Nota sobre leishmaniose canina no noroeste do Estado do Paraná, sul do Brasil

Leishmaniasis in dogs in southern Brazil

Resumos

Em área endêmica de leishmaniose tegumentar americana no Município de Jussara, Estado do Paraná, Brasil, detectaram-se três cães domésticos infectados por Leishmania (Viannia) brasiliensis.

Leishmaniasis; Leishmania


In an American cutaneous leishmaniasis endemic area in Jussara county, Paraná State, Brazil, three dogs were found to be infected by Leishmania (Viannia) braziliensis.

Leishmaniasis; Leishmania


NOTAS E INFORMAÇÕES NOTES AND INFORMATION

Nota sobre leishmaniose canina no noroeste do Estado do Paraná, sul do Brasil* * Apresentado no Encontro Científico da Universidade Estadual de Maringá, 4 o, Maringá, 1992.

Leishmaniasis in dogs in southern Brazil

Maria Valdrinez Campana LonardoniI; Ueslei TeodoroI; Sandra Mara Alessi Aristides ArraesI; Thaís Gomes Verzignassi SilveiraI; Dennis Armando BertoliniI; Edna A.Y. IshikawaII; Jeffrey J. ShawII

IDepartamento de Análises Clínicas da Universidade Estadual de Maringá - Maringá, PR - Brasil

IISeção de Parasitologia do Instituto Evandro Chagas - Belém, PA - Brasil

RESUMO

Em área endêmica de leishmaniose tegumentar americana no Município de Jussara, Estado do Paraná, Brasil, detectaram-se três cães domésticos infectados por Leishmania (Viannia) brasiliensis.

Descritores: Leishmaniose, epidemiologia. Leishmania, isolamento.

ABSTRACT

In an American cutaneous leishmaniasis endemic area in Jussara county, Paraná State, Brazil, three dogs were found to be infected by Leishmania (Viannia) braziliensis.

Keywords: Leishmaniasis, epidemiology. Leishmania, isolation.

A leishmaniose tegumentar americana ocorre em ambientes florestais primitivos e tem sido classicamente descrita como uma zoonose6. Nesses ambientes, o ciclo do parasita processa-se sem a participação humana, caracterizando o foco silvestre, onde a manifestação da doença existe concomitantemente com a atividade humana4. Contudo, a parasitose humana vem sendo relatada em áreas que sofreram notáveis modificações ambientais2,3,5.

No Estado do Paraná, a leishmaniose cutânea vem sendo* notificada com freqüência, ocorrendo diversos casos entre mulheres e crianças8,9. No Município de Jussara, Paraná, já foram assinalados inúmeros casos, inclusive entre membros de uma mesma família8.

A infecção de animais domésticos (cavalos, muares e cães) em áreas endêmicas1,3,6 sugere a participação desses animais na cadeia de transmissão de Leishmania nos ambientes domiciliar e peridomiciliar.

Alguns pacientes atendidos no laboratório da Universidade Estadual de Maringá relataram que seus cães também apresentavam úlceras de difícil cicatrização, lembrando a leishmaniose tegumentar. A investiação de três cães domésticos, pertencentes a moradores da fazenda Jussara, através de biópsia de lesões e esfregaço por aposição, corado pelo método de Giemsa, revelou a presença de formas amastigotas de Leishmania nos três animais (Tabela). O material de biópsia foi triturado em gral e inoculado nas patas traseiras de hamsters, nos quais posteriormente houve desenvolvimento de lesões, e destas isolou-se Leishmania em meio de cultura Blood Agar Base (BAB)10. As leishmânias isoladas dos três cães (MCAN/BR/91/1CS, MCAN/ BR/91/2CT, MCAN/BR/92/3CAO) foram identificadas como serodema I de Leishmania (Viannia) braziliensis, com o emprego de método de identificação de anticorpos monoclonais7, no Instituto Evandro Chagas, Belém do Pará (Tabela).

Este é o primeiro relato de isolamento e identificação de Leishmania (Viannia) braziliensis em cães, no Estado do Paraná.

Agradecimentos

À Cia. Melhoramentos Norte do Paraná, de Cianorte, pelas facilidades que ofereceu para a realização desta investigação em terras de sua propriedade.

Recebido para publicação em 19.8.92

Reapresentado em 9.8.93

Aprovado para publicação em 23.8.93

Separatas/Reprints: M.V.C Lonardoni - Av. Colombo 3690 -87020-900 - Maringá, PR - Brasil

  • 1. AGUILAR, C.M. et al. Cutaneous leishmaniasis is frequent in equines from an endemic area in Rio de Janeiro, Brazil. Mem. Inst. Oswaldo Cruz, 81: 471-72, 1986.
  • 2. DIAS,M. et al. Epidemiologia da leishmaniose tegumentar americana. I. Estudo de reservatórios em área endęmica no Estado de Minas Gerais. Rev. Inst. Med. Trop. S. Paulo, 19: 403-10, 1977.
  • 3. FALQUETO, A. et al. Participaçăo do căo no ciclo de transmissăo de leishmaniose tegumentar no município de Viana, Estado do Espírito Santo, Brasil. Mem. Inst. Oswaldo Cruz, 81: 55-63, 1986.
  • 4. GOMES, A. de C. et al. Aspectos epidemiológicos da leishmaniose tegumentar americana. 8. Avaliaçăo da atividade enzoótica de Leishmania (Viannia) braziliensis, em ambiente florestal e peridomiciliar, na regiăo do Vale do Ribeira, Estado de Săo Paulo, Brasil. Rev. Inst. Med. Trop. S. Paulo,32: 105-15,1990.
  • 5. MAYRINK, W. et al. Epidemiology of dermal leishmaniasis in the Rio Doce Valley, state of Minas Gerais, Brazil. Ann. Trop. Med. Parasit., 73:123-37, 1979.
  • 6. FIRMEZ, C. et al. Canine american cutaneous leishmaniasis: a clinical and imunology study in dogs naturally infected with Leishmania (Viannia) braziliensis in an endemic area of Rio de Janeiro, Brazil. Amer. J. Trop. Med. Hyg., 38:52-8, 1988.
  • 7. SHAW, J.J. et al. A rapid and sensitive method for the identification of Leishmania with monoclonal antibodies using fluorescein labelled avidin. Trans. R. Soc. Trop. Med. Hyg., 83: 783-4, 1989.
  • 8. TEODORO, U. et al. Da necessidade de se adotar e divulgar esquemas terapęuticos para tratamento de leishmaniose tegumentar no Paraná. Rev. Inst. Med. Trop. S. Paulo, 33: 199-204, 1991.
  • 9. VERZIGNASSI, T.G. et al. Leishmaniose tegumentar americana: aspectos epidemiológicos no norte do Paraná, Brasil, In: Reuniăo da Sociedade Brasileira para o Progresso da Cięncia, 40a, Săo Paulo, 1988. Anais. Săo Paulo, 1988. p. 884.
  • 10. WALTON, B.C. et al. Observations on the in vitro cultivation of Leishmania braziliensis. J. Parasit., 63: 1118-9, 1977.

  • *
    Apresentado no Encontro Científico da Universidade Estadual de Maringá, 4
    o, Maringá, 1992.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    28 Out 2003
  • Data do Fascículo
    Out 1993

Histórico

  • Recebido
    19 Ago 1992
  • Revisado
    09 Ago 1993
  • Aceito
    23 Ago 1993
Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Avenida Dr. Arnaldo, 715, 01246-904 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3061-7985 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revsp@usp.br