Aspectos psicossociais e estigmatizantes da leishmaniose cutâneo-mucosa

Resumos

Os autores selecionaram 15 pacientes portadores de leishmaniose cutâneo- mucosa (LCM) forma grave, onde buscaram, através de entrevista psicológica, conhecer aspectos da vida de cada um, antes de contrair a doença, no decorrer e após o tratamento. Concomitantemente, realizaram 25 entrevistas com a comunidade onde residem os pacientes, com a intenção de avaliar as reações da mesma ao doente com leishmaniose. Constataram que entre os pacientes entrevistados: 14(93,3%) referiram algum tipo de modificação no decorrer da doença; 11(73,3%) perceberam-se marginalizados; 9(60%) sentiram-se afastados do convívio da sociedade; 10(66,6%) tiveram dificuldade de retomar ao trabalho. Na comunidade, 11(44%) associam o portador da LCM a indivíduos que apresentam deformações no corpo, 8(32%) têm receio de contrair a doença pelo caráter destrutivo das lesões, 24(96%) referiram que os pacientes têm problemas de relacionamento social.

Leishmaniose cutâneo-mucosa; Aspectos psicossociais; Estigmatização


The authors selected 15 patients with severe mucocutaneous leishmaniasis. By means of an interview concentrating on sociopsychological aspects they sought to understand aspects of the life of each patient before, during and after treatment of the disease. At the same time similar interviews were recorded on 25 healthy members of the same community to gauge their reaction to subjects with leishmaniasis. Among the patients interviewed, in 14(93.3%) their lives were affected by the disease and (73.3%) were suffering from discrimination. Nine (60%) felt di vorced from society and 10(66.6%) had difficulty in returning to work. Of the healthy community members interviewed 11(44%) associated the disease with bodily deformities and 8(32%) were afraid of catching the disease due its destructive nature. Twenty-four (96%) thought patients had social problems.

Mucocutaneous leishmaniasis; Sociopsychological aspects; Social discrimination


ARTIGOS

Aspectos psicossociais e estigmatizantes da leishmaniose cutâneo-mucosa

Jackson Maurício L. CostaI; Kyola C. ValeI; Iracema N. CecílioII; Noberto K. OsakiI; Eduardo M. NettoI; Mauro S. TadaI; Flávio FrançaI; Maria do Carmo BarretoI; Philip D. MarsdenI

INúcleo de Medicina Tropical e Nutrição. Universidade de Brasília, 70910 Brasília, DF

IIEstudante de Graduação em Psicologia da Universidade de São Paulo (USP)

RESUMO

Os autores selecionaram 15 pacientes portadores de leishmaniose cutâneo- mucosa (LCM) forma grave, onde buscaram, através de entrevista psicológica, conhecer aspectos da vida de cada um, antes de contrair a doença, no decorrer e após o tratamento. Concomitantemente, realizaram 25 entrevistas com a comunidade onde residem os pacientes, com a intenção de avaliar as reações da mesma ao doente com leishmaniose. Constataram que entre os pacientes entrevistados: 14(93,3%) referiram algum tipo de modificação no decorrer da doença; 11(73,3%) perceberam-se marginalizados; 9(60%) sentiram-se afastados do convívio da sociedade; 10(66,6%) tiveram dificuldade de retomar ao trabalho. Na comunidade, 11(44%) associam o portador da LCM a indivíduos que apresentam deformações no corpo, 8(32%) têm receio de contrair a doença pelo caráter destrutivo das lesões, 24(96%) referiram que os pacientes têm problemas de relacionamento social.

Palavras-chave: Leishmaniose cutâneo-mucosa. Aspectos psicossociais. Estigmatização.

ABSTRACT

The authors selected 15 patients with severe mucocutaneous leishmaniasis. By means of an interview concentrating on sociopsychological aspects they sought to understand aspects of the life of each patient before, during and after treatment of the disease. At the same time similar interviews were recorded on 25 healthy members of the same community to gauge their reaction to subjects with leishmaniasis.

Among the patients interviewed, in 14(93.3%) their lives were affected by the disease and (73.3%) were suffering from discrimination. Nine (60%) felt di vorced from society and 10(66.6%) had difficulty in returning to work. Of the healthy community members interviewed 11(44%) associated the disease with bodily deformities and 8(32%) were afraid of catching the disease due its destructive nature. Twenty-four (96%) thought patients had social problems.

Keywords: Mucocutaneous leishmaniasis. Sociopsychological aspects. Social discrimination.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 5/5/86.

Trabalho realizado com auxílio financeiro da USPTs GRANT AI 16282-04.

  • 1. Costa JML. Estudo clínico-epidemiológico de um surto epidęmico de leishmaniose tegumentar americana, na regiăo de Corte de Pedra, Valença, Bahia. Tese de Mestrado, Universidade de Brasilia. Brasília, 1986.
  • 2. Frist TF. A reabilitaçăo do hanseniano. A Saúde no Brasil 4: 254-260. 1983.
  • 3. Gandra Junior DS. Lepra: Estudo do fenômeno social da estigmatizaçăo. Tese de Doutoramento em Antropologia, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte-MG, 1973.
  • 4. Llanos-Cuentas EA. Estudo clínico evolutivo da leishmaniose em área de Leishmania braziliensis braziliensis Tręs Braços-Bahia. Tese de Mestrado, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 1984.
  • 5. Ma P, Armstrong D. The acquired immune deficiency syndrome and infections of homosexual men. York Medical Books, New York, 1983.
  • 6. Ministério da Saúde. A Saúde no Brasil 4:197-264, 1983.
  • 7. Netto EM, Tada MS, Golightly I, KalterDC, Lago EL, Barreto AC, Marsden PD. Conceitos de uma populaçăo local a respeito da leishmaniose muco-cutânea em uma área endęmica. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 18:33-37,1985.
  • 8. Pitanguy I, Ribeiro A. Leishmaniasis: surgical treatment of its sequeale. Plastic and Reconstructive Surgery 36:565-572, 1965.
  • 9. Rotberg A. Lepra x hanseníase. ARS Curandi 16:6069, 1983.
  • 10. Schilder P. A imagem do corpo. Editora Martins Fonseca, Săo Paulo, p. 1-316, 1980.
  • 11. Tejada A. Leishmaniose tegumentaria en el Perú-investi- gación epidemiológico-clínica de la leishmaniasis te-gumentaria en los departamientos del Cuzco y Madre de Dios. Tesis de Doctorado, Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Lima, Peru, 1973.
  • 12. Torres O. A leishmaniose na Bahia. Arquivos Brasileiros de Medicina 7:373-426, 1920.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    05 Jun 2013
  • Data do Fascículo
    Jun 1987

Histórico

  • Recebido
    05 Maio 1986
Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Caixa Postal 118, 38001-970 Uberaba MG Brazil, Tel.: +55 34 3318-5255 / +55 34 3318-5636/ +55 34 3318-5287, http://rsbmt.org.br/ - Uberaba - MG - Brazil
E-mail: rsbmt@uftm.edu.br