Detecção, danos e controle do cupim de madeira seca em móveis históricos do Museu Luiz de Queiroz

Detection, damage and control of the dry-wood termite in historical furniture of the Luiz de Queiroz Museum

Resumos

Este trabalho trata da detecção, danos e controle de Cryptotermes brevis em uma vitrina de 70 anos e um piano de 136 anos, do acervo do Museu Luiz de Queiroz, da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", em Piracicaba, SP.

Cryptotermes brevis; cupim; móveis históricos; dano; controle


This paper deals with the occurrence, damage and control of the dry-wood termite Cryptotermes brevis in a 70-year old show case and a 136-year old piano of the Museum Luiz de Queiroz, College of Agriculture Luiz de Queiroz, University of São Paulo, in Piracicaba, State of São Paulo, Brazil.

Cryptotermes brevis; termite; historic furniture; damage; control


Nota

Detecção, danos e controle do cupim de madeira seca em móveis históricos do Museu Luiz de Queiroz

Enrique Rafael Laffont1; Evôneo Berti Filho2*

1Universidade Nacional del Nordeste. Facultad de Ciencias Exactas y Naturales y Agrimensura. 9 de Julio 1449. 400. Corrientes, Argentina.

2Depto. de Entomologia, Fitopatologia e Zoologia Agrícola - USP/ESALQ, C.P. 9 - CEP: 13418-900 - Piracicaba, SP.

*Autor correspondente <eberti@carpa.ciagri.usp.br>

RESUMO: Este trabalho trata da detecção, danos e controle de Cryptotermes brevis em uma vitrina de 70 anos e um piano de 136 anos, do acervo do Museu Luiz de Queiroz, da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", em Piracicaba, SP.

Palavras-chave: Cryptotermes brevis, cupim, móveis históricos, dano, controle

Detection, damage and control of the dry-wood termite in historical furniture of the Luiz de Queiroz Museum

ABSTRACT: This paper deals with the occurrence, damage and control of the dry-wood termite Cryptotermes brevis in a 70-year old show case and a 136-year old piano of the Museum Luiz de Queiroz, College of Agriculture Luiz de Queiroz, University of São Paulo, in Piracicaba, State of São Paulo, Brazil.

Key wods: Cryptotermes brevis, termite, historic furniture, damage, control

INTRODUÇÃO

Os insetos da Ordem Isoptera, vulgarmente conhecidos como térmitas ou cupins, são ecologicamente benéficos mas, como grupo, situam-se entre os mais daninhos da Classe Insecta, pois cerca de 15% das espécies conhecidas atacam estruturas e produtos de madeira, florestas implantadas e culturas agrícolas, causando anualmente enorme prejuízo em regiões tropicais, subtropicais e temperadas (Mauldin, 1986). Edwards & Mill (1986) registram 245 espécies de térmitas, pertencentes a 30 gêneros, como responsáveis por danos em construções. Segundo Coulson (1984), as espécies que causam danos às construções incluem, principalmente por suas características biológicas, térmitas subterrâneos e térmitas de madeira seca. As primeiras nidificam abaixo da superfície do solo, de onde invadem estruturas de madeira, geralmente através dos alicerces. As espécies do segundo grupo, térmitas de madeira seca, formam colônias no interior das peças de madeira, sem entrar em contato com o solo, e o mais claro indício do ataque destes insetos é a presença de grânulos fecais de coloração marrom, encontrados sob a peça de madeira atacada.

MATERIAL E MÉTODOS

Os móveis atacados no Museu Luiz de Queiroz foram uma vitrina de exposição, de 6 m de comprimento e 70 anos de idade, e um piano fabricado no ano de 1862 (Figuras 1 e 2). O tratamento consistiu, primeiramente, na substituição das partes muito danificadas e irrecuperáveis da vitrina. Em seguida foram feitas perfurações, com uma furadeira elétrica usando brocas de 2 e 3 mm de diâmetro e 15 a 20 cm de comprimento, tanto nas áreas danificadas como naquelas não atacadas. Com auxílio de pisseta de 500 ml, com bico fino adaptado às perfurações feitas na madeira, foi injetado um inseticida específico, com três aplicações sucessivas, tapando-se os orifícios com cera de abelhas misturada com serragem fina. Finalmente o inseticida foi pincelado em todas as áreas não envernizadas dos móveis. O inseticida usado foi uma permetrina (CE), com um solvente Exvit-80 (Isoparafina), utilizando-se 150 ml do inseticida para cada 10 litros do solvente.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

A espécie de térmita detectada foi Cryptotermes brevis (Walker, 1853) (Isoptera: Kalotermitidae). Segundo Oliveira et al (1989) esta espécie vive no interior da madeira da qual se alimenta, em populações pouco numerosas, e suas colônias não apresentam construções muito elaboradas. Pertence ao grupo dos térmitas de madeira seca e poderia ser incluídos entre os insetos sinantrópicos, pois geralmente se restringem às madeiras processadas utilizadas em construções urbanas e na fabricação de móveis e não se encontra em hábitas naturais.

É uma espécie introduzida no Brasil, que se encontra atualmente em muitas regiões tropicais e subtropicais do mundo (Su & Scheffrahn, 1990). Foi acidentalmente introduzida nos Estados Unidos da América do Norte, estando atualmente estabelecida no Havaí, na Flórida e na Louisiana (Ebeling, 1975). Segundo Fontes (1995) é considerada uma das mais importantes espécies praga da cidade de São Paulo; as colônias, localizadas dentro das peças de madeira, são facilmente transportáveis, podendo espalhar a infestação e causar danos severos em móveis, madeiras estruturais e bibliotecas. Fowler & Forti (1989) relatam que esta espécie é encontrada em extensas áreas do Brasil, principalmente nas localidades costeiras.

Quanto a infestação encontrada no Museu Luiz de Queiroz, os danos foram muito grandes na vitrina de exposição (Figura 3) e em algumas peças se observava a presença dos térmitas através das perfurações circulares características, sendo frequente encontrar indivíduos (operários) circulando por células e galerias, quando se tiravam pedaços de madeira que mostravam algum tipo de dano. O piano foi atacado principalmente nas partes posterior e inferior da madeira, que sustentam os travessões da armadura. Danos menores foram detectados nas estruturas lavradas de madeira que sustentam o teclado do instrumento (Figura 4). Os excelentes resultados obtidos com a utilização do inseticida específico (permetrina) concordam com as observações de Oliveira (1983), que demonstraram a eficiência da permetrina, e de outros piretróides usados como princípio ativo na composição de inseticidas específicos para térmitas, quando comparada com a ação de um clorado.

A ocorrência desta espécie de térmita no mobiliário do Museu Luiz de Queiroz, constitui um alto risco para a preservação das peças que alí se encontram, considerando-se a possibilidade de que outras colônias da mesma espécie possam estar abrigadas em diferentes móveis ou elementos de grande valor histórico. Dado que o tratamento aplicado não garante a erradicação definitiva destes insetos, é extremamente importante a realização de inspeções freqüentes em todas as peças de madeira, a fim de localizar outros prováveis focos de infestação. Finalmente recomenda-se, como medida preventiva, o pincelamento periódico das mesmas com o produto termiticida usado no desenvolvimento deste trabalho.

AGRADECIMENTOS

À VITEX Agricultura e Pecuária Ltda., São Paulo, SP, pela doação do inseticida e do solvente utilizado no tratamento dos móveis históricos.

Ao Heraldo Negri de Oliveira, do Departamento de Entomologia, Fitopatologia e Zoologia Agrícola, ESALQ/USP, Piracicaba, SP, pelas fotos que ilustram este trabalho.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

COULSON, R.N. WITTER, J.A. Forest entomology: ecology and management. New York: John Wiley & Sons, 1984. 669p.

EBELING, W. Urban entomology. Berkeley: University of California, Division of Agricultural Sciences, 1975.

EDWARDS, R.; MILL, A.E. Termites in buildings: their biology and control. Sussex: Rentokill, 1986. 261p.

FONTES, L.R. Cupins em áreas urbanas. In: BERTI FILHO, E.; FONTES, L.R. (Ed.) Alguns aspectos atuais da biologia e controle de cupins. Piracicaba: FEALQ 1995. p. 57-75.

FONTES, L.R. Controle de cupins em ambientes urbanos. In: SIMPÓSIO LATINO AMERICANO DE CONTROLE DE PRAGAS URBANAS. 2., São Paulo, 1996. Anais. São Paulo: EXPOPRAG, 1996. p.53-68.

FOWLER, H.G.; FORTI, L.C. Situación y expectativas del problema y control de termes en Brasil. In: BACH PIELLA, C. (Coord.) Termitología y patrimonio historico: actas del I Symposium Internacional sobre Termitología y su incidencia en el patrimonio historico. Cordoba: ICE, Universidad de Cordoba, 1989. p. 45-65.

MAULDIN, J.K. Economic importance and control of termites in the United States. In: Vinson, S.B. (Ed.) Economic impact and control of social insects. New York: Praeger, 1986. p. 130-143.

OLIVEIRA, A.M.F.; LELIS, A.T.de; LEPAGE, E.S.; LOPEZ, G.A.C.; OLIVEIRA, L.C.S.; CAÑEDO, M.D.; MILANO, S. Agentes destruidores da madeira. In: LEPAGE, E.S. (Coord.) Manual de preservação de madeiras. São Paulo: IPT, Divisão de Madeiras. 1989. v.1, p. 99-278.

OLIVEIRA, A.M.F. Eficiência contra cupins de piretróides fotoestáveis. Resultado após 180 dias de aplicação. Boletim ABPM, v.4, p.1-12, 1983.

Recebido em 21.12.99

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    28 Abr 2000
  • Data do Fascículo
    Mar 2000

Histórico

  • Recebido
    21 Dez 1999
São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br