Radiação solar e susceptibilidade da videira à Plasmopara Viticola

A radiação solar exerce papel importante no desenvolvimento de algumas doenças fúngicas, devido à sua ação direta sobre os microorganismos e também devido ao seu efeito indireto sobre a produção de compostos específicos nas plantas. Este experimento examinou o efeito de dois ambientes de luz (100% e 35% da intensidade máxima) sobre o conteúdo de polifenóis nas folhas da videira e quantificou sua relação com a resistência ao míldio (Plasmopara viticola). As concentrações de polifenóis na epiderme das folhas foram quantificadas de forma não destrutiva, durante a estação de crescimento de 2006, usando o equipamento portátil Dualex, baseado na fluorescência da clorofila. O delineamento experimental consistiu de seis parcelas de 30 videiras e as medidas foram feitas nas 12 plantas centrais. As folhas foram inoculadas com uma suspensão de esporângios com 50.000 esporos de P. viticola por mL e a intensidade da doença foi avaliada depois do aparecimento dos primeiros sintomas. As folhas das plantas mantidas à plena luz solar apresentaram alta concentração de polifenóis e severidade da doença significativamente menor do que as folhas das plantas mantidas sob a tela de sombreamento. Estes resultados indicam uma relação inversa entre os polifenóis produzidos pelas folhas da videira e a severidade do míldio.

Radiação ultra-violeta; radiação fotossinteticamente ativa; polifenóis; míldio; resistência


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br