Dias potenciais de gravidez perdidos: uma medida inovadora da idade gestacional

Carmen Simone G Diniz Jessica Reis-Queiroz Carlos A. Kawai Marcel Reis Queiroz Eliana de Aquino Bonilha Denise Yoshie Niy Sonia Lansk Brena Sena Sobre os autores

RESUMO

No Brasil, o excesso de intervenções que antecipam o parto, como cesarianas e induções, tem resultado no encurtamento da gestação, com consequências negativas nos desfechos materno-infantis. Neste comentário apresentamos uma medida inovadora da idade gestacional que estamos desenvolvendo: a variável contínua “dias potenciais de gravidez perdidos”. Utilizando dados do Sistema de Informações de Nascidos Vivos, contamos, quando possível, os dias faltantes entre o período até o nascimento e a duração média da gestação (280 dias), ou então as semanas perdidas. Essa medida pode ser usada como variável desfecho (de características socioeconômico-demográficos da mãe, do tipo de parto, de financiamento etc.) ou de exposição (para desfechos neonatais, infantis e maternos). O indicador pode ser usado em coortes municipais e nacionais e em estudos de intervenção, para analisar hospitais e territórios. Discutimos os limites e alcances das medidas de idade gestacional e, diante de suas imprecisões, a importância de estudar suas tendências.

Idade Gestacional; Recém-Nascido, crescimento & desenvolvimento; Trabalho de Parto Induzido, efeitos adversos; Cesárea; Doença Iatrogênica; Estatísticas Vitais

Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Avenida Dr. Arnaldo, 715, 01246-904 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3061-7985 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revsp@usp.br