Accessibility / Report Error

Comparação da capacidade ovipositora de Biomphalaria glabrata (Say, 1818), Biomphalaria tenagophila (D'Orbigni, 1835) e Biomphalaria straminea (Dunker, 1848), mantidas em laboratório

Resumos

O autor comparou a capacidade ovipositora de 3 espécies de Planorbidae, Biomphalaria glabrata, B. tenagophila e B. straminea, durante um período de 30 dias, compreendidos entre os meses de Março e Abril de 1978. Registrou-se diariamente o número de ovos e desovas, referentes a 20 exemplares de cada espécie em questão. A análise estatística dos dados obtidos revelou que os exemplares de B. glabrata apresentaram maior capacidade ovipositora que as outras duas espécies em questão. A menor capacidade ovipositora foi atribuída à espécie B. tenagophila.


The author has studied the reproductive potencial of 3 species of Planorbidae, Biomphalaria glabrata, B. tenagophila and B. straminea from March to April 1978. The data were recorded daily. Eggs-masses of 20 snails of each species were obqerved. The number of egg-masses and the number of eggs in each were counted. The statistical test showed that the samples of B. glabrata exhibited a larger reproductive potencial than the other species. The smallest reproductive potencial was attribuited to B. tenagophila.


Comparação da capacidade ovipositora de Biomphalaria glabrata (Say, 1818), Biomphalaria tenagophila (D'Orbigni, 1835) e Biomphalaria straminea (Dunker, 1848), mantidas em laboratório* * Realizado no Departamento de Patologia Geral, Centro de Ciências Biológicas da Universidade Estadual de Londrina - PR. com auxílio do Projeto Bolsa - Trabalho/Pesquisa - FUEL/MEC - DAE.

Odair Genaro

Universidade Estadual de Londrina

RESUMO

O autor comparou a capacidade ovipositora de 3 espécies de Planorbidae, Biomphalaria glabrata, B. tenagophila e B. straminea, durante um período de 30 dias, compreendidos entre os meses de Março e Abril de 1978. Registrou-se diariamente o número de ovos e desovas, referentes a 20 exemplares de cada espécie em questão. A análise estatística dos dados obtidos revelou que os exemplares de B. glabrata apresentaram maior capacidade ovipositora que as outras duas espécies em questão. A menor capacidade ovipositora foi atribuída à espécie B. tenagophila.

ABSTRACT

The author has studied the reproductive potencial of 3 species of Planorbidae, Biomphalaria glabrata, B. tenagophila and B. straminea from March to April 1978. The data were recorded daily. Eggs-masses of 20 snails of each species were obqerved. The number of egg-masses and the number of eggs in each were counted. The statistical test showed that the samples of B. glabrata exhibited a larger reproductive potencial than the other species. The smallest reproductive potencial was attribuited to B. tenagophila.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 21.10.1977.

  • 1. CHIEFFI, P.P. - Resistência de cêpa de Biomphalaria tenagophila, originária de Londrina (Paraná, Brasil) à infecção por duas cêpas de Schistosoma mansoni Rev., Soc. Bras. Med. Trop., 9:209-212, 1975.
  • 2. CHIEFFI, P.P., MORETTI, I.G. & TORNERO, M.T.T. - Potencial reprodutivo, em condições de laboratório, de Biomphalaria glabrata (Say, 1818) e de Biomphalaria tenagophila (D'Orbiny, 1835), originárias do município de Londrina, Estado do Paraná, Brasil. Rev. Inst. Adolfo Lutz, 37:65-70, 1977.
  • 3. COELHO, M.V. - Distribuição geográfica da esquistossomose mansônica. Rev. Bras. Malariol. Doenças Trop., 11:219-246, 1959.
  • 4. COUTINHO, J.G. & PESSÔA, S.B. - Sobre um foco autóctone de esquistossomose mansônica em Jacarezinho (Norte do Paraná), Hospital 35:351 -542, 1949.
  • 5. JANSEN, G. - Sobre a validade do Australorbis centimentralis (LUTZ, 1918). Mem. Inst. Oswaldo Cruz, 40:201-209, 1944.
  • 6. KAWAZOE U. - Alguns aspectos da biologia de Biomphalaria glabrata (SAY, 1818) e Biomphalaria tenagophila (D'ORBIGNY, 1835) (Pulmonata, Planorbidae). II - Fecundidade e Fertilidade. Rev. Saúde Pública São Paulo, 11:47-64, 1977.
  • 7. LIMA, E.C. - Esquistossomose mansoni no Estado do Paraná. Tese apresentada à Faculdade de Medicina da Univ. do Paraná, Curitiba, 1965.
  • 8. LOBO, A.G.S., LUZ, E. & CONSOLIN, J. - Novos focos de Esquistossomose mansônica no Estado do Paraná. Rev. Bras. Malariol. Doenças Trop., 6:555-565, 1954.
  • 9. MAGALHÃES, L.A. CARVALHO, J.F. - Estudo da postura de duas populações de planorbídeos. Rev. Soc. Bras. Med. Trop., 5:245-247,1969.
  • 10. PELLON, A.B. & TEIXEIRA, I. - O inquérito Helmintológico escolar em cinco Estados das Regiões Leste-Sul e Centro-Oeste. Publicação da "Divisão de Organização Sanitária", do Ministério da Saúde. Rio de Janeiro, 1953.
  • 11. PENIDO, H.M., PINTO, D.B. & DESLANDES, N. - Observações sobre as posturas e o tempo de duas espécies de caramujo encontrados no Vale do Rio Doce. Rev. Serv. Esp. Saúde Pública, 4:407-412, 1951.
  • 12. PIMENTEL, D: - Life history of Australorbis glabratus in the intermediate snail host of Schistosoma mansoni in Puerto Rico. Ecology, 35:576-580,1957.
  • 13. REY, L., AMATO NETO, V. & SILVA, L.H.P. - Investigação sobre um novo foco de esquistossomose em Uraí (Estado do Paraná). Fol. Cl. et Biol., 20:215-230, 1953.
  • 14. REY, L. - Contribuição para o conhecimento da Morfologia, Biologia e Ecologia dos Planorbideos Brasileiros Transmissores da Esquistossomose. Rio de Janeiro, Serviço Nacional de Educação Sanitária 1956.
  • 15. REY, L. - Condições Gerais de Vida. Rev. Bras. Malariol. Doenças Trop., 3:151-170. 1959.
  • 16. RIBEIRO, S.S., BARANSKI, M.C., CARVALHO, J.D. & LIMA, E.C. Contribuição ao estudo da esquistossomose no Paraná. Rev. Dep. Saúde Paraná, 3:113-117, 1953.
  • *
    Realizado no Departamento de Patologia Geral, Centro de Ciências Biológicas da Universidade Estadual de Londrina - PR. com auxílio do Projeto Bolsa - Trabalho/Pesquisa - FUEL/MEC - DAE.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      10 Jun 2013
    • Data do Fascículo
      Dez 1978

    Histórico

    • Recebido
      21 Out 1977
    • Aceito
      21 Out 1977
    Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Caixa Postal 118, 38001-970 Uberaba MG Brazil, Tel.: +55 34 3318-5255 / +55 34 3318-5636/ +55 34 3318-5287, http://rsbmt.org.br/ - Uberaba - MG - Brazil
    E-mail: rsbmt@uftm.edu.br