Revista Paulista de Pediatria, Volume: 37, Número: 2, Publicado: 2019
  • REDUÇÃO DA ADERÊNCIA AO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM DOENÇAS REUMÁTICAS AUTOIMUNES Editorial

    Silva, Clovis Artur
  • CUIDADO PERINATAL EM UM ESTADO DO NORDESTE BRASILEIRO: ESTRUTURA, PROCESSOS DE TRABALHO E AVALIAÇÃO DOS COMPONENTES DO ESSENTIAL NEWBORN CARE Original Article

    Bezerra, Felipa Daiana; Menezes, Maria Alexsandra da Silva; Mendes, Rosemar Barbosa; Santos, José Marcos de Jesus; Leite, Débora Cristina Fontes; Kassar, Samir Buainain; Gurgel, Ricardo Queiroz

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Descrever a estrutura e os processos de atendimento a gestante/recém-nascido, incluindo os componentes do Essential Newborn Care (ENC), das maternidades de Sergipe, Brasil. Métodos: Estudo transversal realizado entre junho de 2015 e abril de 2016 em todas as maternidades de Sergipe (n=11) com mais de 500 partos/ano. Foi aplicado um questionário aos gestores sobre a estrutura e os processos de trabalhos existentes. Posteriormente, um número representativo de puérperas desses hospitais foi entrevistado (n=768) e seus prontuários, bem como o dos recém-nascidos, foram analisados. Resultados: Sergipe conta com 78 leitos de Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) e 90 de Unidade Intermediária (UI) para atendimento da demanda espontânea e programada. Somente seis maternidades (54,5%) realizam a classificação de risco e quatro (36,3%) possuem protocolos para atendimento das parturientes de alto risco. No que se refere aos componentes do ENC, apenas 41% (n=315) das mulheres tiveram contato pele a pele precoce com seu filho, 33,1% (n=254) amamentaram na primeira hora de vida e 18% (n=138) tiveram a presença do acompanhante em todos os momentos do parto. Conclusões: A distribuição de leitos de UTIN entre capital/interior é adequada no Estado, levando-se em consideração a legislação vigente no país. Entretanto, houve baixa adesão aos protocolos das emergências hipertensivas e hemorrágicas, e baixa cobertura das políticas de humanização, da classificação de risco para a gestante e das práticas do ENC, principalmente quanto à amamentação na primeira hora de vida e à presença do acompanhante na parturição.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To describe the structure and the processes of care for pregnant women/newborn infants, including the Essential Newborn Care (ENC), in maternity hospitals in Sergipe State, Brazil. Methods: A cross-sectional study carried out between June 2015 and April 2016 in all maternity hospitals of Sergipe with more than 500 deliveries/year (n=11). A questionnaire on the existing structure and work processes was administered to the managers. Subsequently, a representative number of postpartum women from these hospitals were interviewed (n=768). Their medical records, as well as newborn infants’ records, were also analyzed. Results: Sergipe has 78 beds of Neonatal Intensive Care Unit (NICU) and 90 beds of Intermediate Care Unit (IMCU) to meet spontaneous and programmed demand. Only six maternity hospitals (54.5%) performed the risk classification, and four (36.3%) had protocols for high-risk parturient care. Regarding the ENC components, only 41% (n=315) of the women had early skin-to-skin contact with their babies, 33.1% (n=254) breastfed in the first hour of life, and 18% (n=138) had a companion always during birth. Conclusions: The distribution of NICU beds between capital city and other cities of the State is adequate, considering Brazilian guidelines. However, there was a low adherence to the protocols for hypertensive and hemorrhagic emergencies, and a low coverage of humanization policies, pregnancy risk classification and ENC practices, especially breastfeeding in the first hour of life, and companion always during birth.
  • DETECÇÃO PRECOCE DA MÁ ADESÃO AO TRATAMENTO EM DOENÇAS REUMÁTICAS PEDIÁTRICAS: QUESTIONÁRIO DE ADESÃO EM REUMATOLOGIA PEDIÁTRICA - ESTUDO PILOTO Original Article

    Silva, Vanessa Bugni Miotto e; Okamoto, Karine Yoshiye Kajiyama; Ozaki, Luciana da Silva; Len, Claudio Arnaldo; Terreri, Maria Teresa de Sande e Lemos Ramos Ascensão

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Desenvolver um questionário que permitisse a detecção precoce de pacientes em risco de má adesão ao tratamento medicamentoso e não medicamentoso para crianças e adolescentes com doenças reumáticas crônicas. Métodos: O Questionário de Adesão em Reumatologia Pediátrica (QARP) foi aplicado em pacientes recentemente diagnosticados, de um a quatro meses após a confirmação da doença reumática. Seis meses depois, foi avaliada a adesão do paciente ao tratamento medicamentoso e não medicamentoso. Foi realizada uma análise de consistência interna para eliminar questões redundantes no QARP. Resultados: Ao todo, 33 pacientes foram incluídos no estudo-piloto. Seis meses após a aplicação do QARP, observou-se baixa adesão global em sete pacientes (21,2%) e baixa adesão ao tratamento medicamentoso em oito (24,2%) pacientes. Não foi encontrada correlação entre os escores QARP e as porcentagens de adesão, bem como a estratificação para cada indicador, com exceção de uma tendência a uma correlação entre o indicador socioeconômico e a baixa adesão ao tratamento medicamentoso (p=0,08). Um novo questionário QARP com 25 das 46 perguntas originais foi gerado como resultado da análise de confiabilidade. Conclusões: A utilidade deste questionário na prática clínica ainda deve ser avaliada. Devido à importância de uma ferramenta para a detecção precoce de pacientes reumáticos em risco de má adesão ao tratamento, o novo questionário QARP deve ser revisado e aplicado em um estudo maior para que sua validade e confiabilidade sejam mais bem definidas.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To develop a questionnaire that allows the early detection of patients at risk for poor adherence to medical and non-medical treatment in children and adolescents with chronic rheumatic diseases. Methods: The Pediatric Rheumatology Adherence Questionnaire (PRAQ) was applied in recently diagnosed patients within a period of one to four months after confirmation of the rheumatic disease. After six months, the patients’ adherence to the medical and non-medical treatment was assessed. An internal consistency analysis was conducted to eliminate redundant questions in the PRAQ. Results: A total of 33 patients were included in the pilot study. Six months after the PRAQ had been applied, poor global adherence was observed in seven (21.2%) patients and poor adherence to medical treatment in eight (24.2%) patients. No correlation was observed between the PRAQ scores and the percentages of adherence, as well as the stratification for each index, except for a tendency to a correlation between socioeconomic index and poor adherence to medical treatment (p=0.08). A new PRAQ questionnaire with 25 of the 46 original questions was generated as a result of the reliability analysis. Conclusions: The usefulness of this questionnaire in clinical practice should be still evaluated. Due to the importance of a tool for the early detection of rheumatic patients at risk of poor adherence to treatment, the new PRAQ questionnaire should be reviewed and applied in a larger study to better define its validity and reliability.
  • DOENÇA INVASIVA CAUSADA POR HAEMOPHILUS INFLUENZAE NÃO TIPO B: RELATO DE OITO CASOS Original Article

    Romaneli, Mariana Tresoldi das Neves; Tresoldi, Antonia Teresinha; Pereira, Ricardo Mendes; Garcia, Márcia Teixeira; Hofling, Christian Cruz; Resende, Mariângela Ribeiro

    Resumo em Português:

    ABSTRACT Objetivo: Descrever oito casos de doença invasiva por Haemophilus influenzae não tipo b em crianças internadas no Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas. Descrição dos casos: Em 2015, ocorreram oito casos de doença invasiva por H. influenzae não tipo b. Nas cepas identificadas, testou-se a sensibilidade à ampicilina e a produção de betalactamase, e realizou-se a genotipagem. A tipagem molecular foi feita por Pulsed Field Gel Electrophoresis. Em quatro pacientes, o diagnóstico foi de bacteremia; em dois casos, H. influenzae foi identificado em líquido pleural, e dois pacientes tiveram meningite. Comorbidades foram encontradas em 37,5% dos pacientes. Com exceção da cepa de um dos pacientes (que não foi enviada ao laboratório de referência), todas eram sensíveis à ampicilina e não produtoras de betalactamase. A genotipagem identificou quatro cepas não capsulares, uma cepa tipo c e duas cepas tipo a. A tipagem molecular descartou a transmissão intra-hospitalar, já que todos os sorotipos eram distintos quanto ao genótipo. Comentários: O aumento dos casos de infecção invasiva por H. influenzae não tipo b foi real. Não houve transmissão intra-hospitalar e não foi encontrada justificativa para o aumento. Esses dados indicam a necessidade de vigilância para diagnosticar corretamente, monitorar e entender o espectro da doença causada por H. influenzae não tipo b.

    Resumo em Inglês:

    ASTRACT Objective: To describe eight cases of invasive non-type b Haemophilus influenzae disease in children admitted to Hospital de Clínicas of Universidade Estadual de Campinas. Cases description: In 2015, there were eight cases of invasive non-type b H. influenzae disease. We tested the ampicillin sensitivity and beta-lactamase production of the strains identified and performed the genotyping. Molecular typing was determined by Pulsed-Field Gel Electrophoresis. Four patients were diagnosed with bacteremia; in two cases, H. influenzae was detected in the pleural fluid, and two patients had meningitis. Patients with comorbidities represented 37.5% of cases. Except for the strain of one patient - not sent to the reference laboratory -, all were ampicillin-sensitive and non-beta-lactamase-producing. Genotyping identified four non-capsular, one type c, and two type a strains. Molecular typing ruled out nosocomial transmission since all serotypes were distinct regarding genotype. Comments: The rise in cases of invasive non-type b H. influenzae infection was real. There was no nosocomial transmission, and we found no justification for the increase. These data indicate the need for surveillance to correctly diagnose, monitor, and understand the spectrum of non-type b H. influenzae disease.
  • IMPACTO DA POSIÇÃO DO APÊNDICE SOBRE O DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE APENDICITE DA INFÂNCIA Original Article

    Castro, Belén Aneiros; Novillo, Indalecio Cano; Vázquez, Araceli García; Garcia, Pedro Yuste; Herrero, Eduardo Ferrero; Fraile, Andrés Gómez

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Investigar como os sintomas variam de acordo com a posição do apêndice em pacientes pediátricos e demonstrar que a laparoscopia é segura e eficaz em qualquer posição do apêndice, comparando-as. Métodos: Os prontuários de 1.736 pacientes pediátricos com idade ≤14 anos submetidos à apendicectomia laparoscópica em um período de 14 anos foram analisados retrospectivamente. Os pacientes foram divididos de acordo com a posição do apêndice: anterior, pélvica, retrocecal e sub-hepático. Os testes de Kruskal-Wallis e do qui-quadrado foram usados com a correção de Bonferroni, sendo significante p<0,05. Resultados: A posição do apêndice era anterior em 1.366 casos, retrocecal em 248 casos, pélvica em 66 casos e sub-hepática em 56 casos. Não houve diferenças significativas entre os grupos quanto às variáveis idade e sexo. A dor abdominal foi a única variável com diferenças estatisticamente significantes entre os grupos. A taxa de apêndice perfurado foi superior nas posições sub-hepática e pélvica. As complicações intraoperatórias e a taxa de conversão não foram estatisticamente significativas. As dificuldades técnicas e o tempo cirúrgico foram superiores em posição sub-hepática. A taxa de complicações pós-operatórias foi semelhante entre as diferentes posições, exceto a obstrução intestinal, que foi superior em posição pélvica. Conclusões: Os sintomas da apendicite dificilmente variam com a posição do apêndice. A laparoscopia é segura e eficaz, independentemente da posição do apêndice.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To investigate how symptoms vary according to the appendiceal position in pediatric patients and to demonstrate that the laparoscopic approach is safe and effective in any appendiceal location by comparing each location to another. Methods: The medical records of 1,736 children aged 14 or younger who underwent laparoscopic appendectomy over a period of 14 years were analyzed retrospectively. Patients were divided according to the position of the appendiceal tip into four groups: anterior, pelvic, retrocecal and subhepatic. The Kruskal-Wallis and chi-square tests were used with the Bonferroni correction, with a significant p<0.05. Results: The appendiceal location was anterior in 1,366 cases, retrocecal in 248 cases, pelvic in 66 cases and subhepatic in 56 cases. There were no significant differences between the groups in terms of patient age and gender. Abdominal pain was the only symptom with statistically significant differences between the groups. The rate of perforated appendicitis was higher in the subhepatic and pelvic positions. Intraoperative complications and conversions were not statistically significant. Technical difficulties and operative time were higher in subhepatic position. The rate of postoperative complications was similar between the different locations, except for bowel obstruction, which was higher in pelvic appendicitis. Conclusions: The clinical symptoms of appendicitis hardly ever change with the position of the appendix. The laparoscopic approach is safe and effective, regardless the appendiceal location.
  • EXPOSIÇÃO A POLUENTES DO AR E DOENÇA RESPIRATÓRIA EM MENINOS E MENINAS Original Article

    Menezes, Renata Armani de Moura; Pavanitto, Drielle Rezende; Nascimento, Luiz Fernando Costa

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Identificar associação entre exposição ao material particulado fino e internações por doenças respiratórias em crianças de até dez anos de idade, no município de Cuiabá, MT, estratificando a análise por sexo e calculando excesso de custos. Métodos: Estudo ecológico de séries temporais, sendo a variável dependente o número diário de internações por doenças respiratórias, segundo a 10a Revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID): J04.0, J12.0 a J18.9, J20.0 a J21.9 e J45.0 a J45.0. As variáveis independentes foram a concentração do particulado fino, estimada pelo modelo matemático, além de temperatura e umidade relativa do ar, controladas pelas tendências de curta e longa duração. Foram calculados riscos relativos, risco atribuível proporcional (RAP) e excessos de internações e seus respectivos custos pela fração atribuível populacional (FAP). Resultados: Foram internadas 1.165 crianças (640 meninos e 525 meninas). A concentração média estimada do particulado fino foi 15,1±2,9 mcg/m3 para particulado fino (PM2,5). Para meninos, não houve associação significativa. Para meninas, observou-se risco relativo (RR) de até 1,04 para o número diário de internações por doenças respiratórias em associação à exposição ao PM2,5 nos lags 1, 2 e 6. O aumento de 5 mcg/m3 nessas concentrações associou-se ao aumento do risco em 18% e o RAP atribuído à exposição foi de 20% das internações das meninas, com excesso de 95 internações e de gastos da ordem de R$ 105 mil. Conclusões: Houve associação da exposição ao particulado fino e número de internações por doenças respiratórias de meninas, sugerindo a necessidade de estratificação por sexos em estudos posteriores.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: Identify the association between exposure to fine particulate matter and hospitalizations due to respiratory diseases in children up to ten years of age in the city of Cuiabá, Mato Grosso, stratifying the analysis by sex and calculating excess costs. Methods: Ecological study of time series. The dependent variable was daily hospitalizations according to the 10th Revision of the International Classification of Diseases (ICD10): J04.0, J12.0 to J18.9, J20.0 to J21.9 and J45.0 to J45.0. The independent variables were the concentration of fine particulate, estimated by a mathematical model, temperature and relative air humidity, controlled by short and long-term trends. Generalized additive model of Poisson regression was used. Relative risks, proportional attributable risk (PAR) and excess hospitalizations and their respective costs by the population attributable fraction (PAF) were calculated. Results: 1,165 children were hospitalized, 640 males and 525 females. The mean concentration, estimated by the mathematical model, was 15.1±2.9 mcg/m3 for PM2.5. For boys, there was no significant association; for girls a relative risk of up to 1.04 of daily hospitalizations due to respiratory diseases was observed for exposure to PM 2.5 in lags 1, 2 and 6. Increase of 5 µg/m3 in these concentrations increased the percentage of the risk in 18%; with an excess 95 hospital admissions and with excess expenses in the order of US$ 35 thousand. Conclusions: Significant effect in daily hospitalizations due to respiratory diseases related to exposure to fine particulate matter was noted for girls, suggesting the need for stratification by sex in further studies.
  • CONSUMO DE ALIMENTOS MINIMAMENTE PROCESSADOS E ULTRAPROCESSADOS ENTRE ESCOLARES DAS REDES PÚBLICA E PRIVADA Original Article

    Ferreira, Camila Silva; Silva, Dyene Aparecida; Gontijo, Cristiana Araújo; Rinaldi, Ana Elisa Madalena

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Comparar e analisar o consumo de alimentos minimamente processados e ultraprocessados entre escolares das redes pública e privada. Métodos: Estudo realizado em Uberlândia, MG, com escolares do quinto ano do ensino fundamental em nove escolas (três privadas e seis públicas), selecionados por amostragem estratificada por conglomerado. O consumo alimentar foi analisado utilizando recordatório de 24 horas. Os alimentos foram classificados segundo extensão e propósito do seu processamento em quatro grupos (G): alimentos in natura/minimamente processados (G1), ingredientes culinários (G2), alimentos processados (G3) e ultraprocessados (G4). Os valores energéticos totais (kcal) provenientes de cada grupo, quantidade de açúcar (g), sódio (mg) e fibras (g) foram quantificados e comparados segundo dependência administrativa. Resultados: O consumo de energia foi: G1, 52%; G2, 12%; G3, 5%; e G4, 31%. Os valores energéticos provenientes de G1 (53 vs. 47%), G2 (12 vs. 9%) e G3 (6,0 vs. 0,1%), a quantidade de sódio (3.293 vs. 2.724 mg) e a de fibras (23 vs. 18 g) foram superiores em escolares da rede pública. O valor percentual energético do G4 (36 vs. 28%) e a quantidade de açúcar (20 vs. 14%) foram superiores em escolares da rede privada. O consumo do G1 na escola foi superior nos escolares da rede pública (40 vs. 9%). Conclusões: Alimentos do G1 representam o maior percentual do valor energético total e do G4, um terço das calorias ingeridas. Suco pronto, biscoito recheado, bolo industrializado, cereais matinais são mais frequentes em escolares da rede privada e salgadinhos e suco em pó nos da rede pública.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To compare and analyze the consumption of minimally processed and ultra-processed foods among students from public and private schools. Methods: Study conducted in Uberlândia, MG, with fifth-grade students from three private and six public schools, selected by stratified cluster sampling. We collected data on food consumption using the 24-hour recall. Foods were classified into four groups (G) according to extent and purpose of processing: fresh/minimally processed foods (G1) culinary ingredients (G2), processed foods (G3), and ultra-processed foods (G4). Total energy intake (kcal) of each group, amount of sugar (g), sodium (mg), and fiber (g) were quantified and compared according to administrative affiliation (private or public). Results: Percentage of total energy intake was: G1 - 52%; G2 - 12%; G3 - 5%; e G4 - 31%. Energy intake from G1 (53 vs. 47%), G2 (12 vs. 9%), and G3 (6.0 vs. 0.1%), and amount of sodium (3,293 vs. 2,724 mg) and fiber (23 vs. 18 g) were higher among students from public schools. Energy intake from G4 (36 vs. 28%) and amount of sugar (20 vs. 14%) were higher among students from private schools. The consumption of foods from G1 in the school environment was higher among students from public schools (40 vs. 9%). Conclusions: Foods from G1 represent the highest percentage of total energy intake, while those from G4 constitute a third of calories consumed. Processed juice, sandwich cookie, processed cake, and breakfast cereals are more frequent among private school students; snacks and juice powder are more common for students from public schools.
  • FATORES DE RISCO CARDIOMETABÓLICOS ASSOCIADOS AO DESLOCAMENTO ATIVO À ESCOLA Original Article

    Burgos, Miria Suzana; Tornquist, Debora; Tornquist, Luciana; Reuter, Cézane Priscila; Garcia, Edna Linhares; Renner, Jane Dagmar Pollo; Valim, Andréia Rosane de Moura

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Verificar se existe associação entre fatores de risco cardiometabólicos e deslocamento ativo à escola em crianças e adolescentes. Métodos: Foram avaliados 1.743 escolares, de sete a 17 anos, do município de Santa Cruz do Sul (RS). A forma de deslocamento até a escola foi investigada por meio de questionário e os fatores de risco cardiometabólicos analisados foram: o índice de massa corpórea (IMC), a circunferência da cintura (CC), a pressão arterial sistólica (PAS) e a diastólica (PAD), glicose, triglicerídeos, colesterol total (CT), LDL e HDL. Resultados: A prevalência de deslocamento ativo entre os escolares foi de 48,0% (IC95% 45,7-50,4) e associou-se, na análise bruta, com os níveis de glicose e colesterol LDL. Escolares que se deslocavam de forma passiva apresentaram uma razão de prevalência (RP) 1,1 vez maior de glicose e colesterol LDL elevados. No entanto, ao serem incluídas variáveis sociodemográficas no modelo, essas associações não se mantiveram. Conclusões: Conclui-se que a prevalência de deslocamento ativo na amostra estudada é baixa e que o deslocamento ativo à escola apresentou associação bruta com os níveis sanguíneos de glicose e de colesterol LDL dos escolares, sendo que se deslocar de forma ativa parece auxiliar na redução desses níveis. Porém, fatores sociodemográficos parecem exercer influência sobre estas associações.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To verify if there is an association between cardiometabolic risk factors and active daily commuting to school among children and adolescents. Methods: A total of 1,743 schoolchildren aged 7 to 17 years old were evaluated in the city of Santa Cruz do Sul (RS). The way of commuting to school was investigated with a questionnaire, and the cardiometabolic risk factors analyzed were body mass index (BMI), waist circumference (WC), systolic (SBP) and diastolic (DBP) blood pressure, blood glucose, triglycerides, total cholesterol (TC) and fractions, LDL and HDL. Results: The prevalence of active commuting among schoolchildren was 48.0% (95%CI 45.7-50.4), and it was associated, in the crude analysis, with blood glucose and LDL cholesterol levels. Passive schoolchildren had a 1.1 higher prevalence ratio of high glucose and LDL cholesterol levels. However, when sociodemographic variables were included in the model, these associations were not maintained. Conclusions: The prevalence of active commuting in the sample studied is low and it was shown to have a crude association with glucose and LDL cholesterol levels in students. However, sociodemographic factors seem to influence these associations.
  • NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA EM ADOLESCENTES ASMÁTICOS: ESTUDO TRANSVERSAL COMPARATIVO DE BASE POPULACIONAL Original Article

    Correia, Marco Aurélio de Valois; Costa, Emília Chagas; Barros, Laienne Carla Barbosa de; Soares, Andressa Araújo; Sarinho, Emanuel Sávio Cavalcanti; Rizzo, José Angelo; Sarinho, Silvia Wanick

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Avaliar o nível de atividade física (AF) em asmáticos, comparando com não asmáticos, em estudo populacional. Métodos: Estudo transversal com adolescentes de 13 a 14 anos que participaram do estudo International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC). Os indivíduos foram classificados em três grupos: indivíduos com asma ativa, indivíduos com diagnóstico de asma e assintomáticos respiratórios. Para avaliar o nível de AF, foi utilizado o Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) versão curta. A análise consistiu na comparação de indivíduos com asma ativa, com diagnóstico de asma e assintomáticos, sendo o nível de significância considerado de 5%. Resultados: Participaram da pesquisa 1.591 adolescentes, 791 (49,7%) do sexo masculino. Apresentaram asma ativa 222 (14,0%) indivíduos e diagnóstico de asma 284 (17,8%). Foram fisicamente ativos 55,1% da população. Adolescentes com diagnóstico de asma foram mais ativos do que seus pares não asmáticos (64,4 versus 53,3%; p=0,001). Conclusões: Adolescentes com diagnóstico de asma apresentavam-se fisicamente mais ativos do que seus pares não asmáticos.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To assess the level of physical activity in asthmatics in comparison with non-asthmatics in a population study. Methods: Cross-sectional study with 13 to 14-year-old adolescents who participated in the International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC). The subjects were classified into three groups: individuals with active asthma, individuals diagnosed with asthma, and respiratory asymptomatic individuals. To evaluate the level of physical activity, the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ-short version) was used. The analysis consisted of comparing individuals with active asthma, diagnosed as asthmatic and asymptomatic, with a significance level of 5%. Results: The participants were 1,591 adolescents, of which 791 (49.7%) were male. There were 222 (14.0%) individuals with active asthma and 284 (17.8%) asthma diagnoses; 55% of the population were physically active. Adolescents diagnosed with asthma were more active than their non-asthmatic peers (64.4 versus 53.3%; p=0.001). Conclusions: Adolescents diagnosed with asthma were more physically active than their non-asthmatic peers.
  • IMPACTO DOS CORRELATOS DA ATIVIDADE FÍSICA NA PRESENÇA ISOLADA E COMBINADA DE NÍVEL INSUFICIENTE DE ATIVIDADE FÍSICA E ELEVADO TEMPO DE TELA EM ADOLESCENTES Original Article

    Piola, Thiago Silva; Bacil, Eliane Denise Araújo; Silva, Michael Pereira; Pacífico, Ana Beatriz; Camargo, Edina Maria de; Campos, Wagner de

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Identificar o impacto dos correlatos da atividade física (AF) com a presença isolada e a combinada da prática insuficiente de AFs e do elevado tempo de tela em adolescentes. Métodos: Estudo transversal, representativo, com amostra de 786 adolescentes (16,2±1,1 anos; 53,9% de meninas) selecionados aleatoriamente nas escolas de São José dos Pinhais, PR. Foram analisados: sexo, estado nutricional, classe econômica e maturação sexual. Foram mensurados o nível de AF e o tempo de tela. As associações foram testadas com a regressão de Poisson e a fração atribuível populacional (FAP) verificou o impacto dos correlatos na presença combinada do nível insuficiente de AF e do elevado tempo de tela pela razão de prevalência (RP). Resultados: Foram considerados insuficientemente ativos 84,7% (n=666), com elevado tempo de tela, 96,4% (n=758), e 82,1% (n=645) dos adolescentes apresentaram a presença combinada desses comportamentos. O sexo feminino e a classificação econômica elevada estiveram positivamente associados aos níveis insuficientes de AF (RP=1,19; intervalo de confiança de 95% [IC95%] 1,12-1,27; FAP=15,97 - feminino/ajustado; RP=1,1; IC95% 1,01-1,19; FAP=9,09 - classe elevada/ajustado). O primeiro também se apresentou positivamente associado ao elevado tempo de tela após os ajustes (RP=1,18; IC95% 1,10-1,27; FAP=15,25) e mostrou-se associado positivamente à presença combinada desses comportamentos (RP=1,18; IC95% 1,10-1,27), com um impacto de 15,25% sobre essas condutas. Conclusões: Correlatos da AF podem ter impacto sobre o nível insuficiente de AFs e elevado tempo de tela, quando investigados de formas isolada e combinada, principalmente em relação às meninas.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To identify the impact of physical activity correlates with the isolated and combined presence of insufficient physical activity and high screen time among adolescents. Methods: A cross-sectional representative study was carried out with a sample of 786 adolescents (16.0±1.0 years; 53.9% girls) randomly selected in the schools of São José dos Pinhais, Paraná, Southern Brazil. The physical activity correlates analyzed were sex, nutritional status, economic class and sexual maturation. Physical activity level and screen time were measured and classified according to reference criteria. The associations were tested with Poisson regression and the population attributable fraction (PAF) verified the impact of correlates on the combined presence of insufficient level of physical activity and high screen time by the prevalence ratio (PR). Results: Among the studied adolescents, 84.7% (n=666) were considered insufficiently active, 96.4% (n=758) reported high screen time and 82.1% (n=645) presented the combined presence of these behaviors. The female sex and the high economic status were positively associated with the insufficient level of physical activity (PR=1.19; 95% confidence interval - 95%CI 1.12-1.27; PAF=15.97 - female/adjusted; PR=1,1; 95%CI 1,01-1,19; PAF=9,09 - high/adjusted class). The female sex also was positively associated to high screen time after adjustments (PR=1.18; 95%CI 1.10-1.27; PAF=15.25). The female sex was positively associated with the combined presence of these behaviors (PR=1.18; 95%CI 1.10-1.27) with a 15.25% impact on these behaviors. Conclusions: Physical activity correlates can have an impact on the insufficient level of physical activity and high screen time, especially among girls.
  • ASSOCIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE COM FATORES SOCIODEMOGRÁFICOS, ATIVIDADE FÍSICA, FORÇA MUSCULAR E APTIDÃO AERÓBIA EM ADOLESCENTES DO SUL DO BRASIL Original Article

    Lima, Tiago Rodrigues de; Martins, Priscila Custódio; Moraes, Mikael Seabra; Silva, Diego Augusto Santos

    Resumo em Português:

    RESMO Objetivo: Identificar os fatores sociodemográficos, de atividade física e da aptidão física associados à flexibilidade. Métodos: Estudo transversal com 909 adolescentes (486 meninas) de 14 a 19 anos da cidade de São José, Santa Catarina, Brasil. A flexibilidade foi avaliada por meio do teste de sentar e alcançar. Os dados sociodemográficos e de atividade física foram levantados por meio de questionário autoadministrado. A força muscular foi analisada por meio da dinamometria manual. A aptidão aeróbia foi analisada por meio do teste canadense modificado de aptidão aeróbia, enquanto a atividade física foi avaliada por questionário. Utilizou-se regressão linear múltipla para identificar as variáveis associadas à flexibilidade, com nível de significância de 5%. Resultados: Verificou-se que a cada centímetro a mais nos níveis de flexibilidade nas meninas, os meninos tiveram 2,94 cm a menos de flexibilidade. Ademais, o incremento de 0,12 kg/força nos níveis de força muscular aumentou em 1 cm os níveis de flexibilidade. Conclusões: Menores níveis de flexibilidade estiveram associados aos adolescentes do sexo masculino. Além disso, menores níveis de flexibilidade foram diretamente associados aos adolescentes que apresentavam menores níveis de força.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To identify sociodemographic, physical activity, and physical fitness factors associated with flexibility. Methods: Cross-sectional study with 909 adolescents (486 girls) aged 14 to 19 years from the city of São José, Santa Catarina, Brazil. To evaluate flexibility, we used the sit and reach test. Sociodemographic and physical activity data were collected by a self-administered questionnaire. We analyzed muscle strength with manual dynamometry. Aerobic fitness was assessed with the modified Canadian aerobic fitness test, and physical activity with a questionnaire. We used multiple linear regression to identify the variables associated with flexibility, with a significance level of 5%. Results: For each additional centimeter in the girls’ levels of flexibility, the boys were 2.94 cm less flexible. In addition, the increment of 0.12 kg/force in muscle strength levels increased the levels of flexibility in 1 cm. Conclusions: Lower levels of flexibility were associated with male adolescents and with reduced strength levels.
  • NECESSIDADE SUBJETIVA DE SONO E SONOLÊNCIA DIURNA EM ADOLESCENTES Original Article

    Ferrari, Geraldo Jose; Barbosa, Diego Grasel; Andrade, Rubian Diego; Pelegrini, Andreia; Beltrame, Thais Silva; Felden, Érico Pereira Gomes

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Analisar a contribuição da necessidade subjetiva de sono para a sonolência diurna em adolescentes e comparar questões sobre sono, idade e índice de massa corporal entre os adolescentes que consideram dormir o suficiente e os que julgam necessitar dormir mais. Métodos: Estudo descritivo, epidemiológico e transversal, cuja coleta de dados ocorreu em agosto de 2016 em 773 adolescentes de 14 a 19 anos de Paranaguá, PR, Brasil. As variáveis de análise foram tempo de cama, meia fase do sono e necessidade de mais horas de sono, além do jetlag social, sonolência diurna, índice de massa corpórea (IMC) e atividade física. Resultados: A prevalência de adolescentes com necessidade subjetiva de sono foi 73,0%, sugerindo precisar, em média, de 1,7 hora a mais de sono. Estes acordavam mais cedo (p<0,001) e dormiam menos nos dias de aula (p<0,001). A necessidade de dormir mais associou-se a maiores pontuações de sonolência diurna (rho=0,480; p<0,001) e com meia fase do sono mais tardia (rho=0,200; p<0,001). Não foi identificada correlação entre necessidade de sono e tempo de cama (rho=-0,044; p=0,225). A necessidade subjetiva de sono foi a variável com maior poder explicativo da sonolência diurna (24,8%; p<0,001). Além disso, quanto menos os adolescentes praticavam atividade física, maiores as pontuações de sonolência diurna (rho=-0,117; p<0,001). Conclusões: A percepção subjetiva de sono teve papel importante para explicar a sonolência diurna dos adolescentes. Os jovens que precisavam dormir mais relataram acordar mais cedo e apresentavam privação de sono durante os dias de aula, acordaram mais tarde no final de semana e apresentaram maior sonolência diurna, comparando-se aos que acreditavam dormir o suficiente.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To analyze the contribution of subjective sleep need for daytime sleepiness in adolescents, and to compare questions about sleep, age and body mass index between adolescents who considered to sleep enough and those who reported the need for more sleep. Methods: This is a descriptive, epidemiological and cross-sectional study. Data collection was performed in August 2016, with 773 adolescents aged 14-19 years old, from Paranaguá, Paraná, Southern Brazil. The analysis included the following variables: time in bed, half-sleep phase, sleep need, social jetlag, daytime sleepiness, body mass index and physical activity. Results: The prevalence of adolescents with subjective need for sleep was 73.0%, with an average need of 1.7 extra hours of sleep. These adolescents woke up earlier (p<0.001) and slept less on school days (p<0.001). The need for more sleep was associated with higher daytime sleepiness scores (rho=0.480; p<0.001) and with later half-sleep phase (rho=0.200; p<0.001). No correlation was identified between the sleep need and time in bed (rho=-0.044; p=0.225). The subjective sleep need was the variable with the greatest explanatory power for daytime sleepiness (24.8%; p<0.001). In addition, the less adolescents practiced physical activity, the higher their daytime sleepiness scores (rho=-0.117; p<0.001). Conclusions: The subjective sleep need has an important role in explaining daytime sleepiness among adolescents. Adolescents who needed to sleep more reported waking up early and experienced sleep deprivation during class days; they also woke up later on the weekends and experienced more daytime sleepiness, compared to those who believed they had enough sleep.
  • COMPORTAMENTO DE RISCO PARA BULIMIA EM ADOLESCENTES Original Article

    Brandt, Lorenna Mendes Temóteo; Fernandes, Liege Helena Freitas; Aragão, Amanda Silva; Luna, Thayná Pinto da Costa; Feliciano, Rodrigo Macedo; Auad, Sheyla Márcia; Cavalcanti, Alessandro Leite

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Analisar comportamentos de risco para bulimia em adolescentes do sexo feminino de escolas públicas e particulares. Métodos: Estudo transversal com amostra aleatória de 850 estudantes do sexo feminino, com idades entre 15 e 18 anos, realizado em cidade do Nordeste do Brasil, utilizando o Bulimic Investigatory Test of Edinburgh (BITE) para avaliar comportamentos de risco para transtornos alimentares. Os dados foram analisados utilizando o teste do qui-quadrado de Pearson, o teste exato de Fisher e a regressão de Poisson, com o software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), adotando o nível de significância de p<0,05. Resultados: Da amostra estudada, 42,0% apresentou padrões de risco e práticas de dieta e controle de peso e 1,4% já apresentava sinais de bulimia instalados. O medo de ganhar peso foi relatado por 62,8% das adolescentes. As práticas de risco foram menos frequentes em estudantes de escolas públicas (Odds Ratio - OR - 0,82; intervalo de confiança de 95% - IC95% - 0,69-0,97). Entre as práticas restritivas, jejum por um dia inteiro foi o mais aplicado pelas participantes (29,9%). Entre os indivíduos com situação de risco, quase metade acreditava ter hábitos alimentares normais (razão de prevalência - RP - 0,42; IC95% 0,36-0,49). Estudantes que consideram seus hábitos alimentares normais, que têm medo de ganhar peso, que procuram conforto emocional em alimentos e seguem dietas rigorosas tiveram maior risco para bulimia (p<0,05). Conclusões: O número de estudantes com práticas de comportamento de risco para bulimia é alto, e o número daquelas que desconhecem essa situação também é muito alto. As situações de risco emergem como problemas de saúde coletiva, e indivíduos de escolas particulares são mais propensos a apresentar transtornos alimentares.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To analyze the risk behavior for bulimia among female adolescents from public and private high schools. Methods: A cross-sectional study with a random sample of 850 female students aged 15-18 years was carried out in a city in northeastern Brazil, using the Bulimic Investigatory Test of Edinburgh (BITE) to assess the risk behavior for bulimia. Data were analyzed using the Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) software and the Pearson’s chi-square , Fisher’s exact and robust Poisson regression tests, adopting the significance level of 5%. Results: Less than half of the sample (42.0%) showed standards of dietary risk and weight control practices; in 1.4% of the sample, bulimia signs were already installed. Fear of gaining weight was reported by 62.8% of the subjects. Risk practices were lower among students from public schools; (Odds Ratio - OR - 0.82; confidence interval of 95% - 95%CI - 0.69-0.97). Among restrictive practices, fasting for a whole day was the most applied (29.9% of the students). Among individuals who were at risk situation, almost half believed to have normal eating habits (prevalence ratio - PR - 0.42; 95%CI 0.36-0.49). Individuals who consider their eating habits normal, who are afraid of gaining weight, those who seek emotional comfort in food and follow strict diets had higher risk for bulimia (p<0.05). Conclusions: The number of female adolescent students with risk behavior practices for bulimia is high, and the frequency of those unaware of this situation is also very high. Risk situations emerge as a collective health problem, and individuals from private schools were more likely to be in this situation.
  • FOTOGRAMETRIA: UMA PROPOSTA DE AVALIAÇÃO OBJETIVA DA CAIXA TORÁCICA NA ESCOLIOSE IDIOPÁTICA DO ADOLESCENTE Original Article

    Alexandre, Anderson Sales; Sperandio, Evandro Fornias; Yi, Liu Chiao; Davidson, Josy; Poletto, Patrícia Rios; Gotfryd, Alberto Ofenhejm; Vidotto, Milena Carlos

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Avaliar o formato da caixa torácica em pacientes com escoliose idiopática do adolescente (EIA), comparando-os com indivíduos saudáveis e analisar a associação do formato da caixa torácica com a deformidade da coluna vertebral e função pulmonar em pacientes com EIA. Métodos: Estudo transversal que avaliou 30 pacientes com EIA e 20 indivíduos saudáveis com idade entre 11 e 18 anos. O ângulo de Cobb foi avaliado em pacientes com EIA. O formato da caixa torácica foi analisado pelo método da fotogrametria, utilizando o Software para Avaliação Postural (SAPO). Foram criados marcadores torácicos descritos como ângulos (A)e distâncias (D): A2 (acrômio direito/processo xifoide/acrômio esquerdo), A4E (ângulo formado entre o ponto externo da menor circunferência da cintura e suas bordas superior e inferior do lado esquerdo), A7 (ângulo formado pela interseção das retas tangentes aos ângulos superior e inferior das escápulas), D1D/D1E [distância entre o processo xifoide e a última costela falsa nos lados direito (D) e esquerdo (E)] e D3 (distância entre o processo xifoide e a espinha ilíaca anterossuperior). Resultados: Os marcadores torácicos A2 e A7 foram significativamente maiores, enquanto o A4E e o D1D/D1E foram significativamente menores no grupo EIA em relação ao controle. Foram encontradas correlações moderadas entre: A2 e os ângulos de Cobb torácico principal e proximal (r=0,50 e r=0,47, respectivamente); D1D/D1E e o ângulo de Cobb torácico principal (r=-0,40); e o volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) e D3D (r=0,47). Conclusões: O método da fotogrametria detectou alterações na caixa torácica de pacientes com EIA, além de apresentar correlações significativas entre os ângulos de Cobb e a função pulmonar.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To evaluate the chest wall shape in patients with adolescent idiopathic scoliosis (AIS) in comparison to healthy subjects and the association between the chest wall shape with the spine deformity and lung function in patients with AIS. Methods: This cross-sectional study enrolled 30 AIS patients and 20 healthy subjects aged 11-18 years old. The Cobb angle evaluation was performed in AIS patients. The chest wall shape was assessed by the photogrammetry method, using the Postural Assessment Software (PAS). We created thoracic markers shaped as angles (A) and distances (D), as follows: A2 (right acromion/xiphoid/left acromion), A4L (angle formed between the outer point of the smallest waist circumference and its upper and lower edges on the left side), A7 (angle formed by the intersection of the tangent segments of the upper and lower scapulae angles), D1R/D1L [distance between the xiphoid process and the last false rib on the right (R) and left (L) sides], and D3 (distance between xiphoid process and anterior superior iliac spine). Results: The thoracic markers A2 and A7 were significantly higher, while the A4L and D1R/D1L were significantly reduced in the AIS group compared to the control. Moderate correlations were found between: A2 and the main and proximal thoracic Cobb angles (r=0.50, r=0.47, respectively); D1R/D1L and the main thoracic Cobb angle (r=- 0.40); and the forced expiratory volume in the first second (FEV1) and D3R (r=0.47). Conclusions: The photogrammetry method was able to detect chest wall changes in AIS patients, besides presenting correlation between Cobb angles and lung function.
  • CAPACIDADE DE EXERCÍCIO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM BRONQUIOLITE OBLITERANTE PÓS-INFECCIOSA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA Review Article

    Rodrigues, Camila Menna Barros; Schiwe, Daniele; Campos, Natália Evangelista de; Niederauer, Fabiana; Heinzmann-Filho, João Paulo

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Avaliar a capacidade de exercício em crianças e adolescentes com bronquiolite obliterante pós-infeciosa. Fonte de dados: Trata-se de uma revisão sistemática por meio das bases de dados PubMed, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SciELO) e Physiotherapy Evidence Database (PEDro). Utilizou-se a seguinte estratégia de busca: “Exercise capacity OR Exercise Test OR Physical fitness OR Functional capacity OR Six minute walk test OR Shuttle walk test OR Cardiopulmonary exercise test AND Bronchiolitis obliterans”. Foram selecionados estudos que avaliaram a capacidade de exercício por meio de testes máximos/submáximos em crianças e adolescentes com bronquiolite obliterante pós-infeciosa, sem qualquer outra doença associada. Buscaram-se artigos nos idiomas inglês, português e espanhol e sem restrições quanto ao período de publicação. A qualidade metodológica foi avaliada pelo protocolo da Agency for Health Care Research and Quality (AHRQ). Síntese dos dados: De um total de 81 artigos, apenas 4 foram incluídos nesta revisão. Os estudos totalizaram 135 participantes (121 com bronquiolite obliterante pós-infeciosa e 14 saudáveis), com tamanho amostral entre 14 e 58 sujeitos. Todos avaliaram a função pulmonar por meio da espirometria, observando um padrão ventilatório obstrutivo. Desses, 3/4 avaliaram o desempenho físico pelo teste de caminhada de seis minutos e 2/4 pelo teste de exercício cardiopulmonar. Os resultados desses testes foram comparados a um grupo controle (1/4), bem como apresentados em percentual do previsto e/ou em metros (3/4). Por fim, 3/4 dos estudos demostraram que a capacidade de exercício se encontra reduzida nessa população. Os estudos incluídos foram classificados com alta qualidade metodológica. Conclusões: Os achados do estudo demonstram que crianças e adolescentes com bronquiolite obliterante pós-infeciosa apresentam redução da capacidade de exercício.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To evaluate exercise capacity in children and adolescents with post-infectious bronchiolitis obliterans. Data source: This is a systematic review based on data from PubMed, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SciELO), and Physiotherapy Evidence Database (PEDro). We used the following search strategy: “Exercise capacity OR Exercise Test OR Physical fitness OR Functional capacity OR Six-minute walk test OR Shuttle walk test OR Cardiopulmonary exercise test AND Bronchiolitis obliterans.” We selected studies that evaluated exercise capacity through maximal/submaximal testing in children and adolescents with post-infectious bronchiolitis obliterans, and no other associated disease. We searched articles in English, Portuguese, and Spanish, without restrictions regarding the period of publication. The methodological quality was assessed by the Agency for Healthcare Research and Quality (AHRQ) protocol. Data synthesis: Out of the 81 articles found, only 4 were included in this review. The studies totaled 135 participants (121 with post-infectious bronchiolitis obliterans and 14 healthy), with sample sizes between 14 and 58 subjects. All patients underwent spirometry to evaluate pulmonary function, indicating an obstructive ventilatory pattern. Among them, 3/4 had their physical performance assessed by the six-minute walk test and 2/4 by the cardiopulmonary exercise testing. These test results were compared to those of a control group (1/4) and presented as percentage of predicted and/or in meters (3/4). Lastly, 3/4 of the studies showed reduced exercise capacity in this population. The studies included were classified as having high methodological quality. Conclusions: Findings of the study demonstrate that children and adolescents with post-infectious bronchiolitis obliterans have reduced exercise capacity.
  • EQUAÇÕES PREDITIVAS DO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO POR MEIO DO TESTE SHUTTLE RUN EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA Review Article

    Menezes, Francisco José de; Jesus, Íncare Correa de; Leite, Neiva

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Revisar sistematicamente na literatura o nível de evidência das equações preditivas do pico de consumo de oxigênio (VO2pico) por meio do teste de shuttle run de 20 metros (SR-20m) em crianças e adolescentes. Fonte de dados: As buscas foram conduzidas nas bases de dados eletrônicas Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE) via PubMed, ScienceDirect, Web of Science, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Scientific Electronic Library Online (SciELO), de agosto a setembro de 2017, nos idiomas inglês e português. Os critérios de inclusão utilizados foram: estudos originais, com resumo disponível, com equações para predição do VO2pico por meio do SR-20m, adolescentes e/ou crianças, não atletas e com análise correlacional do VO2pico predito e mensurado. O nível de evidência das equações foi caracterizado com base no risco de viés dos estudos, no qual se adotou os seguintes critérios: número da amostra, características da amostra e análise estatística. Síntese dos dados: Dezoito estudos foram selecionados, nos quais 12 equações foram encontradas e analisadas. Os estudos foram conduzidos com amostras de ambos os sexos com idades de oito a 19 anos. As equações de Léger e Matsuzaka foram classificadas com forte nível de evidência, com variação de amplitude de estimativa entre r=0,54-0,90 e r=0,65-0,90. Enquanto as equações Ruiz, Barnett e Matsuzaka foram consideradas de evidência moderada, com variação de amplitude de estimativa entre r=0,75-0,96, r=0,66-0,84 e r=0,66-0,89, respectivamente. Conclusões: A equação de Matsuzaka apresentou parâmetros satisfatórios para estimar o VO2pico em crianças e adolescentes. Embora não explorados em equações, a adiposidade corporal e o estágio puberal demonstram associações relevantes com a aptidão cardiorrespiratória em crianças e adolescentes.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To systematically review the literature as for the level of evidence of predictive equations of VO2peak through the 20-meter shuttle run test (20m-SRT) in children and adolescents. Data sources: Searches were conducted independently by two researchers, according to the procedures adopted by PRISMA, in the electronic databases MEDLINE via PubMed, ScienceDirect, Web of Science, LILACS and SciELO, for articles published until September 2017 in English and Portuguese. The inclusion criteria were: original studies, abstract available, using predictive equations of VO2peak through 20m-SRT, conducted with adolescents and/or children, non-athletes, and mentioning correlation analysis between predicted and measured VO2peak. The level of evidence of equations was based on the risk of bias of the studies using the following criteria: sample number, sample characteristics, and statistical analysis. Data synthesis: Eighteen studies were selected, in which fifteen equations were found and analyzed. The studies had been conducted with samples composed of subjects of both sexes, aged 8 to 19 years. Equations of Léger and Matsuzaka had their level of evidence classified as high, and estimation ranged between r=0.54-0.90 and r=0.65-0.90. Equations by Ruiz, Barnett and Matsuzaka had their level of evidence classified as moderate, and estimation ranged between r=0.75-0.96, r=0.66-0.84 and r=0.66-0.89, respectively. Conclusions: Matsuzaka’s equation presented satisfactory parameters for estimates of VO2peak in children and adolescents. Although not explored in equations, body adiposity and pubertal stage are significantly associated with cardiorespiratory fitness in children and adolescents.
  • DOR PRECORDIAL, LEUCOCITOSE E BICITOPENIA EM ADOLESCENTE COM ARTRITE IDIOPÁTICA JUVENIL SISTÊMICA EM TERAPIA IMUNOSSUPRESSORA Case Report

    Vieira, Marina de Sousa; Andrade, Flávia Regina de; Brandão, Letícia Maria Kolachinski Raposo; Nóbrega, Virgínia Tafas da; Guissa, Vanessa Ramos; Provenza, José Roberto

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Destacar a importância do conhecimento sobre os novos critérios de classificação para síndrome de ativação macrofágica (SAM) na artrite idiopática juvenil sistêmica para reduzir a morbidade e mortalidade desse desfecho. Descrição do caso: Adolescente do sexo feminino de 12 anos de idade, em terapia imunossupressora por diagnóstico de artrite idiopática juvenil sistêmica há 2 anos, com quadro de tosse, dor precordial aguda, taquipneia, taquicardia e hipoxemia há 2 dias. A tomografia de tórax evidenciou efusão pleural laminar bilateral com consolidação bibasal. O eletrocardiograma foi compatível com pericardite aguda, e o ecocardiograma foi normal. Os exames laboratoriais revelaram anemia, leucocitose e aumento da velocidade de hemossedimentação, proteína C-reativa e marcadores séricos de lesão miocárdica. Infecção sistêmica e/ou doença sistêmica em atividade foram consideradas. A paciente foi tratada com antibióticos e glicocorticoide. Entretanto, dez dias depois, evoluiu com doença sistêmica em atividade (febre, exantema e miopericardite com insuficiência cardíaca) associada à SAM, de acordo com o 2016 Classification Criteria for Macrophage Activation Syndrome in Systemic Juvenile Idiopathic Arthritis, e necessitou de cinco dias de pulsoterapia com glicocorticoide, imunoglobulina e ciclosporina A, com melhora de todos os parâmetros clínicos e laboratoriais. Comentários: A miopericardite com sinais de insuficiência cardíaca associada à SAM é uma apresentação clínica rara da artrite idiopática juvenil sistêmica, que ocorre principalmente em períodos de atividade sistêmica da doença e pode ser deflagrada por infecções. O conhecimento sobre essa síndrome é fundamental para reduzir morbidade e mortalidade desse grave desfecho.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To highlight the importance of the new classification criteria for the macrophage activation syndrome (MAS) in systemic juvenile idiopathic arthritis in order to reduce morbidity and mortality outcome related to this disease. Case description: A 12-year-old female patient with diagnosis of systemic juvenile idiopathic arthritis under immunosuppression therapy for two years developed cough, acute precordial chest pain, tachypnea, tachycardia and hypoxemia for two days. Chest tomography showed bilateral laminar pleural effusion with bibasilar consolidation. The electrocardiogram was consistent with acute pericarditis and the echocardiogram showed no abnormalities. Laboratory exams revealed anemia, leukocytosis and increased erythrocyte sedimentation rate, as well as C-reactive protein rate and serum biomarkers indicative of myocardial injury. Systemic infection and/or active systemic juvenile idiopathic arthritis were considered. She was treated with antibiotics and glucocorticoids. However, 10 days later she developed active systemic disease (fever, evanescent rash and myopericarditis with signs of heart failure) associated with macrophage activation syndrome, according to the 2016 Classification Criteria for Macrophage Activation Syndrome in Systemic Juvenile Idiopathic Arthritis. She was treated for five days with pulse therapy, using glucocorticoids, immunoglobulin and cyclosporine A, with improvement of all clinical signs and laboratory tests. Comments: Myopericarditis with signs of heart failure associated with MAS is a rare clinical presentation of systemic juvenile idiopathic arthritis. Macrophage activation syndrome occurs mainly during periods of active systemic juvenile idiopathic arthritis and may be triggered by infection. Knowledge about this syndrome is crucial to reduce morbidity and mortality.
  • XANTOGRANULOMA JUVENIL: UM CASO CLÍNICO Case Report

    Silva, Sara Pires da; Viveiros, Catarina; Almeida, Rui; Pereira, Marta Almeida; Vaz, Rute; Portela, Alexandrina

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Descrever um caso raro de xantogranuloma juvenil em recém-nascido. Descrição do caso: Apresentamos o caso de um recém-nascido pré-termo de 31 semanas com múltiplas lesões cutâneas cuja clínica, histologia e imuno-histoquímica permitiram o diagnóstico de xantogranuloma juvenil. Atualmente, com nove meses de idade, não apresenta agravamento das lesões nem evidência de envolvimento extracutâneo, nomeadamente oftálmico. Comentários: O xantogranuloma juvenil é uma patologia rara e benigna, pertencente ao vasto grupo das histiocitoses não Langerhans. Surge tipicamente em idade pediátrica, podendo ter apresentação neonatal. O envolvimento é predominantemente cutâneo sob a forma de pápulas ou nódulos de coloração amarela e/ou eritematosos, assintomáticos, solitários ou múltiplos. O envolvimento extracutâneo é mais frequente em crianças com menos de dois anos e com múltiplas lesões, sendo o olho o local mais afetado. Destacamos este caso clínico pela apresentação no período neonatal e sob a forma de múltiplas lesões, o que lhe confere risco acrescido de envolvimento extracutâneo, sem que, no entanto, tal se tenha verificado.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To report a rate case of Juvenile xanthogranuloma in a newborn infant. Case description: We present the case of a 31-week preterm newborn with multiple skin lesions whose clinical, histological and immunohistochemical findings allowed the diagnosis of juvenile xanthogranuloma. Currently, the patient has nine months-old, and there is no aggravation of the skin lesions or evidence of extra-cutaneous involvement, particularly ophthalmic. Comments: Juvenile xanthogranuloma is a rare and benign condition, included in the vast group of non-Langerhans histiocytosis. It typically occurs in the pediatric age and may have a neonatal presentation. It affects predominantly the skin, in the form of papules or yellow and/or erythematous nodules and could be asymptomatic, multiple or solitary. Extra-cutaneous involvement, is more common in toddlers and when multiple lesions are present. The eye is the most affected site. We highlight this clinical case by its presentation in the neonatal period and in the form of multiple lesions, which bestows an increased risk of extra-cutaneous involvement, although this has not yet been verified.
  • ERRATA: Aleitamento materno e consumo de alimentos adoçados Errata

Sociedade de Pediatria de São Paulo R. Maria Figueiredo, 595 - 10o andar, 04002-003 São Paulo - SP - Brasil, Tel./Fax: (11 55) 3284-0308; 3289-9809; 3284-0051 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rpp@spsp.org.br