Abundância de 15N em frações protéicas de feijão fertilizado com (15NH4)2SO4

Estudos para determinação do valor nutritivo da proteína de feijões marcados com 15N, utilizando balanço de nitrogênio e quantificação de nitrogênio endógeno fecal e urinário, determinados por diluição isotópica, têm sido muito utilizados. O objetivo deste trabalho foi verificar se a abundância de 15N feijão cru e liofilizado (Phaseolus vulgaris L., cultivar Piratã 1), de 1,394 átomos % de 15N, era a mesma, na farinha integral do feijão, no extrato protéico e nas frações protéicas extraídas do feijão com NaCl 0,5 mol L-1. As abundâncias encontradas na farinha integral, extrato protéico e frações protéicas globulina e albumina foram, respectivamente: 1.394 ± 0.011; 1.403 ± 0.012; 1.399 ± 0.007 e 1.399 ± 0.028 átomos % de 15N, não apresentando diferença (P > 0,05). Entretanto, foi encontrada diferença (P < 0,05) entre as referidas abundâncias e aquela encontrada nas proteínas que permaneceram no resíduo da extração, que foi 0,969 ± 0,084 átomos de 15N. Uma vez que as marcações isotópicas não diferiram, pôde-se inferir que os índices de valor nutritivo de proteínas, como a digestibilidade ou valor biológico, determinados por balanço de nitrogênio e corrigidos por diluição isotópica, não serão afetados pela extração das proteínas do feijão com NaCl 0,5 mol L-1. No caso das proteínas residuais ou mesmo de farinhas integrais, estes índices podem apresentar valores incorretos, visto que a abundância de 15N das proteínas residuais foi menor.

Phaseolus vulgaris L.; isótopos estáveis; marcação isotópica; valor nutritivo; nutrição experimental


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br