Produção do cogumelo comestível Pleurotus sajor-caju em bagaço de cana-de-açúcar lavado e suplementado

Tradicionalmente, o cultivo do Pleurotus sajor-caju é realizado utilizando-se diversos resíduos agrícolas, precedido dos processos de compostagem e pasteurização. O presente trabalho teve por objetivo comparar o processo de pasteurização com a lavagem do bagaço de cana-de-açúcar e avaliar formas de suplementação do bagaço, visando aumento na produtividade. No primeiro experimento, os colmos da cana-de-açúcar passaram por moenda para a extração do caldo, sendo em seguida desfibrados. No tratamento controle, o bagaço fresco foi pasteurizado em água a 80°C durante 2 horas e o outro tratamento consistiu na lavagem do bagaço fresco em centrífuga com água corrente à temperatura ambiente, por uma hora. No segundo experimento, utilizou-se a lavagem simples (tratamento controle), a suplementação do bagaço lavado com quirera de milho (suplementação orgânica) e com solução mineral (suplementação mineral). A eficiência biológica média (EBM) do cogumelo no bagaço fresco lavado (19,16%) não diferiu significativamente da obtida no bagaço fresco pasteurizado (13,86%), sendo a sua contaminação (44%) menor do que no bagaço pasteurizado (70%). No segundo experimento, a suplementação orgânica obteve o menor desempenho, com EBM de 15,66% e contaminação de 60%, diferindo da suplementação mineral e controle, com EBM de 30,03% e 26,62%, respectivamente. A lavagem do bagaço de cana-de-açúcar fresco poderá suprimir a pasteurização do substrato na produção de Pleurotus sajor-caju, compensando a eficiência biológica reduzida com a agilidade do processo.

basidiomycetes; substrato; pasteurização; suplementação


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br