Densidade de colmeias de abelhas africanizadas, Apis mellifera l. 1758 (hymenoptera: apidae), para polinizar maçã cv. anna

Density of hives of africanized honeybees Apis mellifera L. 1758 (hymenoptera: apidae) to pollinate apple cv. Anna

Resumos

Com o objetivo de se determinar o número de colmeias por hectare para polinização de maçã, foram levadas a um pomar uma a uma, a cada dois dias, 5 colônias de abelhas africanizadas, marcadas com fósforo radioativo (32P). Cada colmeia continha uma população estimada em cerca de 35.000 abelhas. Na área experimental de aproximadamente 0,8 ha, foram demarcadas macieiras a cada 10 m a partir do centro onde estavam as colmeias, formando quatro alas perpendiculares em formato de cruz, até a uma distância de 50m. As abelhas foram coletadas com puçá quando visitavam as flores, durante 10 minutos por dia em cada árvore estaqueada e por 10 dias consecutivos. Pôde-se observar que o número de abelhas marcadas coletadas foi aumentando à medida que se acrescentavam mais colmeias no pomar, sendo que não houve diferença estatística significativa entre o número médio de abelhas coletadas nas flores com 2, 3, 4 e 5 colmeias, concluindo-se então que 2,5 colmeias por ha seriam suficientes para visitar todas as flores do pomar.

abelhas; densidade; polinização; maçã


In order to determine the number of hives per hectare for apple pollination, 5 hives of africanized bees, with ca. 35,000 bees each, labeled with radiophosphorus, were taken to an orchard, one at a time, every 2 days. A circular area of 100 meters diameter (0,8ha), was marked every 10 m from the center to the limit (50m), in two perpendicular directions (cross-shape) pointing out to North-South and East-West directions. The honeybees were collected on apple flowers for 10 min a day during a 10 day period. The experimental area (0.8 ha) was saturated with bees from 5 hives and there was no significant diference between the average number of collected bees with 2, 3, 4 and 5 hives. Consequently, the ideal number of hives per hectare of apple orchard is 2.5 taking into consideration the tested population.

honeybee; density; pollination; apple tree


DENSIDADE DE COLMEIAS DE ABELHAS AFRICANIZADAS, Apis mellifera L. 1758 (HYMENOPTERA: APIDAE), PARA POLINIZAR MAÇÃ cv. ANNA

B.A.J. PARANHOS1; J.M.M. WALDER1; L.C. MARCHINI2

1Centro de Energia Nuclear na Agricultura-ESALQ/USP, C.P. 96, CEP: 13400-970 - Piracicaba, SP.

2Depto. de Entomologia-ESALQ/USP, C.P. 9, CEP: 13418-900 - Piracicaba, SP.

RESUMO: Com o objetivo de se determinar o número de colmeias por hectare para polinização de maçã, foram levadas a um pomar uma a uma, a cada dois dias, 5 colônias de abelhas africanizadas, marcadas com fósforo radioativo (32P). Cada colmeia continha uma população estimada em cerca de 35.000 abelhas. Na área experimental de aproximadamente 0,8 ha, foram demarcadas macieiras a cada 10 m a partir do centro onde estavam as colmeias, formando quatro alas perpendiculares em formato de cruz, até a uma distância de 50m. As abelhas foram coletadas com puçá quando visitavam as flores, durante 10 minutos por dia em cada árvore estaqueada e por 10 dias consecutivos. Pôde-se observar que o número de abelhas marcadas coletadas foi aumentando à medida que se acrescentavam mais colmeias no pomar, sendo que não houve diferença estatística significativa entre o número médio de abelhas coletadas nas flores com 2, 3, 4 e 5 colmeias, concluindo-se então que 2,5 colmeias por ha seriam suficientes para visitar todas as flores do pomar.

Descritores: abelhas, densidade, polinização, maçã

DENSITY OF HIVES OF AFRICANIZED HONEYBEES Apis mellifera L. 1758 (HYMENOPTERA: APIDAE) TO POLLINATE APPLE cv. ANNA

ABSTRACT: In order to determine the number of hives per hectare for apple pollination, 5 hives of africanized bees, with ca. 35,000 bees each, labeled with radiophosphorus, were taken to an orchard, one at a time, every 2 days. A circular area of 100 meters diameter (0,8ha), was marked every 10 m from the center to the limit (50m), in two perpendicular directions (cross-shape) pointing out to North-South and East-West directions. The honeybees were collected on apple flowers for 10 min a day during a 10 day period. The experimental area (0.8 ha) was saturated with bees from 5 hives and there was no significant diference between the average number of collected bees with 2, 3, 4 and 5 hives. Consequently, the ideal number of hives per hectare of apple orchard is 2.5 taking into consideration the tested population.

Key Words: honeybee, density, pollination, apple tree

INTRODUÇÃO

Normalmente a monocultura predomina na agricultura. Com o desmatamento e o uso intensivo de defensivos agrícolas, extensas áreas floridas ficam com pouquíssimos insetos polinizadores disponíveis. O único método conhecido e satisfatório de se aumentar a população desses insetos nos pomares é com a introdução de colméias de abelhas, Apis mellifera, a qual poliniza adequadamente a cultura, proporcionando ainda a colheita de mel, cera, própolis, etc. (Free, 1970).

Benedek (1985) relatou que a cultura da maçã é altamente dependente das abelhas e seu papel como polinizador é estimado em 90%.

Segundo a HORTICULTURAL EDUCATION ASSOCIATION (1961), para se obter uma colheita econômica, cerca de 5% das flores de maçã devem resultar em frutos maduros, ou aproximadamente 136.000 flores/ha devem resultar em frutos maduros. Se as abelhas visitam cerca de 700 flores/dia, então 194 abelhas/dia são necessárias para visitar as flores em 1 ha de pomar. No entanto, somente poucas visitas promovem a polinização, mas se uma em cada 6 flores visitadas origina um fruto, 1164 (194x6) abelhas são necessárias/dia para polini-zar 1 ha. Pelo fato de muitas visitas ocorrerem em flores já polinizadas, seria necessário, talvez, o dobro de abelhas, ou seja, 2328 abelhas campeiras/dia/ha.

Em boas condições de tempo, um terço das abelhas (3.300) de uma colmeia com população de 10 mil indivíduos podem ser campeiras e, talvez um terço das campeiras (1.100) podem visitar as flores do pomar. Então durante uma único dia de bom tempo para atividade das abelhas, duas e meia colônias de 10.000 abelhas cada, deveriam ser hábeis para polinizar 1 ha. No entanto, para a maior parte do tempo de florescimento de árvores frutíferas as condições ambientais é, geralmente, não estável para a deiscência da antera ou atividade de coleta das abelhas. Então, a recomendação de 2 e meia colônias/ha não seria suficiente (Free,1959).

Bornus et al. (1976) recomendam 2 colmeias/ha para se conseguir uma produção de 33 toneladas de maçã/ha (500 abelhas/hora/árvore), mas como o aluguel de colmeias é barato comparado com os custos de outras operações, acima de 5 colmeias/ha são recomendadas.

Simidchiev (1978) mostrou que abelhas constituiam de 92% a 99% dos insetos que visitavam as flores de maçã e pera. Demonstrou também que 31% das flores de maçã foram polinizadas com 4 colmeias/ha. Esses dados coincidem com os encontrados por Garcia (1987).

Wiese (1981) colocou cerca de 2 colmeias/ha de maçã e, por meio de identificação de pólens constatou-se que cerca de 12% das abelhas visitavam as flores de maçã na primeira semana, 18% na segunda e 23% na terceira semana.

Mayer (1983) comenta que o ideal é distribuir colmeias em grupos de 4 a 12, pois aumenta a eficiência da polinização cruzada, ou seja, aumenta a chance de uma abelha visitar ambos, polinizadores e cultivar principal. Uma boa família polinizadora deve possuir uma rainha, seis quadros de cria ou larva com abelhas adultas para cobrí-los ou cerca de 30.000 abelhas. Outra maneira de se avaliar a população de uma colmeia é observando o número de abelhas que entram por minuto. Uma colmeia é considerada forte se cerca de 100 abelhas entrarem por minuto.

Jankovic & Kulincevic (1985) obtiveram melhor qualidade de maçã em blocos contendo 5,3 colmeias/ha do que em blocos com 1,3 ou 2,7 colônias/ha.

Degrandi-Hoffman et al. (1987) verificaram através de um programa de computador que aumentando o número de colônias de abelhas/ha resultava em maior frutificação, mas havia uma ponto onde começava a decrescer o número de frutos formados; concluíram então que mais de 5 colméias/ha de maçã era desnecessário.

MATERIAIS E MÉTODOS

Cinco colônias de abelhas africanizadas, com população média de 35.000 abelhas/colmeia, foram marcadas com fósforo radioativo, onde cada colmeia recebeu 300ml de xarope de acúcar (50%) com 32P na forma de fosfato monoácido de sódio (Na2H32PO4) com uma atividade de 0,75mCi. Em seguida foram levadas uma a uma, a cada dois dias em um pomar florido de maçã cv. Anna.

Foi escolhida uma área de 0,8ha do pomar, no centro do qual ficaram as colmeias, com os alvados voltados aleatoriamente para todas as direções. Fixou-se estacas a cada 10 metros, até completarem-se 50 metros do centro, nas direções Norte, Sul, Leste e Oeste.

Foram coletadas abelhas quando estas visitavam as flores das árvores estaqueadas, por um período de 5 minutos, duas vezes por dia, durante 10 dias consecutivos, sendo que a cada 2 dias se acrescentava mais uma colmeia no centro do pomar.

No mesmo dia da coleta as abelhas eram levadas ao laboratório, individualizadas em frascos especiais de vidro contendo 10ml de água destilada e levadas a um cintilador líquido conforme método de Nascimento Fº & Wiendl (1972) adaptado para efeito Cerenkov, onde a radiação do 32P era detectada. Pôde-se desta maneira fazer uma triagem das abelhas radiomarcadas provenientes das colméias introduzidas no pomar, das não radiomarcadas, provenientes dos apiários vizinhos.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Pela análise de variância (TABELA 1), verifica-se uma diferença estatística significativa ao nível de 5% no número de abelhas marcadas capturadas nas flores de maçã na presença de diferentes quantidades de colmeias no pomar.

Segundo Free (1970), deve-se saturar o pomar de abelhas para que haja uma eficiente polinização, e como mostram os resultados (TABELA 2), a quantidade de colmeias que apresentou maior visitação de abelhas nas flores foi com 5/0,8 ha, porém estatísticamente não diferenciou de 2, 3 e 4 colmeias/0,8 ha, que foram maiores, semelhantes entre si e diferentes da média do número de abelhas coletadas na presença de 1 colmeia no pomar Então pode-se dizer que 2 colmeias/0,8 ha ou 2,5 /ha foram suficientes para cobrir toda a área florida.

Entretanto, se fosse medido a produção final de maçãs talvez houvesse uma diferença significativa, estatísticamente falando, do número e peso de frutos com 2, 3, 4 e 5 colmeias/ha, isto porque, o número total de abelhas coletadas com 5 colmeias foi de 240, enquanto que com 2 colmeias/0,8 ha foi de 100, ou seja, será que uma população de campeiras 2,4 vezes maior, mais que o dobro, não aumentaria a produção final de frutos (Figura 1).

Figura 1
- Distribuição de abelhas marcadas em função do número crescente de colmeias introduzidas no pomar.

Segundo Paranhos (1996) a polinização por abelhas A. mellifera aumenta o peso, o número e a qualidade do suco da laranja, pois quanto maior o número de óvulos fecundados pelos pólens, maior será a quantidade de carpelos desenvolvidos, ficando os frutos maiores e mais bem formados.

Deve-se então futuramente, testar estas quantidades de colmeias na produção final de maçãs, pois os resultados poderão ser diferentes.

Esses resultados estão de acordo com os obtidos por Bornus et al (1976) que recomendaram 2 colmeias/ha baseado em dados teóricos de número de flores/ha, número de flores que cada abelha visita e quantidade de abelhas/colônia e com Sljahov (1977) que conseguiu maior número, tamanho e peso de frutos de maçã com 3 colmeias/ha.

Por outro lado discordam dos dados obtidos por Jankovic & Kulincevic (1985) que mostraram que a polinização e qualidade da maçã foram melhores em blocos contendo 5,3 colmeias/ha do que em blocos com 1,3 ou 2,7 colônias/ha. e Degrandi-Hoffman et al. (1987) que mostraram que aumentando o número de colmeias de abelhas/ha resultava em maior frutificação, mas havia um ponto onde começava a decrescer o número de frutos formados; concluíndo que mais de 5 colmeias/ha de maçã era desnecessário.

Como se observa, o número de colmeias recomendadas para cada hectare de maçã varia grandemente de autor para autor, provavelmente devido a população de abelhas em cada colônia, a qual não é mencionada nos trabalhos, o clima, o cultivar de maçã, ou até mesmo a metodologia como se chega a esses resultados.

Utilizando-se a matriz de correlação de Pearson (TABELA 3), pôde-se verificar uma correlação positiva entre o número de colméias e abelhas marcadas, ou seja, a quantidade de abelhas radiomarcadas no campo aumentou com o acréscimo de novas colméias no pomar, conforme o esperado. Já para as abelhas não marcadas ocorreu justamente o inverso, indicando uma correlação negativa. Isto provavelmente ocorreu porque as abelhas radiomarcadas, que foram levadas progressivamente ao pomar, foram dominando a área através da marcação das plantas com feromônios característicos que é repelente às abelhas de outras colônias, como é comentado por Free & Willians (1983).

A Figura 2 mostra essa tendência no decorrer do período experimental, apesar do teste "T" pareado não ter dado resultado significativo ao comparar abelhas marcadas e não marcadas.

Figura 2
- Distribuição temporal de abelhas marcadas e não marcadas, coletadas nas flores de maçã.

CONCLUSÃO

Houve uma dominância das abelhas marcadas em relação às que já estavam na área, à medida em que se acrescentou mais colmeias no pomar.

Nas condições em que foi realizado o experimento, recomenda-se grupos de 2,5 colméias por hectare de maçã, com uma população aproximada de 35.000 abelhas cada uma.

Recebido para publicação em 01.04.95

Aceito para publicação em 16.06.98

  • BENEDEK, P. Economic importance of honey bee pollination of crops at the national level in Hungary. In: INTERNATIONAL CONGRESS OF APICULTURE, 29., Budapest, 1983. Proccedings Bucharest: Apimondia, 1985. p.286-289. Resumo em Apicultural Abstracts, v.37, n.1, p.76, 1986.
  • BORNUS, L.; JABLONSK, B.; KROL, S. Attempt to estimate the optimal number of honeybees required for pollination of apple orchards. 1. Pszczelnicze Zeszyty Naukowe, v.20, p.1-20, 1976. Resumo em Apicultural Abstracts, v.29, n.2, p.136.
  • DEGRANDI-HOFFMAN, G.; HOOPINGARNER, R.; PULCER, R. Redapol: pollination and fruit-set prediction model for "delicious" apples. Enviromental Entomology, v.16, p.309-318, 1987.
  • FREE, J.B. Management of honeybee colonies for pollination. London: Academic Press, 1970. p.65-88: Insect pollination of crops.
  • FREE, J.B. The effect of moving of honeybees to new sites on their subsequent foraging behaviour. Journal Agricultural of Science, v.3, p.1-9, 1959.
  • FREE, J.B.; WILLIAMS, I.H. Scent-marking of flowers by honeybees. Journal of Apicultural Research, v.22, n.2, p.86-90, 1982.
  • GARCIA, J.B.R. La apicultura orientada a la polinizacion frutal. Hojas Divulgadoras, n.11, p.27, 1987.
  • HORTICULTURAL EDUCATION ASSOCIATION. Pollination of fruit crops. Scientia Horticultural, v.15, p.82-122, 1961.
  • JANKOVIC, D.; KULINCEVIC, J. Studies on the effect of honey-bees on fertility quality of starking apples and barlett pears. Nauka u Praksi, v.15, n.1, p.37-42, 1985. Resumo em Apicultural Abstracts, v.40, n.1, p.92, 1989.
  • MAYER, D. F. Apple pollination. American Bee Journal, v.123, n.4, p.272-273, 1983.
  • NASCIMENTO Fş,V.N.; WIENDL, F.M. Possibilidade de substiutiçăo do sistema detector Geiger-Mueller pelo cintilador líquido, na medida da radioatividade da abelha africana Apis mellifera adansonii (L), marcada com P-32. Piracicaba: CENA-USP/CNEN, 1972. 38p. (Boletim Técnico, 001).
  • PARANHOS, B.A.J. Aumento da produçăo e qualidade de laranjas Hamlin, Natal, Valęncia e Pera (Citrus sinensis O.), através da polinizaçăo por abelhas, A. mellifera L. 1758 (Hymenoptera: Apidae). Rio Claro, 1996. 108p. Tese (Doutorado)-Faculdade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Universidade Estadual Paulista.
  • SIMIDCHIEV, T. Full utilization of honeybees as pollinators. Ovoshcharstvo, v.57, n.3, p.9-11, 1978. Resumo em Apicultural Abstracts, v.32, n.3, p.234, 1981.
  • SLJAHOV, P. Effect of number and distance of hives on the yield and quality of fruit of some apple cultivars. Iugoslovensko Vocarstvo, v.10, n.39/40, 10(39/40):535-7, 1977. Resumo em Apicultural Abstracts, v.31, n.2, p.127, 1980.
  • WIESE, H.O. O trabalho das abelhas em macieiras. Apicultura no Brasil, v.1, n.2, p.7-9, 1981.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    14 Maio 1999
  • Data do Fascículo
    1998

Histórico

  • Aceito
    16 Jun 1998
  • Recebido
    01 Abr 1995
São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br