Um foco de doença de Chagas transmitida pelo Triatoma infestans na Baixada Fluminense, Município de Caxias, Estado do Rio de Janeiro, Brasil

Resumos

Descreve-se neste trabalho um foco de doença de Chagas transmitida pelo Triatoma infestans na Baixada Fluminénse, Município de Caxias, Estado do Rio de Janeiro, onde de 33 casas investigadas em 18 foi referida a presença de triatomineos, vários deles infectados com T. cruzi. Um inquérito sorológico realizado em 110 pessoas residentes nesta área revelou a positividade da reação de fixação do complemento para doença de Chagas em 6, três dos quais tiveram xenodiagnóstico positivo para T. cruzi. Dos 6 pacientes com R.F.C. positiva 3 são naturais da área do foco, inclusive 1 com xenodiagnóstico positivo, comprovando-se assim a transmissão autóclone da doença. Os autores chamam a atenção para a quebra da "barreira ecológica" na dispersão conhecida do Triatoma infestans com adaptação ao domicilio humano numa região onde as condições climátitcas (temperatura, umidade, etc.) deveriam ser desfavoráveis ao desenvolvimento da espécie. Fato da maior importância epidemiológica foi considerada a adaptação de uma espécie de grande capacidade vetora da doença de Chagas, numa área de grande densidade populacional e baixas condições sócio-econômicas sanitárias. Apesar do T. cruzi isolado parecer de baixa patogenicidade consideram os autores uma maior necessidade de "quantificação" no estudo experimental das mostras isoladas.


A focus of Chagas' disease transmitted by Triatoma infestans is described in the lowlands of the Fluminense area, Municipality of Caxias, State of Rio de Janeiro. Out of 33 dwellings investigated, the presence of triatomides was noted in 18, various of them infected by T. cruzi. A sorological survey made in 110 people living in this area revealed a positivity in the complement fixation test for Chagas' disease in six, three of which. had positive xenodiagnosis for T. cruzi. Out of six patients with C.F.T. positive, including one with a positive xenodiagnosis, three have always lived in the focus area. This coula, therefore, prove the autochtonal transmission of the diseuse. The authors call attetion to the break in the "ecological barrier" in the known dispersion of T. infestans, with adaptations to human dwellings in a region where the climatic conditions (temperature, humidity) etc.) should be disfavorable to the development of this species. The most important epidemiological fact was lhe adaptation of one species with a great capacity as a vector of Chagas' disease in an area with a dense population and very low social, economic and sanitary conditions. Despite the fact that T. cruzi appears to be of low pathogenicity, the authors believe that it is necessary to carry out a greater number of experimental studies of the isolated samples.


Um foco de doença de Chagas transmitida pelo Triatoma infestans na Baixada Fluminense, Município de Caxias, Estado do Rio de Janeiro, Brasil

J. Rodrigues Coura; Carlos Eduardo Tosta da Silva; Walber Vieira; Norton de Figueiredo

Instituto de Endemias Rurais, Rio de Janeiro, Brasil

RESUMO

Descreve-se neste trabalho um foco de doença de Chagas transmitida pelo Triatoma infestans na Baixada Fluminénse, Município de Caxias, Estado do Rio de Janeiro, onde de 33 casas investigadas em 18 foi referida a presença de triatomineos, vários deles infectados com T. cruzi. Um inquérito sorológico realizado em 110 pessoas residentes nesta área revelou a positividade da reação de fixação do complemento para doença de Chagas em 6, três dos quais tiveram xenodiagnóstico positivo para T. cruzi. Dos 6 pacientes com R.F.C. positiva 3 são naturais da área do foco, inclusive 1 com xenodiagnóstico positivo, comprovando-se assim a transmissão autóclone da doença.

Os autores chamam a atenção para a quebra da "barreira ecológica" na dispersão conhecida do Triatoma infestans com adaptação ao domicilio humano numa região onde as condições climátitcas (temperatura, umidade, etc.) deveriam ser desfavoráveis ao desenvolvimento da espécie. Fato da maior importância epidemiológica foi considerada a adaptação de uma espécie de grande capacidade vetora da doença de Chagas, numa área de grande densidade populacional e baixas condições sócio-econômicas sanitárias. Apesar do T. cruzi isolado parecer de baixa patogenicidade consideram os autores uma maior necessidade de "quantificação" no estudo experimental das mostras isoladas.

ABSTRACT

A focus of Chagas' disease transmitted by Triatoma infestans is described in the lowlands of the Fluminense area, Municipality of Caxias, State of Rio de Janeiro. Out of 33 dwellings investigated, the presence of triatomides was noted in 18, various of them infected by T. cruzi. A sorological survey made in 110 people living in this area revealed a positivity in the complement fixation test for Chagas' disease in six, three of which. had positive xenodiagnosis for T. cruzi. Out of six patients with C.F.T. positive, including one with a positive xenodiagnosis, three have always lived in the focus area. This coula, therefore, prove the autochtonal transmission of the diseuse.

The authors call attetion to the break in the "ecological barrier" in the known dispersion of T. infestans, with adaptations to human dwellings in a region where the climatic conditions (temperature, humidity) etc.) should be disfavorable to the development of this species. The most important epidemiological fact was lhe adaptation of one species with a great capacity as a vector of Chagas' disease in an area with a dense population and very low social, economic and sanitary conditions. Despite the fact that T. cruzi appears to be of low pathogenicity, the authors believe that it is necessary to carry out a greater number of experimental studies of the isolated samples.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

BIBLIOGRAFIA

Recebido para publicação em 20-12-1970.

Trabalho da Clinica de Doenças Infecciosas e Parasitárias (Departamento de Medicina Preventiva) da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Instituto Brasileiro de Tropicologla Médica.

  • 1) ARAGÃO, M. B. e SOUZA, S. A. Triatoma infestans colonizando domicílios na baixada fluminense, Estado do Rio de Janeiro. Rev. Soc. Bras. Med. Trop., 5 (3), 19.71.
  • 2) BECERRA FUENTES, F., COURA, J. R. e FERREIRA, L. F. Observações sôbre o Triatoma rubrofasciata no Estado da Guanabara. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. 5: 47-53, 1971.
  • 3) BUSTAMANTE, F. M. e GUSMÃO, I. B. Sobre um foco de Triatoma infestans nos municípios de Rezende e Itaverá, Estado do Rio de Janeiro, Rev. Bras. Mal. D. Trop., 5: 23-28, 1953.
  • 4) COURA, J. R. Contribuição ao Estudo da Doença de Chagas no Estado da Guanabara. Tese, 1965. Publicada na Rev. Bras. Mal. D. Trop., 18: 9-98, 1966.
  • 5) COURA, J. R. Observações não publicadas.
  • 6) COURA, J. R., FERREIRA, L. F. e RODRIGUES DA SILVA, J. Triatomíneos no Estado da Guanabara e suas relações com o domicílio humano. Rev.. .Inst. Med. Trop. São Paulo, 8: 102-166, 1966.
  • 7) COURA, J. R., FERREIRA, L. F. RUBENS, J., PEREIRA, N. C. e RODRIGUES DA SILVA, J. Tripanosoma do "Complexo cruzi" em reservatório silvestre no Estado da Guanabara. Rev. Inst. Med. Trop. São Paulo 8: 125-133, 1966.
  • 8) DIAS, E., LARANJA. F. S., GUIMARÃES, F. N. e BRANT, T. C. Estudo preliminar de inquérito sorológico-eletrocardiográfico em populações não selectionadas de zonas não endêmicas de doença de Chagas. Rev. Bras. Mal. D. Trop. 5: 205-210, 1953.
  • 9) DIAS, E. Presença do Panstrongylus megistus infectado por Schizotiypanum no Rio de Janeiro, D. F. Mem. Inst. Oswaldo Cruz, 38: 177- 180, 1943.
  • 10) GUIMARÃES, F. N. e JANSEN, G. Um foco potencial de tripanosomíase americana na cidade do Rio de Janeiro (Distrito Federal) Mem. Inst. Oswaldo Cruz, 39: 405-417, 1943.
  • 11) LENT, H. Transmissores da Moléstia de Chagas no Estado do Rio de Janeiro. Rev. Flum. Med., 6: 3-13, 1942.
  • 12) LENT, H. Estado atual dos estudos sôbre os transmissores da Doença de Chagas. Relatório. Anais do Cong. Intern. sôbre doenças de Chagas. Vol. III: 739-760, 1962.
  • 13) NEIVA, A. e LENT, H. Notas e comentários sôbre triatomíneos. Lista, de espécies e sua distribuição geográfica. Rev. Entomol. Rio de Janeiro, 6: 153-190, 1936.
  • 14) NEIVA, A. & LENT, H. Sinopse dos triatomídeos. Rev. Entomol. Rio de Janeiro, 12: 61-92, 1941.
  • 15) NEIVA, A. & PINTO, C. F. Dos Reduvideos hematófagos encontramos, no Distrito FeCeral e Estado do Rio de Janeiro. Bras. Med. 37: 37-45,. 1923.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    25 Jun 2013
  • Data do Fascículo
    Jun 1971

Histórico

  • Recebido
    20 Dez 1970
  • Aceito
    20 Dez 1970
Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Caixa Postal 118, 38001-970 Uberaba MG Brazil, Tel.: +55 34 3318-5255 / +55 34 3318-5636/ +55 34 3318-5287, http://rsbmt.org.br/ - Uberaba - MG - Brazil
E-mail: rsbmt@uftm.edu.br