Validação e confiabilidade: instrumento para avaliação de serviços que tratam tuberculose

Lucia Marina Scatena Anneliese Domingues Wysocki Aline Ale Beraldo Gabriela Tavares Magnabosco Maria Eugênia Firmino Brunello Antonio Ruffino Netto Jordana de Almeida Nogueira Reinaldo Antonio Silva Sobrinho Ewerton William Gomes Brito Patricia Borges Dias Alexandre Aline Aparecida Monroe Tereza Cristina Scatena Villa Sobre os autores

OBJETIVO

Analisar a validade e confiabilidade de instrumento de avaliação da estrutura dos serviços de atenção básica para o tratamento da tuberculose.

MÉTODOS

Estudo transversal com amostragem aleatória simples para 1.037 profissionais de saúde de cinco municípios (Natal, RN; Cabedelo, PB; Foz do Iguaçu, PR; São José do Rio Preto, SP e Uberaba, MG) em 2011. Foram identificados e validados indicadores estruturais, considerando as diferentes modalidades de organização do sistema de saúde de municípios de diferentes portes populacionais. A “estrutura” correspondeu aos recursos existentes para a execução dos serviços: físicos (equipamentos, materiais de consumo e instalações); humanos (número e qualificação); e fontes para manutenção da infraestrutura e da tecnologia existente, entendida como organização do serviço de saúde. Os procedimentos estatísticos utilizados no processo de validação foram análise de confiabilidade, análise fatorial exploratória e confirmatória.

RESULTADOS

O processo de validação determinou a retenção de cinco fatores com 85,9% de variância total explicada, consistência interna entre 0,6460 e 0,7802 e qualidade de ajustamento da análise confirmatória de 0,995 para ogoodness-of-fit index. Os fatores retidos compuseram os cinco indicadores estruturais: profissionais envolvidos com o atendimento de tuberculose; capacitação; acesso a instrumentos de registro; disponibilidade de insumos; e articulação do serviço de saúde com outros níveis de atenção. O indicador com melhor desempenho foi disponibilidade de insumos, com menor coeficiente de variação nos serviços avaliados. Os indicadores de avaliação dos recursos humanos e articulação com outros níveis de serviços apresentaram percentuais satisfatórios; entretanto, este último apresentou o maior coeficiente de variação. Os indicadores de capacitação e acesso a instrumentos de registro apresentaram percentuais de avaliação inferiores aos demais.

CONCLUSÕES

O instrumento apresentou viabilidade de aplicação e potencial de avaliação da estrutura dos serviços de saúde para o tratamento da tuberculose na atenção básica.

Avaliação de Serviços de Saúde; métodos; Tuberculose; prevenção; controle; Indicadores de Qualidade em Assistência à Saúde; Indicadores de Serviços; Questionários; utilização; Estudos de Validação


Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Avenida Dr. Arnaldo, 715, 01246-904 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3061-7985 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revsp@usp.br