários: A aerofagia patológica é uma doença rara e autolimitada em crianças, mas pode ser um problema grave e persistente naquelas com problemas neuropsiquiátricos, nas quais pode causar complicações sérias. Os tratamentos comportamentais e farmacológicos têm pouco sucesso nesse grupo. Casos graves podem precisar de tratamento cirúrgico, principalmente gastrostomia descompressiva

    Resumo em Inglês:

    Abstract Objective: To describe an adolescent with pathologic aerophagia, a rare condition caused by excessive and inappropriate swallowing of air and to review its treatment and differential diagnoses. Case description: An 11-year-old mentally impaired blind girl presenting serious behavior problems and severe developmental delay with abdominal distension from the last 8 months. Her past history included a Nissen fundoplication. Abdominal CT and abdominal radiographs showed diffuse gas distension of the small bowel and colon. Hirschsprung's disease was excluded. The distention was minimal at the moment the child awoke and maximal at evening, and persisted after control of constipation. Audible repetitive and frequent movements of air swallowing were observed. The diagnosis of pathologic aerophagia associated to obsessive-compulsive disorder and developmental delay was made, but pharmacological treatment was unsuccessful. The patient was submitted to an endoscopic gastrostomy, permanently opened and elevated relative to the stomach. The distention was resolved, while maintaining oral nutrition. Comments: Pathologic aerophagia is a rare self-limiting condition in normal children exposed to high levels of stress and may be a persisting problem in children with psychiatric or neurologic disease. In this last group, the disease may cause serious complications. Pharmacological and behavioral treatments are ill-defined. Severe cases may demand surgical strategies, mainly decompressive gastrostomy.
Sociedade de Pediatria de São Paulo R. Maria Figueiredo, 595 - 10o andar, 04002-003 São Paulo - SP - Brasil, Tel./Fax: (11 55) 3284-0308; 3289-9809; 3284-0051 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rpp@spsp.org.br