Accessibility / Report Error

Observações sobre calazar em Jacobina, Bahia. VI - Investigações sobre reservatórios silvestres e comensais

I. A. Sherlock J.C. Miranda M. Sadigursky G. Grimaldi Jr. Sobre os autores

Resumos

Durante os anos de 1982 a 1986, a investigação sobre mamíferos comensais e silvestres, da periferia da cidade de Jacobina, Bahia, mostrou, ao lado do escasso número de exemplares, uma reduzida variedade específica dessa fauna. Capturou-se apenas 11 espécies, entre as quais, predominou o Didelphis albiventris, que abrangeu 44% dos 213 espécimens capturados. Entre os 193 com exames já concluídos, 84 eram exemplares de D. albiventris e 2 estavam infectados pela Leishmania donovani senso lato, 1 por L. mexicana amazonensis, 1 por L. braziliensis, subespécie e 3 por Trypanosoma cruzi Também foram observadas formas suspeitas de serem amastigotas de leishmanics, nos esfregaços de órgãos de 3 exemplares de Dasyprocta aguti, 1 Cercomys cunicularius - e 1 Oryzomys eliurus. 0 restante dos exemplares, inclusive 14 de Lycalopex vetulus, estava negativo para flagelados. Apesar de reforçado por outros indicadores epidemiológicos, como a predominância específica, a freqüência domiciliar, a atratividade para a vetora Lutzomyia longipalpis, e a concomitância com casos humanos nos mesmos locais, o índice de 2,3% de infecção natural do Didelphis albiventris, não autoriza a conclusão definitiva de ser o marsupial o mais importante reservatório natural da leishmaniose visceral em Jacobina.

Leishmaniose visceral americana; Reservatórios silvestres; Didelphis albiventris; Leishmania donovani; Leishmania mexicana amazonensis; Leishmania brasiliensis subespécie


From 1982 to 1986, investigations on the natural infection with leishmanias of the sylvatic and commensal mammals were carried out around the city of Jacobina, Bahia, one of the oldest endemic foci of visceral leishmaniasis in Brazil. The species of Marsupialia Didelphis albiventris predominated, with the rate of 44%, over the total of 213 specimens belonging to only 11 different species of mammals collected there. Among the 84 specimens of D. albiventris examined, 2(2.3%) were infected with Leishmania donovani sensu lato; 1 with L. mexicana amazonensis, 1 with L. braziliensis sub species, and 3 with Trypanosoma cruzi. Also, amastigote suspected bodies were seen in the smears of spleens and livers of 3 Dasyprocta aguti, 1 Cercomys cunnicularius and 1 Oryzomys sp. Although strengthened by some epidemiological evidences, such as specific predominancy, peri domestic and domestic occurrence, attractivenessfor the vector Lutzomyia longipalpis and the concomitancy with human cases of visceral leishmaniasis at the same place, the low rate of the natural infection of D. marsupialis still do not allow a definitive conclusion that the oppossum is a primary and the most important reservoir of visceral leishmaniasis in Jacobina.


ARTIGOS

Observações sobre calazar em Jacobina, Bahia. VI - Investigações sobre reservatórios silvestres e comensais

I. A. SherlockI; J.C. MirandaI; M. SadigurskyI; G. Grimaldi Jr.II

ICentro de Pesquisas GonçaloMoniz-FIORUZ/UFBa- Salvador, Bahia

IIInstituto Oswaldo Cruz FIOCRUZ - Rio de Janeiro. Financiado pelo International Development Research Centre, Canadá

RESUMO

Durante os anos de 1982 a 1986, a investigação sobre mamíferos comensais e silvestres, da periferia da cidade de Jacobina, Bahia, mostrou, ao lado do escasso número de exemplares, uma reduzida variedade específica dessa fauna. Capturou-se apenas 11 espécies, entre as quais, predominou o Didelphis albiventris, que abrangeu 44% dos 213 espécimens capturados. Entre os 193 com exames já concluídos, 84 eram exemplares de D. albiventris e 2 estavam infectados pela Leishmania donovani senso lato, 1 por L. mexicana amazonensis, 1 por L. braziliensis, subespécie e 3 por Trypanosoma cruzi Também foram observadas formas suspeitas de serem amastigotas de leishmanics, nos esfregaços de órgãos de 3 exemplares de Dasyprocta aguti, 1 Cercomys cunicularius - e 1 Oryzomys eliurus. 0 restante dos exemplares, inclusive 14 de Lycalopex vetulus, estava negativo para flagelados.

Apesar de reforçado por outros indicadores epidemiológicos, como a predominância específica, a freqüência domiciliar, a atratividade para a vetora Lutzomyia longipalpis, e a concomitância com casos humanos nos mesmos locais, o índice de 2,3% de infecção natural do Didelphis albiventris, não autoriza a conclusão definitiva de ser o marsupial o mais importante reservatório natural da leishmaniose visceral em Jacobina.

Palavras-chave: Leishmaniose visceral americana. Reservatórios silvestres. Didelphis albiventris. Leishmania donovani. Leishmania mexicana amazonensis. Leishmania brasiliensis subespécie.

ABSTRACT

From 1982 to 1986, investigations on the natural infection with leishmanias of the sylvatic and commensal mammals were carried out around the city of Jacobina, Bahia, one of the oldest endemic foci of visceral leishmaniasis in Brazil.

The species of Marsupialia Didelphis albiventris predominated, with the rate of 44%, over the total of 213 specimens belonging to only 11 different species of mammals collected there. Among the 84 specimens of D. albiventris examined, 2(2.3%) were infected with Leishmania donovani sensu lato; 1 with L. mexicana amazonensis, 1 with L. braziliensis sub species, and 3 with Trypanosoma cruzi. Also, amastigote suspected bodies were seen in the smears of spleens and livers of 3 Dasyprocta aguti, 1 Cercomys cunnicularius and 1 Oryzomys sp.

Although strengthened by some epidemiological evidences, such as specific predominancy, peri domestic and domestic occurrence, attractivenessfor the vector Lutzomyia longipalpis and the concomitancy with human cases of visceral leishmaniasis at the same place, the low rate of the natural infection of D. marsupialis still do not allow a definitive conclusion that the oppossum is a primary and the most important reservoir of visceral leishmaniasis in Jacobina.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 9/3/87.

  • 1. Badaró RJ S. Epidemiologia da leismaniose visceral. Estudo prospectivo da infecção e doença na área endêmica de Jacobina-Bahia (1980-1984). Tese Mestrado. Universidade Federal da Bahia, 1985.
  • 2. Deane LM. Leishmaniose visceral no Brasil. Estudos sobre reservatórios e transmissores realizados no Estado do Ceará. Serviço Nacional de Educação Sanitária, Rio de Janeiro, 1956.
  • 3. Lainson R. Our present knowledge of the ecology and control of Leishmaniasis in the Amazon Region of Brazil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 18:47-56, 1985.
  • 4. Sherlock IA. Observações sobre calazar em Jacobina, Bahia. I - Histórico e dados preliminares. Revista Brasileira de Malariologiae Doenças Tropicais 21:523-534, 1969.
  • 5. Sherlock IA, Almeida SP. Observações sobre calazar em Jacobina, Bahia. II - Leishmaniose canina. Revista Brasileira de Malariologia e Doenças Tropicais 21:535- 540, 1969.
  • 6. SherlocklA, Almeida SP. Observações sobre calazar em Jacobina, Bahia. V-Resultados de medidas profiláticas. Revista Brasileira de Malariologia e Doenças Tropicais 22:715-728, 1970.
  • 7. Sherlock IA, Guitton N. Observações sobre calazar em Jacobina, Bahia. III - Alguns dados sobre o Phlebotomus longipalpis o principal transmissor. Revista Brasileira de Malariologia e Doenças Tropicais 21:541-548, 1969.
  • 8. Sherlock IA, Guitton N. Observações sobre calazar em Jacobina, Bahia. IV - Variação horária e estacionai do Phlebotomus longipalpis Revista Brasileira de Malariologia e Doenças Tropicais 21:715-728, 1969.
  • 9. Sherlock IA, Miranda JC, Sadigursky M, Grimaldi Jr. G. Natural infection of the opossum Didelphis albiventris (Marsupialia Didelphidae) with Leishmania donovani in Brazil. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz 79:461-470, 1984.
  • 10. Teixeira R. Experiências vividas com a leishmaniose visceral 1954/1980 (Aspectos epidemiológicos, sorológicos e evolutivos). Tese. Universidade Federal da Bahia, 1980.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    29 Maio 2013
  • Data do Fascículo
    Mar 1988

Histórico

  • Aceito
    09 Mar 1987
  • Recebido
    09 Mar 1987
Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Caixa Postal 118, 38001-970 Uberaba MG Brazil, Tel.: +55 34 3318-5255 / +55 34 3318-5636/ +55 34 3318-5287, http://rsbmt.org.br/ - Uberaba - MG - Brazil
E-mail: rsbmt@uftm.edu.br