Accessibility / Report Error

A possível cura espontânea da Esquistossomose mansoni humana: "follow-up" de três pacientes treze anos após as manifestações da forma aguda, toxémica. Nota prévia

Resumos

Os aa. estudaram três casos da forma aguda, toxêmica, não tratados especificamente e que evoluíram, tanto quanto puderam averiguar, para a cura espontânea. Como se trata de uma nota prévia, não se aprofundaram em considerações de ordem teórica.


The authors have studied three cases of Schistosomiasis mansoni in the acute, toxemíc stage, which had not gone under any type of specific medical treatment. As far as the authors could investigate, the cases studied have obtained expontaneous recovery. As it is a preliminary report the authors do not present the theoretical aspects of the matter.


A possível cura espontânea da Esquistossomose mansoni humana. "Follow-up" de três pacientes treze anos após as manifestações da forma aguda, toxémica. Nota prévia* * Trabalho realizado com o auxílio do CNPq. Trabalho do Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal e de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG.

Pedro RasoI; Jayme NevesI; Luigi BoglioloI; Washington Luiz TafuriI; Enio Pietra PedrosoII

IProfessores titulares

IIAssistente de ensino

RESUMO

Os aa. estudaram três casos da forma aguda, toxêmica, não tratados especificamente e que evoluíram, tanto quanto puderam averiguar, para a cura espontânea. Como se trata de uma nota prévia, não se aprofundaram em considerações de ordem teórica.

ABSTRACT

The authors have studied three cases of Schistosomiasis mansoni in the acute, toxemíc stage, which had not gone under any type of specific medical treatment. As far as the authors could investigate, the cases studied have obtained expontaneous recovery.

As it is a preliminary report the authors do not present the theoretical aspects of the matter.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 10.1.1978.

  • 1. BARBOSA, F.S.: Epidemiologia. In Esquistossomose mansoni. Cunha, A.S. Ed., Savier Editora da Universidade de São Paulo, Cap. III, pgs. 31-59, 1970.
  • 2. BOGLIOLO, L.: Subsídios para o estudo da anatomia patológica da forma aguda da esquistossomose mansônica. Tese doutoramento Cad. Anatomia e Fisiologia Patológica da Fac. Med. da UFMG., Belo Horizonte, 1958.
  • 3. COALHO, M.de V.:'0 Parasito - Schistossoma mansoni. In Esquistossomose mansoni. Cunha, A.S. Ed., Savier Editora da Universidade de São Paulo, Cap. I, pgs. 1-12, 1970.
  • 4. DIAS, L.B.: DePAOLA, D. &SILVA, J.R. da.: Esquistossomose experimental do camundongo: histogênese do granuloma esquistossomótico. Rev. Inst. Med. Trop., São Paulo, 4: 140-148, 1962.
  • 5. GONNERT, R.: Schistosomiasis-Studien. 4. Zur Pathologie der Schistosomiasis der Maus. Zeit. Tropenmed. u. Parasit., 6: 279-336, 1955.
  • 6. KATZ, N. & BRENER, Z.: Evolução clínica de 112 casos de esquistossomose mansoni observados em 10 anos de permanência em focos endêmicos de Minas Gerais. Rev. Inst. Med. Trop. São Paulo, 8 : 139-142, 1966.
  • 7. KLOETZEL, K.: Aspectos epidemiológicos da esquistossomose mansônica em uma população de Pernambuco. Tese, São Paulo, 1962.
  • 8. LURIE, H. I. & DeMEILLON, B.: Experimental bilharziasis in laboratory animals. III. A comparison of the pathogenicity of. S. bovis, South African and Egyptian strains of S. mansoni and S. haematobium. So. African M.J., 30 :79-82,1956.
  • 9. LURIE, H.l. & DeMEILLON, B.: Experimental bilharziasis in laboratory animal. V. lmmunity inmiceproduced by repeated small infections. So. African M.J., 31 : 68-69, 1957.
  • 10. NEVES, J.: Quadro clínico. In Esquistossomose mansoni. Cunha, A. S. Ed., Savier Editora da Universidade de São Paulo, Cap. VI, pgs. 131-191, 1970.
  • 11. NEVES, J. & RASO, P.: Estudo clínico do tratamento da forma toxêmica da esquistossomose mansoni. Considerações anátomo-clínicas. O Hospital, 64:679-720,1963.
  • 12. RASO, P. & BOGLIOLO, L.: Patologia. In Esquistossomose mansoni. Cunha A.S. Ed., Savier Editora da Universidade de São Paulo, Cap. V, pgs. 77- 130, 1970.
  • 13. RASO, P. & NEVES, J.: Contribuição ao conhecimento do quadro anatômico do fígado na forma toxêmica da esquistossomose mansoni através de punções biópsias. Anais Fac. Med. Univ. Minas Gerais, 22: 147-165, 1965.
  • 14. WHO EXPERT COMMITEE: Epidemiology on control of Schistosomiasis. Who. Tech. Report Series no 37,25p., 1967.
  • *
    Trabalho realizado com o auxílio do CNPq. Trabalho do Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal e de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      10 Jun 2013
    • Data do Fascículo
      Dez 1978

    Histórico

    • Aceito
      10 Jan 1978
    • Recebido
      10 Jan 1978
    Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Caixa Postal 118, 38001-970 Uberaba MG Brazil, Tel.: +55 34 3318-5255 / +55 34 3318-5636/ +55 34 3318-5287, http://rsbmt.org.br/ - Uberaba - MG - Brazil
    E-mail: rsbmt@uftm.edu.br