Vitamina A em dietas para tilápia do Nilo

A suplementação de vitaminas na dieta diminui o estresse e estimula o sistema imunológico causado por altas densidades de estocagem dos peixes. Este trabalho determinou a exigência em vitamina A para a tilápia do Nilo em uma população monosexo masculina (13.8 ± 1.2 g) e em uma população original (9.8 ± 2.3 g). Os peixes foram estocados em aquários plásticos de 100 L (26.0 ± 1.0ºC) e alimentados "ad libitum", duas vezes ao dia, sete dias da semana, durante 75 dias com dieta semi-purificada suplementada com 0; 600; 1.200; 1.800; 2.400; 3.000; 3.600; 4.200; 4.800 e 5.400 UI de retinyl palmitato (30% de vitamina A) por kg de dieta, em um delineamento experimental totalmente ao acaso e arranjo fatorial 2c10 (n = 4). Deficiência nutricional severa foi observada em peixes alimentados com 0 a 1.200 UI vitamina A kg-1 de dieta; sinais moderados foram encontrados em peixes alimentados com 1.800 a 3.600 UI vitamina A kg-1 de dieta; interações grupo*nível (p < 0,05) não foram detectadas. O aumento de nível de vitamina A influenciou no peso final e no ganho de peso dos peixes (p < 0,05), mas não influenciou o consumo de ração (p > 0,05). Foi observado efeito de grupo no desempenho dos peixes (p < 0,0001). Foi detectado o retinol hepático através de HPLC somente no grupo alimentado com 5.400 UI de retinol kg-1 de dieta, caracterizando assim que o mesmo foi utilizado e armazenado. A quantidade de 5.400 IU de retinol kg-1 de dieta é a mínima recomendada para tilápia do Nilo.

Oreochromis niloticus; retinol; nutrição


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br