Condutividade elétrica da solução de embebição de semente e emergência de plântulas de soja

O vigor de sementes de soja [Glycine max (L.) Merrill] tem sido avaliado por intermédio da medida da condutividade elétrica na solução de embebição das sementes, mostrando boa relação com a emergência de plântulas em campo. Estudou-se a relação entre os resultados do teste de condutividade elétrica e a emergência de plântulas de soja em campo e no laboratório. Vinte lotes de sementes foram submetidos aos testes de germinação, condutividade elétrica, envelhecimento acelerado e de frio, além da determinação da emergência de plântulas em campo e no laboratório, sob diferentes condições de deficiência hídrica no substrato. No laboratório, condições de deficiência hídrica foram simuladas usando-se potenciais matriciais de -0,03; -0,20; -0,40 e -0,60 MPa. Houve relação entre os resultados do teste de condutividade elétrica e os de emergência de plântulas em campo. No caso da emergência no laboratório, à medida que se diminuiu a quantidade de água no substrato houve redução na associação entre condutividade elétrica e emergência de plântulas. Foi também observada relação entre os dois parâmetros sob os potenciais matriciais de -0,03, -0,20 e -0,40 MPa. O teste de condutividade elétrica pode ser usado com sucesso na avaliação do vigor de sementes de soja e na identificação de lotes com maior ou menor potencial de emergência em campo.

Glycine max; vigor; qualidade fisiológica; deficiência hídrica


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br