Adaptação cultural e parâmetros psicométricos da versão brasileira da "Need for Recovery Scale"

OBJETIVO: Traduzir a escala Need for Recovery Scale para a língua portuguesa visando a adaptação cultural e apresentando a estabilidade, consistência interna e validade convergente da versão brasileira em trabalhadores da indústria. MÉTODOS: A tradução da escala seguiu normas para adaptações culturais de questionários, que envolveu as etapas de tradução, síntese, retro-tradução, revisão por especialistas e pré-teste. A versão final da escala em português, denominada Escala de Necessidade de Descanso foi avaliada pelos testes de estabilidade (n=52) e de consistência interna (n=192) e quanto à validade convergente em avaliações simultâneas com outros instrumentos: Escala de Borg (n=59), Questionário de Fadiga de Chalder (n=57) e escalas do Short Form-36 (n=56). RESULTADOS: A estabilidade e consistência interna da escala atingiram o critério de medida confiável (ICC=0,80 e α de Cronbach=0,87, respectivamente). A validade convergente entre a versão brasileira da escala e os outros instrumentos também apresentaram bons resultados: Escala de Borg (r=0,64); Questionário de Fadiga de Chalder (r=0,67); escalas do Short Form-36: vitalidade (r=-0,84), capacidade funcional (r=-0,54) e aspectos físicos (r=-0,47). CONCLUSÕES: A versão brasileira da escala Need for Recovery Scale apresentou boa confiabilidade para avaliação de sintomas de fadiga relacionada ao trabalho. Além disto, apresentou correlações satisfatórias e significativas com outros instrumentos aceitos pela literatura, o que valida a escala para utilização em trabalhadores de perfil semelhante ao estudado.

Fadiga; diagnóstico; Questionários; Tradução (Produto); Condições de Trabalho; Reprodutibilidade dos Testes; Validade dos Testes


Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Avenida Dr. Arnaldo, 715, 01246-904 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3061-7985 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revsp@usp.br