AUMENTO NA PRODUÇÃO DE SEMENTES DE GIRASSOL (Helianthus annuus) PELA AÇÃO DE INSETOS POLINIZADORES

A.C. de C.C. MORETI R.M.B. da SILVA E.C.A. da SILVA M.L.T.M.F. ALVES I.P. OTSUK Sobre os autores

Resumos

Foram realizados dois ensaios nos quais compararam-se plantas de girassol, do cultivar Anhandy, livremente visitadas por insetos(testemunhas) e outras impedidas de visitação por dois métodos (cobertura de plantas com gaiolas teladas, de 3m de largura, 4m de comprimento e 2m de altura, e ensacamento de capítulos com filó). O número, o peso e a porcentagem de sementes granadas foram significativamente maiores (P<0,05) nas plantas visitadas (579,28; 41,17g e 82,37%; 456,97; 23,44g 79,70%, nos dois ensaios), em relação às plantas cobertas com gaiolas teladas (81,53; 2,23g e 1,16% no primeiro ensaio e 111,92; 3,16g e 28,49%, no segundo). O número e o peso de sementes não granadas foram significativamente maiores (P<0,05) nas plantas cobertas com gaiolas teladas (416,29 e 6,58g; 375,25 e 5,04g, nos dois ensaios) em relação à testemunha (142,69 e 1,71g; 182,38 e 2,53g). Os capítulos ensacados com filó apresentaram valores de porcentagem de sementes granadas intermediários entre as plantas testemunhas e as cobertas com gaiolas teladas (64,56 no primeiro ensaio e 68,61, no segundo). Pode-se concluir que o cultivar de girassol em estudo apresenta significativo aumento de produção de sementes devido a visitas de insetos polinizadores, principalmente abelhas, e que as gaiolas teladas são mais indicadas como método para impedir o acesso de insetos polinizadores.

aumento de produção; girassol; polinização; abelhas africanizadas; Apis mellifera


Sunflower plants, cv Anhandy, freely visited by insects (control) were compared to plants protected from insects. Two flower isolation methods were used: covering the plants with net cages (width 3m, lenght 4m, height 2m) and bagging the flowers with gauze. The number, the weight and the percentage of seed setting were significantly higher (P<0.05) in the visited plants (579.28; 41.17g and 82.37%; 456.97; 23.44g 79.70%, in two trials) than in plants protected by cages (81.53; 2.23g and 1.16% in the first trial and 111.92; 3.16g e 28.49%, in the second). The number and the weight of no seed settings were significantly higher (P<0.05) in the plants covered with cages (416.29 and 6.58g; 375.25 and 5.04g in two trials) than in the control (142.69 and 1.71g; 182.38 and 2.53g). The percentage of seed setting in the bagged flowers with gauze was intermediate to the control plants and the covered plants. (64.56% in the first trial and 68.61%, in the second). It is concluded that the sunflower, cv Anhandy, presents a significant increase of seed production due to visits of pollinating insects, mainly honey bees. Cage is the most indicated method to protect plants from pollinating insects.

production increase; sunflower; pollination; Africanized honey bee; Apis mellifera


AUMENTO NA PRODUÇÃO DE SEMENTES DE GIRASSOL (Helianthus annuus) PELA AÇÃO DE INSETOS POLINIZADORES

A.C. de C.C. MORETI1,4; R.M.B. da SILVA2; E.C.A. da SILVA2; M.L.T.M.F. ALVES2; I.P. OTSUK3

1Seção de Apicultura-IZ, C.P. 60, CEP: 13460-000 - Nova Odessa, SP.

2Centro de Apicultura Tropical-IZ, C.P. 176, CEP: 12400-000 - Pindamonhangaba, SP.

3Seção de Estatística e Técnicas Experimentais-IZ, C.P. 60, CEP: 13460-000 - Nova Odessa, SP.

4Bolsista do CNPq.

RESUMO: Foram realizados dois ensaios nos quais compararam-se plantas de girassol, do cultivar Anhandy, livremente visitadas por insetos(testemunhas) e outras impedidas de visitação por dois métodos (cobertura de plantas com gaiolas teladas, de 3m de largura, 4m de comprimento e 2m de altura, e ensacamento de capítulos com filó). O número, o peso e a porcentagem de sementes granadas foram significativamente maiores (P<0,05) nas plantas visitadas (579,28; 41,17g e 82,37%; 456,97; 23,44g 79,70%, nos dois ensaios), em relação às plantas cobertas com gaiolas teladas (81,53; 2,23g e 1,16% no primeiro ensaio e 111,92; 3,16g e 28,49%, no segundo). O número e o peso de sementes não granadas foram significativamente maiores (P<0,05) nas plantas cobertas com gaiolas teladas (416,29 e 6,58g; 375,25 e 5,04g, nos dois ensaios) em relação à testemunha (142,69 e 1,71g; 182,38 e 2,53g). Os capítulos ensacados com filó apresentaram valores de porcentagem de sementes granadas intermediários entre as plantas testemunhas e as cobertas com gaiolas teladas (64,56 no primeiro ensaio e 68,61, no segundo). Pode-se concluir que o cultivar de girassol em estudo apresenta significativo aumento de produção de sementes devido a visitas de insetos polinizadores, principalmente abelhas, e que as gaiolas teladas são mais indicadas como método para impedir o acesso de insetos polinizadores.

Descritores: aumento de produção, girassol, polinização, abelhas africanizadas, Apis mellifera

INCREASE OF SUNFLOWER (Helianthus annuus) SEED PRODUCTION BY POLLINATING INSECT ACTION

ABSTRACT: Sunflower plants, cv Anhandy, freely visited by insects (control) were compared to plants protected from insects. Two flower isolation methods were used: covering the plants with net cages (width 3m, lenght 4m, height 2m) and bagging the flowers with gauze. The number, the weight and the percentage of seed setting were significantly higher (P<0.05) in the visited plants (579.28; 41.17g and 82.37%; 456.97; 23.44g 79.70%, in two trials) than in plants protected by cages (81.53; 2.23g and 1.16% in the first trial and 111.92; 3.16g e 28.49%, in the second). The number and the weight of no seed settings were significantly higher (P<0.05) in the plants covered with cages (416.29 and 6.58g; 375.25 and 5.04g in two trials) than in the control (142.69 and 1.71g; 182.38 and 2.53g). The percentage of seed setting in the bagged flowers with gauze was intermediate to the control plants and the covered plants. (64.56% in the first trial and 68.61%, in the second). It is concluded that the sunflower, cv Anhandy, presents a significant increase of seed production due to visits of pollinating insects, mainly honey bees. Cage is the most indicated method to protect plants from pollinating insects.

Key Words: production increase, sunflower, pollination, Africanized honey bee, Apis mellifera

INTRODUÇÃO

O girassol (H. annuus) é uma planta nativa da América, tendo sido levado à Europa pelos colonizadores espanhóis e portugueses onde passou a ser cultivado como planta ornamental. Na Rússia, descobriram-se, no século passado, as propriedades oleaginosas dos frutos, quando foi reintroduzida na América do Norte, via Canadá.

Por ser uma planta alógama, necessita de insetos polinizadores para produção de sementes e vários trabalhos demonstram a importância das abelhas na polinização desta cultura no Brasil e no exterior: (Amaral, 1963, Mc Gregor, 1976, Pesson & Louveaux, 1984, Moreti, 1989, Moreti et al., 1991b, Free, 1993).

As abelhas da espécie Apis mellifera são os principais polinizadores da cultura na região de Piracicaba, SP, Brasil (Shinohara et al., 1987 e Moreti & Marchini, 1992), podendo representar de 80 a 90% das abelhas visitantes na Hungria (Benedek & Manninger, 1972).

O presente trabalho foi realizado com objetivo de verificar se o girassol, cv Anhandy, poderia ter sua produção aumentada pela ação de insetos polinizadores, principalmente abelhas da espécie Apis mellifera, numa área onde a concentração de colmeias destas abelhas é bastante elevada, utilizando-se dois métodos para cobertura de plantas.

MATERIAL E MÉTODOS

Foram realizados dois ensaios (o primeiro em dezembro de 1992 e o segundo em janeiro de 1993) no Centro de Apicultura Tropical do Instituto de Zootecnia, em Pindamonhangaba, SP, Brasil (22o57'S, 45o27'W, altitude 560m), nos quais comparou-se a produção de plantas de girassol livremente visitadas por insetos (testemunha) com outras impedidas de visitação por dois métodos (cobertura de plantas com gaiolas teladas de 3m de largura, 4m de comprimento e 2m de altura, e ensacamento de capítulos com filó).

Após a instalação da cultura no campo, 24 áreas de 3mX4m foram demarcadas aleatoriamente por todo o campo experimental (aproximadamente 2ha). Após a formação dos capítulos, em cada uma das áreas demarcadas, as plantas que apresentavam capítulos com diâmetros aproximadamente iguais foram etiquetadas. Dentre estas plantas etiquetadas, 20 foram sorteadas para serem avaliadas. Cada repetição, portanto, representava a média de 20 capítulos.

As gaiolas teladas e os sacos de filó foram instalados na cultura no início de seu florescimento, sendo que as primeiras foram desmontadas no final deste, e os últimos permaneceram sobre os capítulos até a colheita.

Após a colheita os capítulos foram secos, procedendo-se, em seguida, a separação, contagem e pesagem das sementes granadas e não granadas.

O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente ao acaso com três tratamentos (capítulos ensacados com filó, plantas cobertas com gaiolas teladas e testemunha) e dez repetições.

Visando verificar a melhor transformação estabilizadora da variância, utilizou-se a tabela fornecida por Barbosa (1983) com base em Rao (1970), na qual, dependendo da relação existente entre a média e a variância, uma transformação é sugerida. Desta forma, os dados referentes ao número e peso das sementes granadas no primeiro ensaio e peso de sementes não granadas no primeiro e segundo ensaios, foram transformados em log x para análise. Já os dados referentes ao peso de sementes granadas no segundo ensaio, foram transformados em raiz de x e os dados de porcentagem de sementes granadas no primeiro ensaio, e no segundo ensaio em arco seno da raiz de x/100. Todos os dados de produção foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey (P<0,05).

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Observando a TABELA 1, o número, a porcentagem de sementes granadas, e seu peso total foram significativamente maiores (P<0,05) nas plantas visitadas por insetos em relação às plantas impedidas de visitação pela gaiola telada.

As figuras 1 e 2 foram construídas considerando-se a produção de sementes granadas na planta testemunha, como 100% do que a planta pode produzir no primeiro e segundo ensaios, respectivamente. Verifica-se, com base nestas figuras que os insetos, colaboraram para um aumento de produção na cultura.

Figura 1
- Número, peso e porcentagem de sementes granadas por capítulo de girassol do cultivar Anhandy, em plantas cobertas por filó e gaiola telada e em plantas descobertas (testemunha), no ensaio 1. Dados transformados em porcentagem em relação à testemunha.
Figura 2
- Número, peso e porcentagem de sementes granadas por capítulo de girassol do cultivar Anhandy, em plantas cobertas por filó e gaiola telada e em plantas descobertas (testemunha), no ensaio 2. Dados transformados em porcentagem em relação à testemunha.

As abelhas eram os insetos mais frequentes na área em estudo (uma média de 5,30 visitas de A. mellifera/flor no horário mais visitado, quando a cultura estava em pleno florescimento, segundo Moreti et al., 1993), uma vez que o local apresenta uma grande concentração populacional deste inseto (cerca de 400-450 colmeias ou núcleos).

O aumento no número de sementes granadas foi da ordem de: 75,5 a 86% para o segundo e primeiro ensaios, respectivamente, quando foram comparadas as plantas livremente visitadas por insetos e as cobertas com gaiolas (figuras 1 e 2) (o que concorda com as observações de Manzoor & Fiaz, 1980, no Paquistão, para a variedade Armavec de girassol).

Houve, ainda, um aumento de 86,5 a 94,6% no peso das sementes(no segundo e primeiro ensaios, respectivamente) e de 64,2 a 76,7% em relação à porcentagem de granação das sementes, quando foram comparadas as plantas testemunhas e as impedidas de visitação por meio de gaiolas (figuras1 e 2) (dados estes que superam as porcentagens de aumento de produção de sementes obtidas por Chachero & Sassenberg (1973) na Argentina, usando a variedade Impira INTA, que foi de 64%; as de Guynn & Joycox (1973) obtidas com a variedade HO-1, nos Estados Unidos da América, que foi de 66,9%; as de Radford & Rhodes (1980) (59,1% com 36 visitas, enquanto as plantas ensacadas nada produziram) obtidas em Queensland, Austrália, utilizando linhagens macho-estéreis e as de Choi & Oh (1986) (71%) na Coréia do Sul).

As porcentagens de aumento na produção do girassol apresentadas no presente trabalho, realizado em Pindamonhangaba, SP, são próximas às obtidas por Moreti et al.(1991b), na região de Piracicaba, SP, durante os meses de dezembro de 1986 e janeiro de 1987, utilizando o mesmo cultivar, porém, em condições climáticas pouco diferentes pois, embora as duas localidades, segundo a classifi-cação de Köeppen, possuam o tipo climático CWa (quente com inverno seco), segundo Verdade et al. (1961), a região de Pindamonhangaba, apresenta-se como uma transição entre verão chuvoso e inverno seco, para inverno relativamente chuvoso. As porcentagens são, no entanto, bem superiores às obtidas por Moreti et al. (1993), em trabalho preliminar também realizado no Centro de Apicultura Tropical, em Pindamonhangaba, SP.

Os capítulos ensacados com filó, no entanto, apresentaram número e peso de sementes granadas semelhantes à testemunha (P>0,05) (TABELA 1). A porcentagem de sementes granadas, por sua vez, apresentou valores intermediários entre as plantas testemunhas e aquelas cobertas com gaiolas (TABELA 1), confirmando não ser este um método adequado para impedir o acesso de abelhas à plantas de girassol, fato já observado por Moreti (1989) e Moreti et al. (1991a).

O número e o peso das sementes não granadas, ao contrário, foram significativamente maiores (P<0,05) nas plantas cobertas com gaiolas teladas em relação à testemunha (TABELA 2).

CONCLUSÃO

Com base nos resultados obtidos pode-se concluir que o girassol, do cultivar Anhandy, apresenta significativo aumento de produção de sementes em sua cultura, devido a presença de insetos, principalmente abelhas, e que as gaiolas teladas são mais indicadas como método para impedir o acesso de insetos polinizadores.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AMARAL, E. O trabalho da Apis mellifera L. em ambientes exíguos. Revista de Agricultura, v.38, n.4, p.197-202, 1963.

BARBOSA, J.C. O problema da heterocedasticidade na análise da variância. Piracicaba: ESALQ, 1983. 14p.

BENEDEK,P.; MANNINGER, S. Pollinating insects of sunflower and activity of honey bees on the crop. Novénytermelés, v.21, n.2, p.145-157, 1972.

CHACHERO, C.R.; SASSENBERG, J.W. Las abejas y su relación con los rendimientos del girasol. Gaceta del Colmenar, v.35, n. 1, p.2-3, 1973.

CHOI, S.Y.; OH, H.W. Studies on the foraging activity of honey bees (Apis mellifera) on sunflowers and sunflower seed set. Korean Journal of Apiculture, v.1, n.2, p.109-118, 1986.

FREE, J.B. Insect pollination of crops. London: Academic Press, 1993. 684p.

GUYNN, G.; JOYCOX, E.R. Observations on sunflower pollination in Illinois. American Bee Journal, v.113, n.5, p.168-169, 1973.

MANZOOR, U.H.; FIAZ, M. Insect pollination of sunflower (Helianthus annuus) in Pakistan. Journal of Apicultural Research, v.19, n.1, p.83-89, 1980.

McGREG0R, S.E. Insect pollination of cultivated crop plants. Washington: USDA, 1976. 411p. (Agriculture Handbook, 496).

MORETI, A.C.C.C. Estudo sobre a polinização entomófila do girassol (Helianthus annuus) utilizando diferentes métodos de isolamento de flores. Piracicaba, 1989. 126p. Tese (Doutorado) - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiróz", Universidade de São Paulo.

MORETI, A.C.C.C.; MARCHINI, L.C Observações sobre as abelhas visitantes da cultura do girassol (Helianthus annuus) em Piracicaba, SP. Zootecnia, v.30, n. único, p.21-27, 1992.

MORETI, A.C.C.C.; MARCHINI, L.C.; SCHAMMASS, E.A. Comparação entre diferentes métodos de cobertura de plantas para impedir o acesso de abelhas à flores, em testes de polinização. Boletim de Indústria Animal, v.48, n.1, p.49-56, 1991a.

MORETI, A.C.C.C.; MARCHINI, L.C.; SCHAMMASS, E.A. Efeito das visitas de abelhas sobre a polinização de três cultivares de girassol (Helianthus annuus), Piracicaba, SP. Boletim de Indústria Animal, v.48, n.2, p.83-91, 1991b.

MORETI, A.C.C.C.; SILVA, E.C.; ALVES, M.L.T.M.F.; SILVA, R.M.B.; OTSUK, I.P. Observações iniciais sobre a polinização do girassol (Helianthus annuus) efetuada por Apis mellifera L., Pindamonhangaba, SP. Boletim de Indústria Animal, v.50, n.1, p.31-34, 1993.

PESSON, P.; LOUVEAUX, J. Pollinisation et productions végétales. Paris: INRA, 1984. 663p.

RAO, C.R. Estimation of heterocedastic variances in linear models. Journal of American Statistical Association, v.65, p.161-172, 1970.

RADFORD, B.J.; RHODES, J.W. Effect of honey bee activity on the pollination of sunflower. Australasian Beekeeper, v.81, n.8, p.173-175, 1980.

SHINOHARA, R.; MARCHINI, L.C.; HADDAD, M.L. Importância da polinização entomófila na cultura do girassol. Zootecnia, v.25, n.3, p.275-287, 1987.

VERDADE, F.C.; HUNGRIA, L.S.; RUSSO, R.; NASCIMENTO, A. C.; GROHMANN, F.; MEDINA, H. P. Solos da bacia de Taubaté (Vale do Paraíba). Levantamento de reconhecimento. Séries monotípicas, suas propriedades genético-morfológicas, físicas e químicas. Bragantia, v.20, p.43-322, 1961.

Recebido para publicação em 27.06.96

Aceito para publicação em 22.10.96

  • AMARAL, E. O trabalho da Apis mellifera L. em ambientes exíguos. Revista de Agricultura, v.38, n.4, p.197-202, 1963.
  • BARBOSA, J.C. O problema da heterocedasticidade na análise da variância. Piracicaba: ESALQ, 1983. 14p.
  • BENEDEK,P.; MANNINGER, S. Pollinating insects of sunflower and activity of honey bees on the crop. Novénytermelés, v.21, n.2, p.145-157, 1972.
  • CHACHERO, C.R.; SASSENBERG, J.W. Las abejas y su relación con los rendimientos del girasol. Gaceta del Colmenar, v.35, n. 1, p.2-3, 1973.
  • CHOI, S.Y.; OH, H.W. Studies on the foraging activity of honey bees (Apis mellifera) on sunflowers and sunflower seed set. Korean Journal of Apiculture, v.1, n.2, p.109-118, 1986.
  • FREE, J.B. Insect pollination of crops London: Academic Press, 1993. 684p.
  • GUYNN, G.; JOYCOX, E.R. Observations on sunflower pollination in Illinois. American Bee Journal, v.113, n.5, p.168-169, 1973.
  • MANZOOR, U.H.; FIAZ, M. Insect pollination of sunflower (Helianthus annuus) in Pakistan. Journal of Apicultural Research, v.19, n.1, p.83-89, 1980.
  • MORETI, A.C.C.C. Estudo sobre a polinizaçăo entomófila do girassol (Helianthus annuus) utilizando diferentes métodos de isolamento de flores. Piracicaba, 1989. 126p. Tese (Doutorado) - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiróz", Universidade de Săo Paulo.
  • MORETI, A.C.C.C.; MARCHINI, L.C Observaçőes sobre as abelhas visitantes da cultura do girassol (Helianthus annuus) em Piracicaba, SP. Zootecnia, v.30, n. único, p.21-27, 1992.
  • MORETI, A.C.C.C.; MARCHINI, L.C.; SCHAMMASS, E.A. Comparaçăo entre diferentes métodos de cobertura de plantas para impedir o acesso de abelhas ŕ flores, em testes de polinizaçăo. Boletim de Indústria Animal, v.48, n.1, p.49-56, 1991a.
  • MORETI, A.C.C.C.; MARCHINI, L.C.; SCHAMMASS, E.A. Efeito das visitas de abelhas sobre a polinizaçăo de tręs cultivares de girassol (Helianthus annuus), Piracicaba, SP. Boletim de Indústria Animal, v.48, n.2, p.83-91, 1991b.
  • MORETI, A.C.C.C.; SILVA, E.C.; ALVES, M.L.T.M.F.; SILVA, R.M.B.; OTSUK, I.P. Observaçőes iniciais sobre a polinizaçăo do girassol (Helianthus annuus) efetuada por Apis mellifera L., Pindamonhangaba, SP. Boletim de Indústria Animal, v.50, n.1, p.31-34, 1993.
  • PESSON, P.; LOUVEAUX, J. Pollinisation et productions végétales Paris: INRA, 1984. 663p.
  • RAO, C.R. Estimation of heterocedastic variances in linear models. Journal of American Statistical Association, v.65, p.161-172, 1970.
  • RADFORD, B.J.; RHODES, J.W. Effect of honey bee activity on the pollination of sunflower. Australasian Beekeeper, v.81, n.8, p.173-175, 1980.
  • SHINOHARA, R.; MARCHINI, L.C.; HADDAD, M.L. Importância da polinizaçăo entomófila na cultura do girassol. Zootecnia, v.25, n.3, p.275-287, 1987.
  • VERDADE, F.C.; HUNGRIA, L.S.; RUSSO, R.; NASCIMENTO, A. C.; GROHMANN, F.; MEDINA, H. P. Solos da bacia de Taubaté (Vale do Paraíba). Levantamento de reconhecimento. Séries monotípicas, suas propriedades genético-morfológicas, físicas e químicas. Bragantia, v.20, p.43-322, 1961.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    10 Fev 1999
  • Data do Fascículo
    Maio 1996

Histórico

  • Recebido
    27 Jun 1996
  • Aceito
    22 Out 1996
Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Phone: +55 19 3429-4401 / 3429-4486 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br