Forças de corte ortogonal na madeira juvenil e adulta de Pinus taeda

As características distintas dos lenhos juvenil e adulto, existentes principalmente na formação das coníferas, influenciam na usinagem devido às diferentes propriedades de resistência mecânica ao corte. No passado, quando a maior parte da madeira utilizada industrialmente era proveniente de árvores adultas de florestas naturais, pouca importância era dada à diferenciação de zonas no tronco. Atualmente, no entanto, com o decréscimo constante do suprimento de árvores adultas de grandes diâmetros, provenientes de florestas nativas, tornou-se comum o aproveitamento da madeira de ciclos curtos, através da adoção de espécies de crescimento relativamente rápido, como exemplo os Pinus e os eucaliptos. Tanto nas coníferas quanto nas dicotiledôneas, as células da madeira juvenil são, geralmente, menores e mais delgadas do que na madeira adulta, refletindo em sua densidade e resistência, o que deverá afetar as forças de corte desenvolvidas durante o processamento. O objetivo principal desta pesquisa foi avaliar as forças de corte ortogonal nas madeiras juvenil e adulta de Pinus taeda. Houve diferenças de magnitude das forças de corte nessas duas regiões, sendo as forças de corte paralela, em média, 33,4% maiores na zona de madeira adulta, no corte 90-0, e 12% maiores no corte 90-90. Esse resultado é coerente com a diferenciação da estrutura anatômica do material, uma vez que as forças geradas durante a usinagem dependem, diretamente, de suas propriedades.

usinagem; conífera; madeira de reflorestamento; otimização de corte


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br