Concentração letal (CL50) de amônia não ionizada para larvas de peixe-rei em exposição aguda

Sérgio Renato Noguez Piedras Juvêncio Luís Osório Fernandes Pouey Paulo Roberto Rocha Moraes Daniela Fençon Cardoso Sobre os autores

A amônia é originada da decomposição da matéria orgânica dos efluentes, como restos de rações e fezes dos peixes. Sua forma não ionizada pode atingir concentrações tóxicas, pois difunde-se facilmente através das membranas respiratórias causando danos ao epitélio branquial, dificultando as trocas gasosas entre o animal e a água. O objetivo deste trabalho foi determinar a CL50 para 96 horas de exposição a amônia não ionizada de larvas recém-eclodidas de peixe-rei Odontesthes bonariensis. O experimento foi conduzido em delineamento completamente casualizado, usando três diferentes concentrações de amônia não ionizada (0,57, 0,94 e 1,45 mg L-1 NH3-N) e um controle (n = 3). As unidades experimentais constaram de aquários de 20 litros, aerados, povoados com 20 larvas (peso médio 3,9 mg). Larvas de peixe-rei expostas por 96 horas à amônia não ionizada apresentam mortalidade de 50% na concentração de 0,71 mg L-1 NH3-N.

peixe-rei; Odontesthes bonariensis; toxicidade; nitrogênio; larva


Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Phone: +55 19 3429-4401 / 3429-4486 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br