Boro afeta o crescimento e a ultra-estrutura da mamoneira

A mamoneira é uma oleaginosa com grande potencial para a geração de renda na agricultura familiar e para produção de matéria prima para a indústria química e setor energético brasileiro, especialmente em regiões do semi-árido nordestino. A deficiência de boro (B) ocorre de forma generalizada no Brasil e a aplicação excessiva deste micronutriente pode causar toxicidade. Este estudo avalia o desenvolvimento e os efeitos ultra-estruturais de deficiência e toxicidade de boro em mamoneira. O experimento foi realizado em condições de casa de vegetação, com vasos de 10 L de solução nutritiva. Foram utilizados três tratamentos: testemunha (sem B); 0,27 e 5,40 mg L-1 B, uma planta por vaso, em delineamento experimental inteiramente ao acaso com três repetições. A produção de matéria seca de cada parte da planta foi avaliada e o teor de boro determinado. Foram observados os efeitos morfológicos e as alterações na ultra-estrutura celular nas folhas e pecíolos, através da técnica de microscopia eletrônica de transmissão e varredura. A produção de matéria seca da mamoneira foi afetada em condições de deficiência de boro, mas não em condições de toxicidade (5,4 mg L-1 B). Neste último tratamento foram constatadas cloroses nos bordos de folhas velhas e ausência de grânulos de amido. Na omissão de boro, as plantas apresentaram deformação de folhas novas, morte do meristema apical, engrossamento da lamela média, ausência de grânulos de amido nos cloroplastos e desorganização dos vasos condutores do pecíolo. O desenvolvimento e a produção da mamoneira são afetados em condições de deficiência de boro mas não na condição de toxicidade.

microscopia eletrônica; lamela média; micronutriente; xilema; amido


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br