Caracterização e classificação de dois solos desenvolvidos de rocha básica na Zona da Mata úmida de Pernambuco, Brasil

Lindomário Barros de Oliveira Maria da Graça de Vasconcelos Xavier Ferreira Flávio Adriano Marques Sobre os autores

Superfícies geomórficas nas quais há ocorrência de solos derivados de rochas básicas sob condições de clima quente e úmido são cenários ímpares para estudos de solos tropicais. O presente trabalho objetivou caracterizar e classificar solos derivados de basalto na Zona da Mata Sul do Estado de Pernambuco. Dois pedons representativos foram selecionados no município do Cabo de Santo Agostinho. Após a descrição morfológica, foram coletadas amostras de seus horizontes para caracterização física, química, mineralógica e micromorfológica. Os solos foram classificados, de acordo com o Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (e com o "Soil Taxonomy"), como: Latossolo Vermelho-Amarelo distroférrico argissólico ("Typic Hapludox") (P1) e Nitossolo Vermelho distroférrico típico (Rhodic Paleudult") (P2). O Latossolo difere do Nitossolo por apresentar cores mais amareladas (centradas no matiz 5YR), pela ausência de pedofeições que indiquem argiluviação, maior friabilidade e pela transformação da estrutura prismática em blocos angulares e sub angulares. Ferri-argilãs e leptorrevestimentos (leptocutãs) indicam que iluviação, vertical e lateral de argila, é um processo ativo na formação do Nitossolo estudado. Na encosta estudada as elevadas precipitações pluviais, associadas à temperaturas também elevadas durante todo o ano, conduzem à formação de solos quimicamente muito pobres e mineralogicamente uniformes.

Nitossolo Vermelho; Latossolo Vermelho-Amarelo; Cabo de Santo Agostinho; solos tropicais


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br