Feijoeiro em solo de cerrado submetido a doses de manganês e zinco via foliar

Em solos de cerrado tem sido cada vez mais freqüente o surgimento de casos de deficiência de micronutrientes em diversas culturas, incluindo o feijoeiro, com destaque para manganês (Mn) e zinco (Zn), o que é ocasionado pelas elevadas dosagens de corretivo utilizadas em aplicações de superfície e sem incorporação adequada. Este trabalho avaliou o efeito de doses de Mn e Zn via foliar em feijoeiros cultivados em solo de cerrado. Foram conduzidos três experimentos, sendo dois em casa de vegetação e um em campo. Os experimentos de casa de vegetação foram instalados seguindo o delineamento de blocos ao acaso, num esquema fatorial 5 x 5, com três repetições, envolvendo cinco doses de Mn (0, 75, 150, 300 e 600 g ha-1) e cinco doses de Zn (0, 50, 100, 200 e 400 g ha-1) aplicadas via foliar, aos 25 ou, alternativamente, ambas parceladas aos 25 e 35 dias após emergência (DAE), respectivamente, no primeiro e segundo experimento. No experimento de campo empregou-se o delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições com os mesmos tratamentos usados em casa de vegetação. Duas aplicações foliares, efetuadas aos 25 e 35 DAE foram eficientes na correção dos sintomas de deficiência de Mn e Zn. A aplicação conjunta de Mn e Zn aumentou a altura de planta, os componentes primários de rendimento, o número de grãos por vagem, o número de vagens por planta e a produtividade "per se". A máxima eficiência técnica foi obtida com 315 g ha-1 de Mn e 280 g ha-1 de Zn, para uma produtividade de 2.275 kg ha-1 de grãos, correspondente a 60% acima da testemunha.

Phaseolus vulgaris; rendimento; nutrição mineral; micronutrientes


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br