Sanidade de sementes de feijão armazenadas a umidade e temperatura constantes

A incidência de fungos em sementes de feijão (Phaseolus vulgaris L.) é a preocupação principal de cientistas e tecnologistas de sementes visando preservar a sua sanidade e viabilidade. O objetivo deste estudo foi analisar esses parâmetros de qualidade em sementes hermeticamente armazenadas com graus de umidade de 10,2, 13,1, 16,2 e 18,5% a 25, 30, 35, 40°C, através de testes de germinação e de sanidade. Os valores de atividade de água obtidos para graus de umidade de 10,2 e 18,5% foram de 0,448 e 0,700. Baixos graus de umidade reduziram a incidência de Alternaria spp. a 25-30°C. A maior incidência de Fusarium spp. (7,5%) ocorreu com grau de umidade de 16,2% a 35-40°C. As maiores incidências de Rhizoctonia spp. (8-10%) foram registradas para graus de umidade de 16,2 e 18,5% a 30-40°C. Os fungos Penicillium spp. e Aspergillus spp. foram predominantes durante todo o experimento, sendo que as maiores incidências (80-100%; 20-30%) foram registradas para 18,5% de umidade a 30-35°C e 13,1-18,5% de umidade a 35°C, respectivamente. Quanto maior o grau de umidade da semente maior foi a incidência de fungos, enquanto que os valores mais baixos de umidade reduziram essas incidências a 25%. Temperaturas de armazenamento abaixo de 30°C e graus de umidades inferiores a 13,0% parecem ser as condições adequadas para preservar a viabilidade e a sanidade de sementes de feijão por até 8 meses.

patologia de sementes; armazenamento hermético; incidência de fungos


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br