Ácido giberélico, bissulfureto de carbono e ácido 2-4 cloroetil fosfônico e a dormência e produtividade de tubérculos de batata

Giberellic acid, carbon-disulphide and 2-4 chloro-ethyl phosphonic and the dormancy and yield of potato tubers

Resumos

Com o objetivo de avaliar a eficiência do ácido giberélico, bissulfureto de carbono e ácido 2-4 cloroetil-fosfônico (EthrellR) na quebra de dormência e na produção de batata, cv. "Marijke", foi conduzido um ensaio no período de 1990/ 91 em Piraí do Sul, PR . A superioridade do tratamento com o ácido 2-4-cloroetil-fosfônico em relação ao ácido giberélico e ao bissulfureto de carbono, aliada a sua facilidade de aplicação, justifica a sua recomendação com vistas a quebra de dormência de tubérculos do genótipo de batata em estudo, para a região de Piraí do Sul, PR, onde a dose de 842 mg.L-1 de EthrellR ocasionou a produção máxima de 23395 kg/ha.

Solanum tuberosum; batata; regulador vegetal; fisiologia vegetal


In order to evaluate the efficiency of giberellic acid, carbon-disulphide, and 2-4 chloro-ethyl phosphonic acid (EthrellR) on dormancy breaking and yield of potato cv. 'Marijke', an essay was conducted at Piraí do Sul, PR, Brazil, during 1990/1991. The superiority of the EthrellR treatment over giberellic acid and carbon-disulphide, and its easy application, justify its use for dormancy breaking of potato tubers, for the studied genotype and location, at the rate of 842 mg.L-1, resulting in a potato yield of 23,395 kg/ha.

Solanum tuberosum; potato; growth regulator; plant physiology


ÁCIDO GIBERÉLICO, BISSULFURETO DE CARBONO E ÁCIDO 2-4 CLOROETIL FOSFÔNICO E A DORMÊNCIA E PRODUTIVIDADE DE TUBÉRCULOS DE BATATA

Ricardo Antonio Ayub1,4*; Rui Scaramella Furiatti1; André Belmont Pereira2; Marie Y. Reghin1; David Ariovaldo Banzatto2; Alessandra Valéria de Oliveira3,4

1Depto. de Fitotecnia e Fitossanidade - UEPG, Praça Santos Andrade, s/n - CEP: 84010-330 - Ponta Grossa, PR.

2Depto. de Ciência do Solo e Engenharia Agrícola - UEPG.

3Graduanda do Depto. de Biologia - UEPG.

4Bolsista do CNPq.

*e-mail: rayub@uepg.br

RESUMO: Com o objetivo de avaliar a eficiência do ácido giberélico, bissulfureto de carbono e ácido 2-4 cloroetil-fosfônico (EthrellR) na quebra de dormência e na produção de batata, cv. "Marijke", foi conduzido um ensaio no período de 1990/ 91 em Piraí do Sul, PR . A superioridade do tratamento com o ácido 2-4-cloroetil-fosfônico em relação ao ácido giberélico e ao bissulfureto de carbono, aliada a sua facilidade de aplicação, justifica a sua recomendação com vistas a quebra de dormência de tubérculos do genótipo de batata em estudo, para a região de Piraí do Sul, PR, onde a dose de 842 mg.L-1 de EthrellR ocasionou a produção máxima de 23395 kg/ha.

Palavras-chave:Solanum tuberosum, batata, regulador vegetal, fisiologia vegetal

Giberellic acid, carbon-disulphide and 2-4 chloro-ethyl phosphonic and the dormancy and yield of potato tubers

ABSTRACT: In order to evaluate the efficiency of giberellic acid, carbon-disulphide, and 2-4 chloro-ethyl phosphonic acid (EthrellR) on dormancy breaking and yield of potato cv. 'Marijke', an essay was conducted at Piraí do Sul, PR, Brazil, during 1990/1991. The superiority of the EthrellR treatment over giberellic acid and carbon-disulphide, and its easy application, justify its use for dormancy breaking of potato tubers, for the studied genotype and location, at the rate of 842 mg.L-1, resulting in a potato yield of 23,395 kg/ha.

Key words:Solanum tuberosum, potato, growth regulator, plant physiology

INTRODUÇÃO

Os tubérculos de batata, logo após a colheita, encontram-se dormentes, devido a um balanço hormonal entre promotores e inibidores de crescimento (Hemberg, 1985). Isto acarreta problemas técnicos aos plantios consecutivos realizados no centro-sul do Brasil. O período de dormência varia em função do cultivar, condições de cultivo e de armazenagem, danos mecânicos e outros fatores (Beukema & Van der Zaag, 1979). Todos estes fatores relacionados ocasionam uma desuniformidade da cultura (Scholte, 1990) e consequentemente, diminuição de produtividade.

Vários métodos podem ser usados para quebrar a dormência da batata. Segundo Scholte (1990) o abafamento é eficiente na quebra de dormência do tubérculo. O mesmo autor também recomenda o uso do bissulfureto de carbono; contudo, em doses elevadas este pode promover o apodrecimento dos tubérculos (Beukema & Van der Zaag, 1979), possuindo ainda as desvantagens de exigir câmara hermética e ser um produto inflamável e muito tóxico (Bryan, 1989; Daniels et al., 1982).

Outro produto que além de quebrar a dormência pode evitar a dominância apical dos tubérculos (Lindblom, 1966) é o acido giberélico, que aplicado antes do início da brotação das gemas apicais promove maior uniformidade de brotação. Estes resultados foram confirmados por Bisognin et al. (1996). Também é conhecido o efeito do etileno na estimulação da saída do período de dormência (Latché et al., 1995).

O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência do acido giberélico, bissulfureto de carbono e ácido 2-4 cloroetil-fosfônico em diferentes doses na quebra de dormência e na produção de tubérculos de batata, cv. Marijke, nas condições edafoclimáticas do município de Piraí do Sul, PR, Brasil.

MATERIAL E MÉTODOS

O experimento foi conduzido na Fazenda Cumbuca, de propriedade do Sr. Hydeo Kayano, no ano de 1991, em Piraí do Sul, PR. Foram utilizados tubérculos-semente do tipo II fiscalizada, cv. Marijke. Os tubérculos encontravam-se dormentes no momento da aplicação dos tratamentos, tendo sido plantados em seguida. O plantio foi realizado em um latossolo vermelho amarelo, em 21/10/91 e a colheita em 12/01/92. Os tratos culturais foram efetuados de acordo com as recomendações para a cultura.

O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, em esquema fatorial 3X5, com três repetições. Os seguintes tratamentos foram testados: imersão por 10 minutos dos tubérculos semente em ácido giberélico (PROGIBBR) a 2, 4, 6, 8 e 10 mg.L-1; imersão por 5 segundos em ácido 2 cloro etil-fosfônico (EthrellR) a 100, 200, 400, 800 e 1000 mg.L-1; aplicação de bissulfureto de carbono por 72h, nas doses 10, 20, 30, 40 e 50 cm3.m-3 em estufa. A dose zero não foi utilizada, pois tem sido verificado que os tratamentos convencionais a base de ácido giberélico e bissulfureto de carbono são comprovadamente mais eficientes que a mesma (Meijers, 1972; Reghin, 1982).

Cada parcela foi constituída de 20 plantas, dispostas em 2 linhas com espaçamento de 0,75 x 0,30 m. Os parâmetros avaliados foram: número de hastes, stand final, número de flores/parcela e produção de tubérculos/hectare.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Na TABELA 1 estão contidas as médias das variáveis observadas no experimento, mediante aplicação dos produtos nas suas respectivas doses.

Analisando os resultados obtidos para produção, verificou-se que a interação entre doses e produtos foi altamente significativa (G= 5,51; CV = 24,43%; a = 1%), revelando, portanto, que existe efeito de produtos dentro das doses 2, 3, 4 e 5, observando-se que os produtos aplicados para a quebra de dormência de tubérculos de batata, respondem diferentemente dentro de tais doses em relação a produtividade da referida cultura. O tratamento a base de EthrellR, produziu 33% a mais que o tratamento a base de ácido giberélico e 52% mais que o tratamento a base de bissulfureto de carbono (TABELA 2).

Em função da interação significativa entre produtos e doses, conclui-se que existe efeito de doses do produto aplicado para a quebra de dormência sobre a produtividade da batata, quando os produtos utilizados são EthrellR (G = 7,67; CV = 16,94%) e ácido giberélico (G = 5,12; CV = 28,24%). Sendo assim, propõe-se uma equação de estimativa de produção em função de dose dentro de EthrellR (equação 1) e ácido giberélico (equação 2). Onde Y é a variável resposta produção e X a variável independente dose do produto.

Equação 1

Y = 4396,18 + 45,13 X - 0,0268 X2 ; r2 = 0,9712 ; F = 6,35*

Equação 2

Y = 167,20 + 4115,31 X - 306,49 .X2 ; r2 = 0,7147 ; F = 6,11*

A dose de Ethrell que permitiu a obtenção da produção máxima da cultura de 23395 kg/ha, sob as condições edafo-climáticas em que o experimento foi conduzido, foi da ordem de 842 mg.L-1. Entretanto, para o tratamento a base de ácido giberélico a produção máxima de 13981 kg/ha foi obtida quando se adotou a dose de 6,71 mg.L-1.

Com base nos resultados obtidos para o número de hastes e número de plantas na colheita, constatou-se que a interação dose versus produto não foi significativa. Porém houve efeito de produtos (TABELA 3) e de doses, isoladamente.

Observando-se a TABELA 3, referente a número de hastes (G = 2,28; CV = 11,63%; a = 1%) e número de plantas (G = 14,27; CV = 9,99%; a = 1%), pode-se constatar que o tratamento a base de EthrellR foi significa-tivamente superior aos demais, justificando desta forma o aumento da produção.

Com relação ao fator dose, o qual foi significativo mediante a aplicação do teste F, foi possível definir uma equação de regressão linear simples (eq. 3) dada por: Y = 1,3460 + 0,2133 X , r2 = 0,9789, onde Y é o número de hastes e X é a dose do produto a ser aplicada (G = 1,98; CV = 19,03%; a = 1%). No que tange ao número de plantas na colheita a equação definida (eq. 4) foi do tipo: Y = 11,4444 + 3,3682 X - 0,4762 X2, r2 = 0,8636, onde Y é o número de plantas e X é a variável preditora já anteriormente definida (G = 16,31; CV = 14,12%; a = 5%).

Em função da equação linear (eq. 3) para o número de hastes, não se pode definir a dose que assegura a melhor brotação. Já em relação ao número de plantas na colheita, a derivada da equação 4, indica que a dose de 3,54 fornece o maior número de plantas, independentemente do produto aplicado. Ressalta-se que a dose de 3,54 é equivalente a interpolação entre as doses de 6 e 8 ppm de ácido giberélico, correspondente a 7,08 ppm, e com um stand de 11,42 plantas/parcela, equivalente a 25378 plantas/ha.

No que tange aos resultados obtidos para a variável flor, mediante a aplicação do teste F, verificou-se que a interação entre os fatores em estudo foi significativa (G = 28,47; CV = 28,47; a = 5%) e, de acordo com o teste de Tukey (TABELA 3), a média do tratamento à base de EthrellR suplantou a média dos demais. O aumento do número de flores não foi prejudicial à produção. Este resultado pode ser decorrente de uma compensação pelo aumento do número de hastes e de plantas no tratamento à base de EthrellR.

De posse dos resultados apresentados, concluiu-se que o tratamento à base de EthrellR é eficiente na quebra de dormência de tubérculos-semente e no aumento da produção de batata, cv. Marijke, sendo a equação de produção do tipo quadrática aquela que definiu que a dose de 842 mg.L-1 de Ethrell ocasionou uma produção máxima de 23395 kg/hectare. A sua superioridade em relação ao ácido giberélico e ao bissulfureto de carbono, aliada a sua facilidade de aplicação, justifica a sua recomendação. Em função dos resultados promissores obtidos é importante que a dose de EthrellR seja ajustada para outros cultivares e épocas de plantio.

AGRADECIMENTOS

Ao CNPq, pelas bolsas de Iniciação Cientifica e de Produtividade em Pesquisa concedidas à A. V. Oliveira e ao Dr. R.A. Ayub, respectivamente.

Recebido para publicação em 22.10.98

Aceito para publicação em 01.09.99

  • BEUKEMA, H.P.; VAN DER ZAAG, D.E. Potato improvement: some factors and facts. Wageningen: International Agricultural Center, 1979. 224p.
  • BISOGNIN, D.; AMARANTE, C.; CANCI, P. Quebra de dormęncia e de dominância apical em batata. Horticultura Brasileira, v.14, p.23-26, 1996.
  • BRYAN, E.J. Ruptura del reposo en los tuberculos de papa. Lima: CIP, 15p. 1989. (Guía de Investigación CIP, 16).
  • DANIELS,J.; PATELLA, A.E.; LEAL, M. de L. da S. Métodos e efeitos de forçamento da brotaçăo em batata. Pelotas: EMBRAPA, UEPAE, 1982. 7p. (Comunicado Técnico, 24).
  • HEMBERG, T. Potato rest. In: LI, P.H. Potato physiology Orlando: Academic Press, 1985. p.353-388.
  • LATCHÉ, A.; AYUB, R.; MARTINEZ, G.; GUIS, M.; BENAMOR, M.; ROMBALDI, C.; PECH, JC.; BOUZAYEN, M. Biosynthčse et mode d' action de l'hormone végetal ethylčne. Fruits, v.50, p.23-26, 1995.
  • LINDBLOM, H. Apical dominance in relation to indole-3-acetic acid and giberellic acid. Zurich: Trienal Conference of European Association for Potato Research, 1966. p.184-185.
  • MEIJERS, C.P. Effect of carbon -disulphide on the dormancy and sprouting of seed potatoes. Potato Research, v.15, p.160-165, 1972.
  • REGHIN, M.Y. Estudo do forçamento químico da brotaçăo em batatas-semente (Solanum tuberosum L.). Botucatu, 1982. 132p. Dissertaçăo (Mestrado) - Faculdade de Cięncias Agronômicas, Universidade Estadual Paulista.
  • SCHOLTE, K. Breaking dormancy of seed potatoes Wageningen: International Agricultural Centre, 1990. 4p.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    22 Dez 2000
  • Data do Fascículo
    1999

Histórico

  • Recebido
    22 Out 1998
  • Aceito
    01 Set 1999
São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br