Factores que inciden en el habito de fumar de escolares de educación basica y media del Chile

Factors affecting chilean elementary and high school children's smoking

INTRODUÇÃO: Considerando a indiscutível evidência dos efeitos adversos do fumo para a saúde, milhões de pessoas continuam fumando. A situação é de maior gravidade, já que muitos dos fumantes e a maioria dos novos fumantes, tanto no Chile, como em outros países, são adolescentes. Dicidiu-se realizar estudo com o objetivo de determinar a prevalência do tabagismo em escolares chilenos e quantificar o impacto de fatores socioeconômicos, socioculturais, familiares, de exposição aos meios de comunicaçao de massa, demográficos, educacionais e psicosociais. MATERIAL E MÉTODO: Foi selecionada uma amostra aleatória representativa e proporcional de 2.967 escolares de educação básica e média, na Região Metropolitana do Chile, de acordo com o grau do curso (IV, VI e VIII básico de I e IV medio), sexo, tipo de escola e área geográfica. A prevalência de tabagismo foi determinada por meio de questionário auto administrado. O nível socioeconômico (NSE) foi avaliado pelo método de Graffar modificado determinando-se além das condições familiares, a exposicião aos meios de comunicação de massa e aos fatores psicosociais. O rendimento escolar foi determinado por um teste de idiomas e de matemáticas, além de outras variáveis educacionais. A análise estatística inclui análise de variância, teste "t" de Student e teste de Scheffe para comparar os médias, correlação, regressao múltipla, teste do qui-quadrado e o método de OPS/OMS para o cálculo de risco relativo(RR). RESULTADOS: A prevalência de tabagismo (10,6%) aumentou significativamente com a idade de 1,3% nos escolares menores de 13 anos, a 15,4 a 36,9% nos adolescentes entre 13-15 anos e ³ 16 anos, respectivamente (p < 0,001), e foi maior nos escolares de sexo feminino. Os níveis de plazer (r = 0,499 p < 0,001), rebeldía (r = 0,124 p < 0,001), recreação familiar (r = -0,131 p<0,0001) e assistência escolar (r = -0,118 p < 0,0001) foram as variáveis independentes com o maior poder de explicação na variância de tabagismo (r² = 0,2860). Porém o grau de prazer foi a variável com o maior poder de explicação na variância (89,2%) e com maior RR (34,3). O impacto relativo às variáveis independentes sobre o tabagismo foi diferente de acordo com a idade, sexo e nível socioeconômico. CONCLUSÃO: Os resultados podem ser úteis para a implementação das políticas de educação e saúde e para a prevenção deste fator de risco para a saúde da população escolar.

Fumo; Comportamento do adolescente; Fatores de risco


Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Avenida Dr. Arnaldo, 715, 01246-904 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3061-7985 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revsp@usp.br