Accessibility / Report Error

Associação entre acidentes vasculares encefálicos e doença de Chagas

Resumos

Foi pesquisada a freqüência de acidentes vasculares encefálicos (A VE), isquêmicos e hemorrágicos, em chagásicos crônicos e em não chagásicos, maiores de 15 anos de idade, necropsiados em Uberaba, de 1979 a 1988, optando-se por estudo emparelhado por sexo e idade em 208 pares. Em 41 (19,7%) dos chagásicos e em 55 (26,4%) dos não chagásicos foram diagnosticados AVE, diferença não significante ao nível de 5%. Dos chagásicos 12 (75%) tiveram infarto e 4 (25%) hemorragia encefálica; dos não chagásicos 5 (31,3%) tiveram infarto e 11 (68,7%) hemorragia. As .diferenças são significantes ao nível de 5%. Os resultados demonstram menor freqüência de AVE hemorrágico em chagásicos que em não chagásicos e comprovam alta freqüência de AVE isqüêmico na doença de Chagas humana.

Doença de Chagas; Acidente vascular encefálico; Acidente vascular cerebral, Hemorragia encefálica; Infarto cerebral


The frequency of strokes was studied in chronic chagasic and years ofage, non-chagasicpatients, older than 15 coming to necropsy in Uberaba, from 1979 than 1988. The study consisted of paired sex and age matched controls. Two hundred and eight pairs were analysed. Either ischemic or hemorrhagic strokes were found in 41 (19,7%) of the chagasics and in 55 (26.4%) of the non-chagasic, a difference not significant at the level of 5%. Twelve (75%) of the former had infarcts and 4(25%) had brain hemorrhage; five (31,3%) of the non-chagasics had ischemic strokes and 11 (68,7%) had hemorrhagic strokes. The differences were significant to the level of 5%. The results indicate a high frequency of ischemic strokes in human Chagas'disease and demonstrate a lesser frequency of hemorrhagic stroke in chagasics when compared with non-chagasics.

Chagas' disease; Strokes; Ischemic stroke; Hemorrhagic stroke


ARTIGOS

Associação entre acidentes vasculares encefálicos e doença de Chagas

Edison Reis Lopes; Jaime Olavo Marquez; Bertolino da Costa Neto; Ayres Alexandre Carlos Menezes; Edmundo Chapadeiro

Endereço para correspondência Endereço para correspondência: Dr. Edison Reis Lopes Departamento de Patologia Deontologia Médica e Medicina Legal/FMTM. Pça. Manoel Terra s/n. 38010 Uberaba, MG, Brasil.

RESUMO

Foi pesquisada a freqüência de acidentes vasculares encefálicos (A VE), isquêmicos e hemorrágicos, em chagásicos crônicos e em não chagásicos, maiores de 15 anos de idade, necropsiados em Uberaba, de 1979 a 1988, optando-se por estudo emparelhado por sexo e idade em 208 pares. Em 41 (19,7%) dos chagásicos e em 55 (26,4%) dos não chagásicos foram diagnosticados AVE, diferença não significante ao nível de 5%. Dos chagásicos 12 (75%) tiveram infarto e 4 (25%) hemorragia encefálica; dos não chagásicos 5 (31,3%) tiveram infarto e 11 (68,7%) hemorragia. As .diferenças são significantes ao nível de 5%. Os resultados demonstram menor freqüência de AVE hemorrágico em chagásicos que em não chagásicos e comprovam alta freqüência de AVE isqüêmico na doença de Chagas humana.

Palavras-chave: Doença de Chagas. Acidente vascular encefálico. Acidente vascular cerebral, Hemorragia encefálica. Infarto cerebral.

ABSTRACT

The frequency of strokes was studied in chronic chagasic and years ofage, non-chagasicpatients, older than 15 coming to necropsy in Uberaba, from 1979 than 1988. The study consisted of paired sex and age matched controls. Two hundred and eight pairs were analysed. Either ischemic or hemorrhagic strokes were found in 41 (19,7%) of the chagasics and in 55 (26.4%) of the non-chagasic, a difference not significant at the level of 5%. Twelve (75%) of the former had infarcts and 4(25%) had brain hemorrhage; five (31,3%) of the non-chagasics had ischemic strokes and 11 (68,7%) had hemorrhagic strokes. The differences were significant to the level of 5%. The results indicate a high frequency of ischemic strokes in human Chagas'disease and demonstrate a lesser frequency of hemorrhagic stroke in chagasics when compared with non-chagasics.

Keywords: Chagas' disease. Strokes. Ischemic stroke. Hemorrhagic stroke.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 08/01/91.

Trabalho do Curso de Pós-Graduação em Patologia Humana e do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro, Uberaba, MG, Brasil.

  • 1. Andrade ZA, Andrade SG. Patologia. In: Brener Z, Andrade Z (ed) Trypanosoma cruzi e Doença de Chagas, 1a edição, Guanabara Koogan, Rio de Janeiro p. 199-248, 1979.
  • 2. Breslow NE, Day NE. Statistical Methods in Cancer Research. International Agency for Research on Cancer. Lyon, 1980.
  • 3. Finkielman S. Cartas al comite de redación. Medicina 41: 506, 1981.
  • 4. Gates PC, Barnett HJM, Silver MD. Cardiogenic Stroke. In: B amett HJM, Mohr JP, Stein BM, Y atsu FM (ed) Stroke. Pathophysiology, Diagnosis and Manegement, Churchill Livingstone Inc, New York p. 1085-1119, 1986.
  • 5. Guariento ME. Doença de Chagas e Hipertensão Arterial. Tese de Mestrado, Universidade de Campinas, Campinas, 1985.
  • 6. Lopes ER, Chapadeiro E. Tafuri WL, Prata AR. Patologia das Principais Doenças Tropicais no Brasil. Doença de Chagas. In: Lopes ER, Chapadeiro E. Raso P, Tafuri WL (ed) Bogliolo Patologia, 4a edição, Guanabara Koogan, Rio de Janeiro p. 1047-1120, 1987.
  • 7. Medrado-Faria MA, Yasuda MAS, Araujo MJO, Lancarotte I, Catapano EA, Ruiz Neto PP. Formas clínicas da doença de Chagas na Grande São Paulo. Arquivos Brasileiros de Cardiologia 38: 99-109, 1982.
  • 8. Mendivil GT. La presion arterial en jovenes de 18 anos de una area endémica para la enfermidad de Chagas. Medicina 38: 741-743, 1986.
  • 9. Neiva AR, Andrade ZA. Embolia cerebral em portadores de miocardite crônica chagásica. O Hospital 61:373- 379, 1962.
  • 10. Nussenzveig I. Wajchemberg BL. Macruz R, França Netto AS, Timoner J, Azul LGS. Acidentes vasculares cerebrais embólicos na cardiopatia chagásica crônica. Arquivos de Neuro-Psiquiatria 11: 386-402, 1953.
  • 11. Pitella JEH. Ischemic cerebral changes in the chronic chagasic cardiopathy. Arquivos de Neuro-Psiquiatria 42: 105-115, 1984.
  • 12. Prata A (ed). Reunião sobre diterenças geográficas na Doença de Chagas, Universidade de Brasília, Brasília, 1975.
  • 13. Queiroz AC. Estudo anatomopatológico do encéfalo na forma crônica da doença de Chagas. Revista de Patologia Tropical 7: 135-145, 1978.
  • 14. Shoene WC. O sistema nervoso. In: Robbins SL, Cotran RS (ed) Patologia Estrutural e Funcional, 2a edição, Interamericana, Rio de Janeiro p. 1269-1324, 1983.
  • 15. Soato GG, Vichi FL, Ruffino Netto A, Machado RR, Carvalho DS. Prevalência de hipertensão arterial em grupos de pacientes chagásicos e não chagásicos em população de hospital geral. Revista Paulista de Medicina 84: 121-123, 1974.
  • Endereço para correspondência:

    Dr. Edison Reis Lopes
    Departamento de Patologia
    Deontologia Médica e Medicina Legal/FMTM.
    Pça. Manoel Terra s/n.
    38010
    Uberaba, MG, Brasil.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      15 Maio 2013
    • Data do Fascículo
      Jun 1991

    Histórico

    • Recebido
      08 Jan 1991
    • Aceito
      08 Jan 1991
    Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Caixa Postal 118, 38001-970 Uberaba MG Brazil, Tel.: +55 34 3318-5255 / +55 34 3318-5636/ +55 34 3318-5287, http://rsbmt.org.br/ - Uberaba - MG - Brazil
    E-mail: rsbmt@uftm.edu.br