Acesso regular e adesão a medicamentos do componente especializado da assistência farmacêutica

Janaína Soder Fritzen Fabiane Raquel Motter Vera Maria Vieira Paniz Sobre os autores

RESUMO

OBJETIVO

Investigar a prevalência de adesão a medicamentos do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica e sua associação com o acesso regular em usuários desses medicamentos no município de São Leopoldo, RS.

MÉTODOS

Estudo transversal com adultos de 20 anos ou mais, usuários de medicamentos do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica no município de São Leopoldo, RS. A amostragem foi realizada de forma consecutiva de usuários que acessaram o atendimento do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica durante o período de dezembro de 2014 a março de 2015. A adesão foi mensurada pelo Brief Medication Questionnaire, sendo definidos como aderentes indivíduos que não apresentaram barreiras para a adesão nos três domínios. O acesso regular foi definido como a obtenção de todos os medicamentos nos últimos três meses, independentemente da forma de obtenção (pago ou gratuito). A análise dos dados foi realizada por regressão de Poisson com variância robusta.

RESULTADOS

Foram entrevistados 414 indivíduos, a maioria mulheres (60,9%), média de idade de 55 anos (DP = 13), utilizando um único medicamento do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (68,1%). A prevalência de adesão aos medicamentos utilizados nos últimos sete dias foi de 28,3%, a prevalência de acesso regular gratuito foi de 46,1%; e 25,7% não tiveram acesso a todo o tratamento. Após ajuste para número de medicamentos do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica e número de medicamentos de uso contínuo, usuários que tiveram acesso regular gratuito nos últimos três meses apresentaram 60% mais probabilidade de adesão. Para indivíduos com acesso regular mantido mediante pagamento, não foi encontrada associação entre o acesso e a adesão.

CONCLUSÕES

A regularidade no acesso gratuito aos medicamentos do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica tem impacto no comportamento do usuário, contribuindo para seu comprometimento com o tratamento e para o autocuidado. O Componente Especializado da Assistência Farmacêutica necessita de programação, a fim de evitar a irregularidade no acesso, que sugere uma importante limitação das políticas de medicamentos no país.

Uso de Medicamentos; Adesão à Medicação; Acesso aos Serviços de Saúde; Assistência Farmacêutica; Farmacoepidemiologia

Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Avenida Dr. Arnaldo, 715, 01246-904 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3061-7985 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revsp@usp.br