Accessibility / Report Error

Primeiro relato de Lutzomyia cortelezzii (Brèthes, 1923) na cidade de Ilhéus, BA

First report of Lutzomyia cortelezzii (Brèthes, 1923) in Ilhéus City, Bahia

Resumos

A Lutzomyia cortelezzii foi encontrada na área urbana da cidade de Ilhéus, Bahia, Brasil. A aparição deste flebotomíneo em 100% das 288h de capturas no território ilheense é fato inédito. As coletas foram realizadas através de armadilhas luminosas tipo CDC, de dezembro/2003 a maio/2004, num total de 81 exemplares coletados.

Lutzomyia cortelezzii; Flebotomíneo; CDC; Ilhéus


Lutzomyia cortelezzii was found in the urban area of Ilhéus, Bahia, Brazil. The appearance this phlebotomine in 100% of 288 hours of capture in Ilhéus' territory is an unpublished fact. The collection was by CDC light traps between December 2003 and May 2004, with a total of 81 collected samples.

Lutzomyia cortelezzii; Phlebotomine; CDC; Ilhéus


COMUNICAÇÃO COMMUNICATION

Primeiro relato de Lutzomyia cortelezzii (Brèthes, 1923) na cidade de Ilhéus, BA

First report of Lutzomyia cortelezzii (Brèthes, 1923) in Ilhéus City, Bahia

Sílvia Maria Santos CarvalhoI; Eunice Matos GuimarãesI; Yasmine Barbosa de SouzaI; Vania Bastos BragaI, Letícia Carvalho ViannaII; Paulo Raimundo Barbosa dos SantosIII; Sebastião de SouzaIII; Reinaldo SilvaIII; Adevegistro PereiraIII; Missias da Hora LeiteIII

IDepartamento de Ciências Biológicas da Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, BA

IIInstituto de Ciências Biológicas da Universidade Católica do Salvador, Salvador, BA

IIINúcleo de Entomologia da 6ª Diretoria Regional de Saúde, Ilhéus, BA

Endereço para correspondência Endereço para correspondência Dra. Silvia Maria Santos Carvalho Rodovia Ilhéus Itabuna, Km 16 45.650-000 Ilhéus, BA Tel: 55 73 3680-5268 Fax: 55 73 3680-5226 E-mail: sissa@uesc.br - sissacarvalho@yahoo.com

RESUMO

A Lutzomyia cortelezzii foi encontrada na área urbana da cidade de Ilhéus, Bahia, Brasil. A aparição deste flebotomíneo em 100% das 288h de capturas no território ilheense é fato inédito. As coletas foram realizadas através de armadilhas luminosas tipo CDC, de dezembro/2003 a maio/2004, num total de 81 exemplares coletados.

Palavras-chaves:Lutzomyia cortelezzii. Flebotomíneo. CDC. Ilhéus.

ABSTRACT

Lutzomyia cortelezzii was found in the urban area of Ilhéus, Bahia, Brazil. The appearance this phlebotomine in 100% of 288 hours of capture in Ilhéus' territory is an unpublished fact. The collection was by CDC light traps between December 2003 and May 2004, with a total of 81 collected samples.

Key-words:Lutzomyia cortelezzii. Phlebotomine. CDC. Ilhéus.

A cidade de Ilhéus (14º 50' latitude sul e 39º 06' longitude oeste), localizada ao sul do litoral baiano, a 462km da capital do estado, com área de clima tropical quente e alta pluviosidade anual (1500 - 2000mm), com remanescentes de Mata Atlântica e grande extensão de plantações de cacau4, é endêmica para leishmaniose tegumentar e já registrou a presença de espécies de flebotomíneos como Lutzomyia intermedia, L. whitmani, L. fischeri e L. migonei na zona rural1, sem relatos na área urbana onde, de fato, não há registros de estudos entomológicos. Em face disso, realizamos capturas de flebotomíneos em sete diferentes bairros desta cidade (ao norte, Novo Ilhéus e Iguape; a oeste, Teotônio Vilela; ao sul, Nossa Senhora da Vitória; e bairros centrais, Conquista, Princesa Isabel e Malhado), na tentativa de registrar o achado de espécies.

Os exemplares foram capturados com uso de armadilhas luminosas tipo CDC (Center on Disease Control)6, armadas às 18:00h e retiradas às 06:00h do dia seguinte, a 1,5m de altura do solo, entre os meses de dezembro/2003 e maio/2004, uma semana por mês, cada dia dedicado a um ou dois bairros, com umidade relativa do ar variando entre 58% e 83%, e a temperatura na faixa entre 22ºC e 36ºC, em quintais de casas com algum tipo de árvore frutífera e/ou abrigos de animais existentes, totalizando 288h de trabalho, com 81 exemplares capturados (43 fêmeas e 38 machos), pertencentes à espécie L. cortelezzii, presente em todos os bairros, à exceção de Nossa Senhora da Vitória e Novo Ilhéus. Os exemplares foram devidamente armazenados em álcool 70%, clarificados em KOH 10% e montados em Berlese8. Vale mencionar que esta espécie é usada por alguns pesquisadores como sinonímia de L. sallesi, constituindo, junto à Lutzomyia corumbaensis, o complexo L. cortelezzii3.

O achado de L. cortelezzii em buracos de árvores na Bahia já foi descrito2, porém a sua aparição na área urbana de Ilhéus é fato inédito, sendo o único flebotomíneo presente. Ao contrário, em trabalho realizado na área urbana de Maringá, PR7, percebeu-se que estes insetos responderam por apenas 0.03% do total registrado. Já em estudo também realizado em área urbana, entre os meses de fevereiro de 1999 e fevereiro de 2000, na Cidade de Corumbá, foi notificada a presença de L. cortelezzii entre outras 27 espécies capturadas, respondendo por 3,4% do achado, com 42 exemplares coletados5.

Em Ilhéus, o inseto foi observado com maior freqüência nos bairros centrais, onde, apesar da infra-instrutura urbana, há casas com quintais, com presença de vegetação, em geral árvores frutíferas e, não raramente, abrigos de animais como cães e galinhas. Entretanto, nos bairros periféricos, onde são observadas áreas de transição rural-urbana, a freqüência dos insetos foi baixa ou nula.

A presença de L. cortelezzii na zona urbana de Ilhéus não quer dizer que este flebotomíneo responda pela capacidade vetorial nesta área, especialmente porque a densidade é relativamente baixa. Adicionalmente, os casos humanos, verdadeiramente positivos de leishmaniose ali registrados, muito provavelmente são oriundos da zona rural. Além disso, no Brasil não há relatos de incriminação desta espécie na transmissão da doença. Ao contrário, no norte da Argentina, há a suspeita de que a mesma seja responsável pelo aparecimento de casos humanos, em função de a sua presença coincidir com a faixa de distribuição da doença neste país e, sobretudo, por ter sido observada freqüentando ambiente domiciliar, alimentando-se de sangue humano e pela associação com animais silvestres2.

Baseado no exposto, é razoável pensar que é pouco provável o estabelecimento de um foco de transmissão na área urbana ilheense, especialmente devido à ausência de insetos reconhecidamente vetores em potencial. Entretanto, há registros de casos como sendo autóctones desta área. Apesar disso, vale mencionar que as fichas de registros não contêm informações suficientes para realização de um levantamento sobre a real origem dos casos. Este é apenas um dos fatores que vem sendo estudados no levantamento epidemiológico, complementar a este trabalho.

AGRADECIMENTOS

Às pessoas que permitiram o acesso às suas residências para que as armadilhas fossem montadas.

4. http://www.ecobahia.com.br/m-ios-itb-ilheus.htm Disponível em: 02/05/2004.

Recebido para publicação em 7/6/2004

Aceito em 6/6/2005

Trabalho financiado pela UESC (Universidade Estadual de Santa Cruz), FAPESB (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia) e 6ª DIRES (Diretoria Regional de Saúde).

  • 1. Azevedo ACR, Vilela ML, Souza NA, Andrade-Coelho CA, Barbosa FA, Firmo ALS, Rangel EF. The sand fly fauna (Diptera: Psychodidade: Phebotominae) of a focus cutaneous leishmaniasis in Ilhéus, state of Bahia, Brazil. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz 91:75-79, 1996.
  • 2. Forattini OP. Entomologia Médica. Edgard Blucher Ltda, Coedição Editora da Universidade do Estado de São Paulo, 4ş volume, 1973.
  • 3. Galati EAB, Nunes, VLB, Oshiro, ET, Rego-Jr, FA. Nova espécie de Phlebotominae, Lutzomyia corumbanesis, sp. N. (Diptera, Psychodidae) do complexo Lutzomyia cortelezzii. Revista Brasileira de Entomologia 33: 465-475, 1989.
  • 5. Oliveira AG, A Filho JD, Falcão AL, Brazil RP. Estudo de flebotomíneos (Diptera, Psychodidae,Phlebotominae) na zona urbana da Cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil,1999-2000. Caderno de Saúde Pública 19 (4), 2003.
  • 6. Sudia WD, Chamberlain RW. Battery-operated light trap, an improved model. Mosquito News 22: 126-129, 1962.
  • 7. Teodoro U, Ruhl JB, Rodríguez M, Santos ES, Santos DR, Maróstica LMF. Flebotomínos coletados em matas silvestres de zoológico no perímetro urbano de Maringá, Sul do Brasil. Estudo Preliminar. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 31: 517-522, 1998.
  • 8. Young DG, Ducan MA. Guide to the identification and geographic distribution of Lutzomyia Sand Flies in Mexico, the West Indies, Central and South American (Diptera: Psychodidae). Memories of the American Entomological Institute 54: 1-881, 1994.
  • Endereço para correspondência
    Dra. Silvia Maria Santos Carvalho
    Rodovia Ilhéus Itabuna, Km 16
    45.650-000 Ilhéus, BA
    Tel: 55 73 3680-5268
    Fax: 55 73 3680-5226
    E-mail:
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      12 Set 2005
    • Data do Fascículo
      Out 2005

    Histórico

    • Recebido
      07 Jun 2004
    • Aceito
      06 Jun 2005
    Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Caixa Postal 118, 38001-970 Uberaba MG Brazil, Tel.: +55 34 3318-5255 / +55 34 3318-5636/ +55 34 3318-5287, http://rsbmt.org.br/ - Uberaba - MG - Brazil
    E-mail: rsbmt@uftm.edu.br