Fluxo de água em um Gleyic Luvisol usando traçador e sua relação com as propriedades físicas e morfológicas do solo

O fluxo preferencial de água e o transporte de solutos relacionam-se com perdas de nutrientes e pesticidas e afetam a qualidade de águas subterrâneas. Foram realizados experimentos utilizando o traçador Brilhante Blue, um infiltrômetro de tensão (TI) e um infiltrômetro com "duplos quadrados" (DI) num campo experimental localizado a cerca de 15 km a sudeste da cidade de Rostock (nordeste da Alemanha) num solo onde cultiva-se milho (Zea mays L.) e cevada (Hordeum spp.). Um dia após a infiltração do traçador, perfis de solo foram escavados no local do TI e do DI para observar o fluxo da água deixado pelo do traçador no solo. O objetivo era verificar se os mosqueados vermelhos e partes esbranquiçadas cor-padrão do subsolo do Gleyic Luvisol, resultante da água estagnada temporariamente, poderia estar relacionada ao fluxo da água visualizados pelo traçador e se a cor do solo poderia estar relacionada a outras propriedades físicas do solo. A estrutura biogênica do solo foi a principal rota de transporte conduzindo água e solutos em profundidade e em menor tempo. Esses caminhos tiveram menor densidade do solo e menor resistência do que as áreas vermelhas e esbranquiçadas adjacentes do subsolo do Gleyic Luvisol. Áreas vermelhas foram relacionadas com o transporte devido apresentarem maior conteúdo de água após o teste de infiltração. Entretanto, não houve diferenças entre as propriedades físicas do solo das áreas brancas e vermelhas. Assumiu-se que as áreas vermelhas participaram do transporte de água porque absorveram água do fluxo adjacente, ou seja, dos bioporos.

umidade do solo; densidade do solo; resistência


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br