Accessibility / Report Error

Fatores associados à não realização de pré-natal em município de grande porte

OBJETIVO

Analisar os fatores associados à ausência de realização de pré-natal em município de grande porte.

MÉTODOS

Estudo caso-controle, pareado por idade, com 716 mulheres, das quais 179 não realizaram o pré-natal e 537 o realizaram (controles), identificadas por meio do Sistema Nacional de Informação sobre Nascidos Vivos, do município de Pelotas, RS, entre 2009 e 2010. Realizou-se análise múltipla por regressão logística condicional para estimar as odds ratios (OR).

RESULTADOS

No modelo final, as variáveis que mostraram associação com a não realização de pré-natal foram: ter menor escolaridade, especialmente menos de quatro anos de estudo (OR 4,46; IC95% 1,92;10,36), ser solteira (OR 3,61; IC95% 1,85;7,04) e ser multípara (OR 2,89; IC95% 1,72;4,85). A prevalência de não realização de pré-natal por região administrativa variou de 3,9% a 0,7%.

CONCLUSÕES

Os fatores de risco encontrados devem ser considerados no planejamento de ações para a inclusão das mulheres no pré-natal, tanto pela gestão central quanto pelas equipes de saúde, e indicaram as regiões do município com maiores déficits na captação de pré-natal. A reorganização das ações para identificar as mulheres com esses fatores de risco na comunidade pode ser considerada o ponto inicial desse processo. É necessário ainda integrar as atividades entre programas locais que atuam sobre o grupo materno-infantil para a busca constante das gestantes sem atendimento.

Cuidado Pré-Natal, utilização; Fatores de Risco; Fatores Socioeconômicos; Acesso aos Serviços de Saúde; Serviços de Saúde Materno-Infantil; Equidade em Saúde; Estudos de Casos e Controles


Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Avenida Dr. Arnaldo, 715, 01246-904 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3061-7985 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revsp@usp.br