Índice de transmissão da esquistossomose mansônica na Cidade de Riachuelo, Sergipe

Antonio Paulo de Menezes J. Rodrigues Coura

Resumos

Realizou-se um estudo para a determinação do índice de transmissão da esquistossomose mansônica na cidade de Riachuelo, no estado de Sergipe, cuja prevalência determinada previamente pelo exame de fezes foi de 50,54%. Considerou-se como índice de transmissão, a percentagem de crianças de 0 a 10 anos com exames negativos (fezes ou reação intradérmica) que após 1 ano de exposição aos focos, tornam positivos os mesmos. Dividiu-se a cidade em duas áreas distintas do ponto de vista econômico e sanitário (área I e área II) e calcularam-se os índices de transmissão através de exames de fezes e de reação intradérmica. Observou-se que a área I, de melhor condições econômicas e sanitárias apresentou índices de transmissão discretamente menores, tanto por exames de fezes (11,62%) quanto por reação intradérmica (13,46%), quando comparadas com a área II (12,39% e 17,59%, respectivamente). Os autores concluem, que os índices de transmissão decorrem da intensidade de contato entre as crianças e os focos de infecção e que os mesmos refletem o nível de higiene e de educação sanitária da comunidade. Julgam também que ações de saúde pública visando o combate à esquistossomose, podem ser avaliados em função da determinação da oscilação destes índices.


A study to the determination of schistomiasis mansoni transmission rate was done in the city of Riachuelo, state of Sergipe, in wich the prevalence in stool examination was determined in advance, as 50,54%. As transmission rate, it was considered, the percentual of children between 0 and 10 years old, with negative examinations (stool or intradermoreaction) who, after a year exposition to the focus, turn it positive. The city was divided in two different areas, such as: area I - economic and area II - sanitary, and the transmission rate has been estimated through stool examination and intradermoreaction. It was observed that the area I, with better economics and sanitary conditions presented a smaller transmission rate, such in stool examination (11,62%), as in intradermoreaction (13,46%), when compared to area II (12,39% and 17,59%). The authors condude that the transmission rate comes from the intensity contact between the children and the infectious focus, which reflects the comunity level of hygiene and sanitary education. They consider, too, public Health proceedings aimed to schistomiasis struggle, can be estimated through the determination of rate oscilation.


Índice de transmissão da esquistossomose mansônica na Cidade de Riachuelo, Sergipe* * Trabalho realizado com o auxílio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Antonio Paulo de Menezes; J. Rodrigues Coura

Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da UFRJ

RESUMO

Realizou-se um estudo para a determinação do índice de transmissão da esquistossomose mansônica na cidade de Riachuelo, no estado de Sergipe, cuja prevalência determinada previamente pelo exame de fezes foi de 50,54%.

Considerou-se como índice de transmissão, a percentagem de crianças de 0 a 10 anos com exames negativos (fezes ou reação intradérmica) que após 1 ano de exposição aos focos, tornam positivos os mesmos.

Dividiu-se a cidade em duas áreas distintas do ponto de vista econômico e sanitário (área I e área II) e calcularam-se os índices de transmissão através de exames de fezes e de reação intradérmica. Observou-se que a área I, de melhor condições econômicas e sanitárias apresentou índices de transmissão discretamente menores, tanto por exames de fezes (11,62%) quanto por reação intradérmica (13,46%), quando comparadas com a área II (12,39% e 17,59%, respectivamente).

Os autores concluem, que os índices de transmissão decorrem da intensidade de contato entre as crianças e os focos de infecção e que os mesmos refletem o nível de higiene e de educação sanitária da comunidade. Julgam também que ações de saúde pública visando o combate à esquistossomose, podem ser avaliados em função da determinação da oscilação destes índices.

ABSTRACT

A study to the determination of schistomiasis mansoni transmission rate was done in the city of Riachuelo, state of Sergipe, in wich the prevalence in stool examination was determined in advance, as 50,54%.

As transmission rate, it was considered, the percentual of children between 0 and 10 years old, with negative examinations (stool or intradermoreaction) who, after a year exposition to the focus, turn it positive.

The city was divided in two different areas, such as: area I — economic and area II — sanitary, and the transmission rate has been estimated through stool examination and intradermoreaction.

It was observed that the area I, with better economics and sanitary conditions presented a smaller transmission rate, such in stool examination (11,62%), as in intradermoreaction (13,46%), when compared to area II (12,39% and 17,59%).

The authors condude that the transmission rate comes from the intensity contact between the children and the infectious focus, which reflects the comunity level of hygiene and sanitary education.

They consider, too, public Health proceedings aimed to schistomiasis struggle, can be estimated through the determination of rate oscilation.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 20.1.1978.

  • 1. BARBOSA, F.S.: Morbidade da esquistossomose. Rev. Bras. Matar. Número especial: 3-159, 1966.
  • 2. BRENER, Z. e MOURÃO, O.G.: Inquérito clínico-epidemiológico em focos endêmicos de esquistossomose mansoni em Minas Gerais. Rev. Bras. Malar. 8: 519-526, 1956.
  • 3. CONCEIÇÃO, M.J.: Morbiadade da esquistossomose mansoni.em uma comunidade rural de Minas Gerais, Tese. Rio de Janeiro, 1976. 91 p.
  • 4. FAROOQ, M. e HAIRSTON, N.G.: The epidemiology of Schistosoma haematobium and S. mansoni infections in the Egypt-49 project área (4-measurement of the incidence of bilharziais). Bull. Wld. Org. 35: 331-338, 1966.
  • 5. KAGAN, I.G.;PELEGRINO,J.e MEMÓRIA, J.M.P.: Studies on the standartization of the intradermal test for diagnosis of bilharziasis. Amer. J. Trop. Hyg. 10: 200-207, 1961.
  • 6. KLOETZEL, K.: Algumas observações de epidemiologia da esquistossomose na infância. Hospital, 55:661-669,1959.
  • 7. MENEZES, A.P.: Esquistossomose mansônica no município de Riachuelo, Sergipe. Tese. Rio de Janeiro, 1976, 140 p.
  • 8. MENEZES, A.P. e Coura, J.R.: Estudo seccional sobre esquistossomose mansônica no município de Riachuelo, Estado de Sergipe. Rev. Soc. Bras. Med. Trop, em publicação.
  • 9. PELEGRINO, J.; BRENER, Z. e SILVA, J.F.: Estudo comparativo entre a reação intradérmica e o exame de fezes no diagnóstico da esquistossomose mansoni. I. Observações feitas em crianças residentes em focos de alta endemicidade. Rev. Bras. Malar. 10: 291-296, 1958.
  • 10. PELEGRINO, J.; BRENER, Z. e MEMÓRIA, J.M.P.: A comparative study of intradermal tests and stool examination in epidemiological surveys on schistosomiasis mansoni. Amer. J. Trop. Med. Hyg. 8:307-311, 1959.
  • 11. PESSOA, S.B. e AMORIM, J.P.: Contribuição para a história natural da esquistossomose mansônica no Nordeste brasileiro e sugestões para a sua profilaxia. Rev. Bras. Malar., 9: 5-18 1957(a).
  • 12. PESSOA, S.B e AMORIM, J.P.: Notas sobre a esquistossomose mansônica em algumas localidade de Alagoas. Rev. Bras. Med. 14: 420-422, 1957(b).
  • 13. PRATA, A.: Esquistossomose mansônica, in Veronesi, R. Doenças Infecciosas e Parasitárias. 4a edição. Rio de Janeiro, 852-873, 1969.

  • *
    Trabalho realizado com o auxílio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    10 Jun 2013
  • Data do Fascículo
    Dez 1980

Histórico

  • Aceito
    20 Jan 1978
  • Recebido
    20 Jan 1978
Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Caixa Postal 118, 38001-970 Uberaba MG Brazil, Tel.: +55 34 3318-5255 / +55 34 3318-5636/ +55 34 3318-5287, http://rsbmt.org.br/ - Uberaba - MG - Brazil
E-mail: rsbmt@uftm.edu.br